segunda-feira, 29 de setembro de 2008

De volta às ondas do rádio - Bem Paraná, por Adriane Perin

Cultura - 26/09/08 17:27 - Série Depoimentos

MIS lança hoje seu novo projeto, uma série de entrevistas em DVD, com personalidades da arte e comunicação do Estado, que começa com entrevistas de dez radialistas

Ao longo desta semana o MIS celebra os radialistas paranaenses, com seu novo projeto, a Série Depoimentos, que entrevistará personalidades da cultura e da comunidação do ParanáAo longo desta semana o MIS celebra os radialistas paranaenses, com seu novo projeto, a Série Depoimentos, que entrevistará personalidades da cultura e da comunidação do Paraná

Nos chamados tempos áureos do rádio, quando o poderoso instrumento de comunicação reinava absoluto na vida dos brasileiros, o sonho da garotada era trabalhar em uma emissora e era de locutores que eles se passavam em suas brincadeiras. O tempo soprou trazendo outros meios, enfraquecendo a força de repercussão das ondas, mas não apagou os bons momentos da lembrança de quem viveu a “era do rádio”.

Alguns deles, com seus mais de 70 anos de existência, se encontram hoje para relembrar. O mote é o lançamento do novo projeto do MIS, a Série Depoimentos, que abre com Radialistas Paranaenses, prestando homenagem também ao Dia do Rádio e da Radiodifusão, 25 de setembro, com entrevistas de dez pessoass que atuaram no Paraná: Renato Mazanek, Ubiratan Lustosa, Paulo Chaves, Sinval Martins, Gilberto Fontoura, Boris Mozialowski, Irene de Moraes, Elon Garcia, Paulo Branco e Vinicius Coelho.

As entrevistas são de Marcio Veiga Costa, do Colégio Estadual do Paraná, sob direção de Tiomkim. Hoje, também será apresentado, o curta RadioOndas Paranaenses, da mesma equipe, e o projeto terá continuidade na Rádio Educativa do Paraná .

Músicos, cineastas, fotógrafos, artistas populares, designers, também estarão em pauta no projeto, que assim cria um importante acervo oral da história da cultura e comunicação paranaenses. “É também uma forma de homenagearmos eles”, comenta o diretor, que teve apoio da Rádio Educativa do Paraná e do Teatro Guaíra. “O próximo será de artistas populares”, adianta.

Figuras — Renato Mazanek, de 70 anos, um dos entrevistados, conta que sempre gostou do rádio porque era algo inédito e “qualquer pessoa queria entrar em uma, pois as emissoras tinham muita presença na cidade”. Um dia, estudando, no tempo em as cadeiras não eram individuais, dividiu o espaço com Nicolau Maeder, já um locutