terça-feira, 30 de setembro de 2008

O Natal foi ontem

O natal para mim foi ontem, lá no Centro de Convivência da Casa Andrade Muricy, no evento do Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS) que homenageava radialistas paranaenses.

E porque foi uma verdadeira noite de natal? Porque reencontrei grandes amigos, comunicadores de todas as áreas do Rádio paranaense. Amigos de tantas confidências e recordações. Amigos que davam e recebiam conselhos, reprimendas.

Foi realmente uma noite muito especial, a que nos proporcionou a competente equipe do MIS. O lançamento de 10 DVDs contendo depoimento de velhos companheiros, alguns que não se viam a muitos anos. Aqui está outro grande mérito dos promotores do evento: o reencontro da velha guarda do Rádio paranaense. Houve risos e algumas lágrimas furtivas, que teimavam em rolar de muitos rostos já marcados pelo tempo. Foi muito bem ver que todos não envelheceram por dentro, e continuam brincalhões e de bem com a vida.

Na pessoa do Tionkim (foto inicial) que coordenou tudo, enviamos os nossos agradecimentos a todos que direta ou indiretamente, trabalharam para que a memória do Rádio do Paraná continue viva e disponível para o amanhã.

Obrigado amigos, obrigado por tudo, e que o universo conspire para tenham forças para realizar outras tarefas nessa direção.

Além do lançamento do pacote de DVDs e do curta-metragem, lembramos que nesta semana a Rádio Paraná Educativa apresenta ainda uma série de entrevistas com pioneiros da rádio paranaense. Ontem, foi às 17h, com Rubens Greiffo e Divanil Brasil (AM 630); hoje, terça, às 13h, com Noemi Osna (AM 630); quarta, às 11h, com Vicente Mikos (AM 630) e na quinta, à meia-noite, com Hélio Pimentel (FM 97,1).

Por ora, algumas fotos da gravação do DVD com Paulo Branco.
Na sequência, os homenageados com seus mais de 70 anos de existência e seus convidados, se encontraram para relembrar. O mote, como citamos, foi o lançamento do projeto inicial do MIS, com entrevistas de dez pessoas que atuaram no Rádio do Paraná: Renato Mazanek, Ubiratan Lustosa, Paulo Chaves, Sinval Martins, Gilberto Fontoura, Boris Mozialowski, Irene de Moraes, Elon Garcia, Paulo Branco e Vinicius Coelho. As entrevistas ficaram por conta de Marcio Veiga Costa, do Colégio Estadual do Paraná, sob direção de Tiomkim.

Voltaremos ao assunto brevemente, publicando os vídeos, entrevistas e fotos.

Indique o Blog Paulo Branco Radialista - www.paulobranco.com

Clique aqui e receba Artigos por Email

O Natal foi ontem

O natal para mim foi ontem, lá no Centro de Convivência da Casa Andrade Muricy, no evento do Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS) que homenageava radialistas paranaenses.

E porque foi uma verdadeira noite de natal? Porque reencontrei grandes amigos, comunicadores de todas as áreas do Rádio paranaense. Amigos de tantas confidências e recordações. Amigos que davam e recebiam conselhos, reprimendas.

Foi realmente uma noite muito especial, a que nos proporcionou a competente equipe do MIS. O lançamento de 10 DVDs contendo depoimento de velhos companheiros, alguns que não se viam a muitos anos. Aqui está outro grande mérito dos promotores do evento: o reencontro da velha guarda do Rádio paranaense. Houve risos e algumas lágrimas furtivas, que teimavam em rolar de muitos rostos já marcados pelo tempo. Foi muito bem ver que todos não envelheceram por dentro, e continuam brincalhões e de bem com a vida.

Na pessoa do Tionkim (foto inicial) que coordenou tudo, enviamos os nossos agradecimentos a todos que direta ou indiretamente, trabalharam para que a memória do Rádio do Paraná continue viva e disponível para o amanhã.

Obrigado amigos, obrigado por tudo, e que o universo conspire para tenham forças para realizar outras tarefas nessa direção.

Além do lançamento do pacote de DVDs e do curta-metragem, lembramos que nesta semana a Rádio Paraná Educativa apresenta ainda uma série de entrevistas com pioneiros da rádio paranaense. Ontem, foi às 17h, com Rubens Greiffo e Divanil Brasil (AM 630); hoje, terça, às 13h, com Noemi Osna (AM 630); quarta, às 11h, com Vicente Mikos (AM 630) e na quinta, à meia-noite, com Hélio Pimentel (FM 97,1).

Por ora, algumas fotos da gravação do DVD com Paulo Branco.
Na sequência, os homenageados com seus mais de 70 anos de existência e seus convidados, se encontraram para relembrar. O mote, como citamos, foi o lançamento do projeto inicial do MIS, com entrevistas de dez pessoas que atuaram no Rádio do Paraná: Renato Mazanek, Ubiratan Lustosa, Paulo Chaves, Sinval Martins, Gilberto Fontoura, Boris Mozialowski, Irene de Moraes, Elon Garcia, Paulo Branco e Vinicius Coelho. As entrevistas ficaram por conta de Marcio Veiga Costa, do Colégio Estadual do Paraná, sob direção de Tiomkim.

Voltaremos ao assunto brevemente, publicando os vídeos, entrevistas e fotos.

Indique o Blog Paulo Branco Radialista - www.paulobranco.com

Clique aqui e receba Artigos por Email

Ainda referente ao fim da B2 - opinião de Jair Brito

Não poderia deixar de registrar, como outras opiniões já registradas neste Blog, o opinião do meu amigo Jair Brito, sobre o fim da B2. Os dois destaques do Jair a seguir, encontrei no Blog do Zé Beto, na matéria Rádio Clube Paranaense, um final lamentável , de 3 Set 2008 - 06:15 e escrita por Jamur Jr.
  1. Jair Brito Diz:

    Amigo Jamur,
    Faz tempo que a gente não se vê, mas, com certeza, continua se gostando…
    Lamentável o que está ocorrendo com a principal das rádios do Paraná. O companheiro descreve bem (no seu livro Sintonia Fina) um pouco da história da antiga Bedois de tantas glórias e que levou a voz do Paraná mundo afora. Sei que algumas emissoras de Curitiba perderam a identidade e agora falam com sotaque “carioca” ou “paulistano”, por força de gestões desastrosas, por comodismo ou mercantilismo. Na realidade, quase sempre os perdedores são radialistas, jornalistas e técnicos que passam a ter menos possibilidade de emprego, especialmente numa capital na qual, por falta de bons empresários, o mercado radiofônico sempre foi muito escasso e com baixos salários. Acredite você que eu, sempre antenado, jamais imaginei que um dia a Rádio Clube Paranaense pudesse ser atingida por uma “tempestade” como essa: passar de geradora importante a simples retransmissora. As Redes que invadem o rádio brasileiro, sem nenhum controle por parte do Ministério das Comunicações, o qual deveria fiscalizar com firmeza as ações dos empresários de radiodifusão, estão acabando com a simbiose das emissoras afiliadas com o público ouvinte da cidade onde elas tem sede. Os dirigentes dessas afiliadas, atraidos pelo jeito barato de fazer rádio, esquecem de que, na maioria das vezes, centenas de profissionais levaram muitos anos para construir esse elo, rádio/comunidade, mão dupla que não tem preço. Quantas gerações de pessoas cresceram ouvindo a Rádio Clube Paranaense ao longo de sua trajetória, a qual supera 80 anos? De pai para filho… o hábito de audiência transferido, uma fidelidade invejada pelas emissoras concorrentes. Por tudo isso, o grupo Lúmen, gestor da emissora, deve repensar e acabar logo com essa parceria que empobrece ainda mais o rádio paranaense.Um abração, Jair Brito

  2. Jair Brito Diz:

    Recado para Edmond Dantes
    Você deve ser muito jovem e por isso não conhece a história da antiga Bedois. Como não deve conhecer a história da Independência AM e da Independência FM-104, a primeira de péssimas gestões ultimamente e que passou a “rezar” 24 horas por dia, e a segunda, que também perdeu sua identidade há bastante tempo, “falando e cantando” com um jeitão paulistano. Pouca gente lembra (se liga) que o corpo da Independência FM serve de “cavalo” para dar vida à Jovem Pan de São Paulo. É bom citar que a 104 foi um dos mais importantes veículos do Brasil na divulgação da boa MPB. Edmond, eu como muitos profissionais que atuaram, com muito orgulho, na principal rádio do Paraná, a primeira a surgir no Estado e a terceira no Brasil, e mais um incálculavel número de ouvintes e simpatizantes, estamos inconformados sim. Com a mesma simplicidade que vc sugere “os indignados que financiem a rádio com o dinheiro do seu próprio bolso”, contraponho dizendo que não se joga no lixo uma tradição de mais de 80 anos. Principalmente quando a entidade em questão é resultante de uma concessão do governo outorgada por méritos, sem política e sem nenhum custo para o concessionário (hoje em dia quem paga mais pelo canal, leva). No caso, como conta Jamur Junior, o benefício foi dado a um clube formado por amadores defensores do novo invento criado pelo cientista Marconi e implantado no Brasil por Roquete Pinto (a primeira transmissão oficial de rádio no país data de 1922, portanto dois anos depois o Clube iniciava suas transmissões). Respeito é bom e a Clube Paranaense merece. Ao longo desses muitos (84) anos ela sempre ocupou um lugar de destaque na capital do Paraná, no Brasil e no mundo. Respeitosamente, Jair Brito

Fonte: Blog do Zé Beto - http://jornale.com.br/zebeto/2008/09/03/radio-clube-um-final-lamentavel/

Escreva, critique, opine no Blog do Paulo Branco Radialista - www.paulobranco.com

Bookmark and Share Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google Reader Add to Technorati Favorites
Subscreva Paulo Branco Radialista por Email

Ainda referente ao fim da B2 - opinião de Jair Brito

Não poderia deixar de registrar, como outras opiniões já registradas neste Blog, o opinião do meu amigo Jair Brito, sobre o fim da B2. Os dois destaques do Jair a seguir, encontrei no Blog do Zé Beto, na matéria Rádio Clube Paranaense, um final lamentável , de 3 Set 2008 - 06:15 e escrita por Jamur Jr.
  1. Jair Brito Diz:

    Amigo Jamur,
    Faz tempo que a gente não se vê, mas, com certeza, continua se gostando…
    Lamentável o que está ocorrendo com a principal das rádios do Paraná. O companheiro descreve bem (no seu livro Sintonia Fina) um pouco da história da antiga Bedois de tantas glórias e que levou a voz do Paraná mundo afora. Sei que algumas emissoras de Curitiba perderam a identidade e agora falam com sotaque “carioca” ou “paulistano”, por força de gestões desastrosas, por comodismo ou mercantilismo. Na realidade, quase sempre os perdedores são radialistas, jornalistas e técnicos que passam a ter menos possibilidade de emprego, especialmente numa capital na qual, por falta de bons empresários, o mercado radiofônico sempre foi muito escasso e com baixos salários. Acredite você que eu, sempre antenado, jamais imaginei que um dia a Rádio Clube Paranaense pudesse ser atingida por uma “tempestade” como essa: passar de geradora importante a simples retransmissora. As Redes que invadem o rádio brasileiro, sem nenhum controle por parte do Ministério das Comunicações, o qual deveria fiscalizar com firmeza as ações dos empresários de radiodifusão, estão acabando com a simbiose das emissoras afiliadas com o público ouvinte da cidade onde elas tem sede. Os dirigentes dessas afiliadas, atraidos pelo jeito barato de fazer rádio, esquecem de que, na maioria das vezes, centenas de profissionais levaram muitos anos para construir esse elo, rádio/comunidade, mão dupla que não tem preço. Quantas gerações de pessoas cresceram ouvindo a Rádio Clube Paranaense ao longo de sua trajetória, a qual supera 80 anos? De pai para filho… o hábito de audiência transferido, uma fidelidade invejada pelas emissoras concorrentes. Por tudo isso, o grupo Lúmen, gestor da emissora, deve repensar e acabar logo com essa parceria que empobrece ainda mais o rádio paranaense.Um abração, Jair Brito

  2. Jair Brito Diz:

    Recado para Edmond Dantes
    Você deve ser muito jovem e por isso não conhece a história da antiga Bedois. Como não deve conhecer a história da Independência AM e da Independência FM-104, a primeira de péssimas gestões ultimamente e que passou a “rezar” 24 horas por dia, e a segunda, que também perdeu sua identidade há bastante tempo, “falando e cantando” com um jeitão paulistano. Pouca gente lembra (se liga) que o corpo da Independência FM serve de “cavalo” para dar vida à Jovem Pan de São Paulo. É bom citar que a 104 foi um dos mais importantes veículos do Brasil na divulgação da boa MPB. Edmond, eu como muitos profissionais que atuaram, com muito orgulho, na principal rádio do Paraná, a primeira a surgir no Estado e a terceira no Brasil, e mais um incálculavel número de ouvintes e simpatizantes, estamos inconformados sim. Com a mesma simplicidade que vc sugere “os indignados que financiem a rádio com o dinheiro do seu próprio bolso”, contraponho dizendo que não se joga no lixo uma tradição de mais de 80 anos. Principalmente quando a entidade em questão é resultante de uma concessão do governo outorgada por méritos, sem política e sem nenhum custo para o concessionário (hoje em dia quem paga mais pelo canal, leva). No caso, como conta Jamur Junior, o benefício foi dado a um clube formado por amadores defensores do novo invento criado pelo cientista Marconi e implantado no Brasil por Roquete Pinto (a primeira transmissão oficial de rádio no país data de 1922, portanto dois anos depois o Clube iniciava suas transmissões). Respeito é bom e a Clube Paranaense merece. Ao longo desses muitos (84) anos ela sempre ocupou um lugar de destaque na capital do Paraná, no Brasil e no mundo. Respeitosamente, Jair Brito

Fonte: Blog do Zé Beto - http://jornale.com.br/zebeto/2008/09/03/radio-clube-um-final-lamentavel/

Escreva, critique, opine no Blog do Paulo Branco Radialista - www.paulobranco.com

Bookmark and Share Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google Reader Add to Technorati Favorites
Subscreva Paulo Branco Radialista por Email

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Memória viva em registro - Folha de Londrina

Pacote de DVDs e curta-metragem reúnem nomes que fizeram história na comunicação paranaense em projeto do Museu da Imagem e do Som
Divulgação

Paulo Branco fala um pouco da história do rádio no Estado na ‘Série Depoimentos’
O pioneirismo e a importância dos radialistas paranaenses na história da comunicação no Estado são temas da ''Série Depoimentos: Radialistas Paranaenses'', pacote de DVDs produzidos pelo Museu da Imagem e do Som (MIS), órgão da Secretaria de Estado da Cultura que lança hoje também o curta-metragem ''RadioOndas Paranaenses'', em homenagem às comemorações do Dia do Rádio e da Radiodifusão, celebrado no dia 25 de setembro. O evento acontece às 17h, no Centro de Convivência Andrade Muricy, em Curitiba.

''Temos que fazer um registro das coisas que aconteceram por aqui porque há muito tempo não é feito um trabalho assim. A Irene Moraes, por exemplo, foi rainha do rádio paranaense nos anos 50 e ninguém conhece essa história'', justifica Tiomkim, que dirigiu a produção dos DVDs e do curta-metragem. De acordo com o cineasta, a preocupação é com a memória da história cultural no Paraná. ''O MIS criou essa 'Série Depoimentos' para resgatar o registro oral de fotógrafos, cineastas, designers, músicos... O primeiro é com radialistas, juntamos dez radialistas pra contar histórias dos anos 50, 60 e etc.'', conta Tiomkim. Cada um dos dez DVDs tem uma hora de duração e ficará no MIS, à disposição dos interessados, entre eles estudantes e pesquisadores. ''O curta tem flashes das entrevistas que fizemos, serve para divulgar essa coleção e também vai ficar à disposição de quem quiser ver no MIS'', complementa.

Além do lançamento do pacote de DVDs e do curta-metragem, a rádio Paraná Educativa apresenta durante a semana uma série de entrevistas com pioneiros da rádio paranaense. Hoje, às 17h, com Rubens Greiffo e Divanil Brasil (AM 630); amanhã, às 13h, com Noemi Osna (AM 630); quarta, às 11h, com Vicente Mikos (AM 630) e na quinta, à meia-noite, com Hélio Pimentel (FM 97,1).

SERVIÇO

- Lançamento do pacote de DVDs 'Série Depoimentos: Radialistas Paranaenses' e do curta-metragem 'RadioOndas Paranaenses'

Quando - Hoje, às 17h

Onde - Centro de Convivência da Casa Andrade Muricy (R. Alameda Dr. Muricy, 915), em Curitiba

Claudio Yuge
Equipe da Folha

Fonte: http://www.bonde.com.br/folha/folhad.php?id=18127LINKCHMdt=20080929


Bookmark and Share Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google Reader Add to Technorati Favorites
Subscreva Paulo Branco Radialista por Email

Memória viva em registro - Folha de Londrina

Pacote de DVDs e curta-metragem reúnem nomes que fizeram história na comunicação paranaense em projeto do Museu da Imagem e do Som
Divulgação

Paulo Branco fala um pouco da história do rádio no Estado na ‘Série Depoimentos’
O pioneirismo e a importância dos radialistas paranaenses na história da comunicação no Estado são temas da ''Série Depoimentos: Radialistas Paranaenses'', pacote de DVDs produzidos pelo Museu da Imagem e do Som (MIS), órgão da Secretaria de Estado da Cultura que lança hoje também o curta-metragem ''RadioOndas Paranaenses'', em homenagem às comemorações do Dia do Rádio e da Radiodifusão, celebrado no dia 25 de setembro. O evento acontece às 17h, no Centro de Convivência Andrade Muricy, em Curitiba.

''Temos que fazer um registro das coisas que aconteceram por aqui porque há muito tempo não é feito um trabalho assim. A Irene Moraes, por exemplo, foi rainha do rádio paranaense nos anos 50 e ninguém conhece essa história'', justifica Tiomkim, que dirigiu a produção dos DVDs e do curta-metragem. De acordo com o cineasta, a preocupação é com a memória da história cultural no Paraná. ''O MIS criou essa 'Série Depoimentos' para resgatar o registro oral de fotógrafos, cineastas, designers, músicos... O primeiro é com radialistas, juntamos dez radialistas pra contar histórias dos anos 50, 60 e etc.'', conta Tiomkim. Cada um dos dez DVDs tem uma hora de duração e ficará no MIS, à disposição dos interessados, entre eles estudantes e pesquisadores. ''O curta tem flashes das entrevistas que fizemos, serve para divulgar essa coleção e também vai ficar à disposição de quem quiser ver no MIS'', complementa.

Além do lançamento do pacote de DVDs e do curta-metragem, a rádio Paraná Educativa apresenta durante a semana uma série de entrevistas com pioneiros da rádio paranaense. Hoje, às 17h, com Rubens Greiffo e Divanil Brasil (AM 630); amanhã, às 13h, com Noemi Osna (AM 630); quarta, às 11h, com Vicente Mikos (AM 630) e na quinta, à meia-noite, com Hélio Pimentel (FM 97,1).

SERVIÇO

- Lançamento do pacote de DVDs 'Série Depoimentos: Radialistas Paranaenses' e do curta-metragem 'RadioOndas Paranaenses'

Quando - Hoje, às 17h

Onde - Centro de Convivência da Casa Andrade Muricy (R. Alameda Dr. Muricy, 915), em Curitiba

Claudio Yuge
Equipe da Folha

Fonte: http://www.bonde.com.br/folha/folhad.php?id=18127LINKCHMdt=20080929


Bookmark and Share Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google Reader Add to Technorati Favorites
Subscreva Paulo Branco Radialista por Email

Radialistas paranaenses recebem homenagem- Paraná ONLINE

17/09/2008 às 15:04:47 - Atualizado em 17/09/2008 às 15:05:51

AE Notícias


Vinícius Coelho, jornalista da Tribuna do Paraná
e do Paraná-Online será um dos homenagemado

Aproveitando as comemorações do Dia do Rádio e da Radiodifusão que acontece no dia 25 de setembro, o Museu da Imagem e do Som, órgão da Secretaria de Estado da Cultura lançará a Coleção audiovisual Série Depoimentos e o curta-metragem RadioOndas Paranaenses com roteiro do professor Márcio Veiga Costa, produção da Cine Roll e direção de Tiomkim.

A execução do projeto foi em parceria com a Paraná Educativa. O primeiro pacote traz 10 Dvds com depoimentos de radialistas e radioatores que marcaram época na era de ouro do Rádio.

A produção da série é o inicio de um projeto inédito do MIS que beneficiará futuramente profissionais de outras áreas como músicos, cineastas, fotógrafos, artistas populares e designers.

A produção da Série Depoimentos de Radialistas Paranaenses traz entrevistas com Renato Mazanek, Ubiratan Lustosa, Paulo Chaves, Sinval Martins,
Gilberto Fontoura, Boris Mozialowski, Irene de Moraes, Elon Garcia, Paulo Branco e Vinicius Coelho.

De 20 de outubro a 2 de setembro, a Rádio Paraná Educativa fará uma série de entrevistas com os pioneiros do rádio (ver grade abaixo).

Lançamento

Série Depoimentos : Radialistas Paranaenses
Curta- Metragem RadioOndas Paranaenses
Data: 29 de setembro (segunda-feira)
Horário: 17 horas
Local: Centro de Convivência da Casa Andrade Muricy
Rua; Alameda Dr. Muricy, 915 - Entrada franca

Fonte: http://www.parana-online.com.br/editoria/almanaque/news/323199/

Bookmark and Share Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google Reader Add to Technorati Favorites
Subscreva Paulo Branco Radialista por Email

Radialistas paranaenses recebem homenagem- Paraná ONLINE

17/09/2008 às 15:04:47 - Atualizado em 17/09/2008 às 15:05:51

AE Notícias


Vinícius Coelho, jornalista da Tribuna do Paraná
e do Paraná-Online será um dos homenagemado

Aproveitando as comemorações do Dia do Rádio e da Radiodifusão que acontece no dia 25 de setembro, o Museu da Imagem e do Som, órgão da Secretaria de Estado da Cultura lançará a Coleção audiovisual Série Depoimentos e o curta-metragem RadioOndas Paranaenses com roteiro do professor Márcio Veiga Costa, produção da Cine Roll e direção de Tiomkim.

A execução do projeto foi em parceria com a Paraná Educativa. O primeiro pacote traz 10 Dvds com depoimentos de radialistas e radioatores que marcaram época na era de ouro do Rádio.

A produção da série é o inicio de um projeto inédito do MIS que beneficiará futuramente profissionais de outras áreas como músicos, cineastas, fotógrafos, artistas populares e designers.

A produção da Série Depoimentos de Radialistas Paranaenses traz entrevistas com Renato Mazanek, Ubiratan Lustosa, Paulo Chaves, Sinval Martins,
Gilberto Fontoura, Boris Mozialowski, Irene de Moraes, Elon Garcia, Paulo Branco e Vinicius Coelho.

De 20 de outubro a 2 de setembro, a Rádio Paraná Educativa fará uma série de entrevistas com os pioneiros do rádio (ver grade abaixo).

Lançamento

Série Depoimentos : Radialistas Paranaenses
Curta- Metragem RadioOndas Paranaenses
Data: 29 de setembro (segunda-feira)
Horário: 17 horas
Local: Centro de Convivência da Casa Andrade Muricy
Rua; Alameda Dr. Muricy, 915 - Entrada franca

Fonte: http://www.parana-online.com.br/editoria/almanaque/news/323199/

Bookmark and Share Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google Reader Add to Technorati Favorites
Subscreva Paulo Branco Radialista por Email

De volta às ondas do rádio - Bem Paraná, por Adriane Perin

Cultura - 26/09/08 17:27 - Série Depoimentos

MIS lança hoje seu novo projeto, uma série de entrevistas em DVD, com personalidades da arte e comunicação do Estado, que começa com entrevistas de dez radialistas

Ao longo desta semana o MIS celebra os radialistas paranaenses, com seu novo projeto, a Série Depoimentos, que entrevistará personalidades da cultura e da comunidação do ParanáAo longo desta semana o MIS celebra os radialistas paranaenses, com seu novo projeto, a Série Depoimentos, que entrevistará personalidades da cultura e da comunidação do Paraná

Nos chamados tempos áureos do rádio, quando o poderoso instrumento de comunicação reinava absoluto na vida dos brasileiros, o sonho da garotada era trabalhar em uma emissora e era de locutores que eles se passavam em suas brincadeiras. O tempo soprou trazendo outros meios, enfraquecendo a força de repercussão das ondas, mas não apagou os bons momentos da lembrança de quem viveu a “era do rádio”.

Alguns deles, com seus mais de 70 anos de existência, se encontram hoje para relembrar. O mote é o lançamento do novo projeto do MIS, a Série Depoimentos, que abre com Radialistas Paranaenses, prestando homenagem também ao Dia do Rádio e da Radiodifusão, 25 de setembro, com entrevistas de dez pessoass que atuaram no Paraná: Renato Mazanek, Ubiratan Lustosa, Paulo Chaves, Sinval Martins, Gilberto Fontoura, Boris Mozialowski, Irene de Moraes, Elon Garcia, Paulo Branco e Vinicius Coelho.

As entrevistas são de Marcio Veiga Costa, do Colégio Estadual do Paraná, sob direção de Tiomkim. Hoje, também será apresentado, o curta RadioOndas Paranaenses, da mesma equipe, e o projeto terá continuidade na Rádio Educativa do Paraná .

Músicos, cineastas, fotógrafos, artistas populares, designers, também estarão em pauta no projeto, que assim cria um importante acervo oral da história da cultura e comunicação paranaenses. “É também uma forma de homenagearmos eles”, comenta o diretor, que teve apoio da Rádio Educativa do Paraná e do Teatro Guaíra. “O próximo será de artistas populares”, adianta.

Figuras — Renato Mazanek, de 70 anos, um dos entrevistados, conta que sempre gostou do rádio porque era algo inédito e “qualquer pessoa queria entrar em uma, pois as emissoras tinham muita presença na cidade”. Um dia, estudando, no tempo em as cadeiras não eram individuais, dividiu o espaço com Nicolau Maeder, já um locutor. “Eu era um adolescente ainda, mas já era metido a crítico e falava muito de rádio, claro, meu assunto preferido. E ele percebendo meu conhecimento disse que um dia eu trabalharia com ele”. O tempo passou, Mazanek foi com a família morar em Santo Antonio da Platina, onde fez um teste para locutor da Difusora Platinense, aos 15 anos, para cobrir férias. “Entrei, mas logo veio a notícia de que voltaríamos para Curitiba. Fiquei frustrado, mas sai a procura de emprego”. Foi então, que reeencontrou o amigo de escola, em frente a Rádio Clube, que lembrou o que havia dito. “Ele ia montar a Rádio Ouro Verde e me chamou pra ajudar”. Daí, então ele passou por várias emissoras. “Fui para a Colombo, a melhor na epoca, só tinha cobra e eu não pensei que conseguiria”, lembra ele, que atuou em rádio novela, fez humor, mas seu prazer maior sempre foi com sonoplastia. “Ah, porque era muito criativo, a gente tinha que inventar, desenvolver efeitos, sons, e era tudo ao vivo”. Por isso, ele acha que foi um período muito mais criativo. “O rádio foi o veículo mais inteligente e que estimulava a inventividade. Você conversava com as pessoas e percebia que elas criavam todo um cenário para as histórias que ouviam”, comenta ele que, depois, foi ajudar no nascimento também da televisão paranaense, o canal 12, ou TV Paranaense, assunto sobre o qual lançou o livro, Ao Vivo e Sem Cores. E sobre o rádio, adianta, vai publicar o seu Ondas Curtas, média sem delonga, em breve. “Hoje, honestamente, a programação do rádio e TV não me agradam. Me incomoda a displiscência, falta de profissionalismo”, diz ele, que deixou a rádio há 25 anos.

Serviço
Série Depoimentos : Radialistas Paranaenses. Dia 29 às 17h. Entrada franca. Centro de Convivência da Casa Andrade Muricy (Alameda Dr. Muricy, 915).

Fonte: http://www.bemparana.com.br/index.php?n=82901&t=de-volta-as-ondas-do-radio

Bookmark and Share Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google Reader Add to Technorati Favorites
Subscreva Paulo Branco Radialista por Email

De volta às ondas do rádio - Bem Paraná, por Adriane Perin

Cultura - 26/09/08 17:27 - Série Depoimentos

MIS lança hoje seu novo projeto, uma série de entrevistas em DVD, com personalidades da arte e comunicação do Estado, que começa com entrevistas de dez radialistas

Ao longo desta semana o MIS celebra os radialistas paranaenses, com seu novo projeto, a Série Depoimentos, que entrevistará personalidades da cultura e da comunidação do ParanáAo longo desta semana o MIS celebra os radialistas paranaenses, com seu novo projeto, a Série Depoimentos, que entrevistará personalidades da cultura e da comunidação do Paraná

Nos chamados tempos áureos do rádio, quando o poderoso instrumento de comunicação reinava absoluto na vida dos brasileiros, o sonho da garotada era trabalhar em uma emissora e era de locutores que eles se passavam em suas brincadeiras. O tempo soprou trazendo outros meios, enfraquecendo a força de repercussão das ondas, mas não apagou os bons momentos da lembrança de quem viveu a “era do rádio”.

Alguns deles, com seus mais de 70 anos de existência, se encontram hoje para relembrar. O mote é o lançamento do novo projeto do MIS, a Série Depoimentos, que abre com Radialistas Paranaenses, prestando homenagem também ao Dia do Rádio e da Radiodifusão, 25 de setembro, com entrevistas de dez pessoass que atuaram no Paraná: Renato Mazanek, Ubiratan Lustosa, Paulo Chaves, Sinval Martins, Gilberto Fontoura, Boris Mozialowski, Irene de Moraes, Elon Garcia, Paulo Branco e Vinicius Coelho.

As entrevistas são de Marcio Veiga Costa, do Colégio Estadual do Paraná, sob direção de Tiomkim. Hoje, também será apresentado, o curta RadioOndas Paranaenses, da mesma equipe, e o projeto terá continuidade na Rádio Educativa do Paraná .

Músicos, cineastas, fotógrafos, artistas populares, designers, também estarão em pauta no projeto, que assim cria um importante acervo oral da história da cultura e comunicação paranaenses. “É também uma forma de homenagearmos eles”, comenta o diretor, que teve apoio da Rádio Educativa do Paraná e do Teatro Guaíra. “O próximo será de artistas populares”, adianta.

Figuras — Renato Mazanek, de 70 anos, um dos entrevistados, conta que sempre gostou do rádio porque era algo inédito e “qualquer pessoa queria entrar em uma, pois as emissoras tinham muita presença na cidade”. Um dia, estudando, no tempo em as cadeiras não eram individuais, dividiu o espaço com Nicolau Maeder, já um locutor. “Eu era um adolescente ainda, mas já era metido a crítico e falava muito de rádio, claro, meu assunto preferido. E ele percebendo meu conhecimento disse que um dia eu trabalharia com ele”. O tempo passou, Mazanek foi com a família morar em Santo Antonio da Platina, onde fez um teste para locutor da Difusora Platinense, aos 15 anos, para cobrir férias. “Entrei, mas logo veio a notícia de que voltaríamos para Curitiba. Fiquei frustrado, mas sai a procura de emprego”. Foi então, que reeencontrou o amigo de escola, em frente a Rádio Clube, que lembrou o que havia dito. “Ele ia montar a Rádio Ouro Verde e me chamou pra ajudar”. Daí, então ele passou por várias emissoras. “Fui para a Colombo, a melhor na epoca, só tinha cobra e eu não pensei que conseguiria”, lembra ele, que atuou em rádio novela, fez humor, mas seu prazer maior sempre foi com sonoplastia. “Ah, porque era muito criativo, a gente tinha que inventar, desenvolver efeitos, sons, e era tudo ao vivo”. Por isso, ele acha que foi um período muito mais criativo. “O rádio foi o veículo mais inteligente e que estimulava a inventividade. Você conversava com as pessoas e percebia que elas criavam todo um cenário para as histórias que ouviam”, comenta ele que, depois, foi ajudar no nascimento também da televisão paranaense, o canal 12, ou TV Paranaense, assunto sobre o qual lançou o livro, Ao Vivo e Sem Cores. E sobre o rádio, adianta, vai publicar o seu Ondas Curtas, média sem delonga, em breve. “Hoje, honestamente, a programação do rádio e TV não me agradam. Me incomoda a displiscência, falta de profissionalismo”, diz ele, que deixou a rádio há 25 anos.

Serviço
Série Depoimentos : Radialistas Paranaenses. Dia 29 às 17h. Entrada franca. Centro de Convivência da Casa Andrade Muricy (Alameda Dr. Muricy, 915).

Fonte: http://www.bemparana.com.br/index.php?n=82901&t=de-volta-as-ondas-do-radio

Bookmark and Share Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google Reader Add to Technorati Favorites
Subscreva Paulo Branco Radialista por Email

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html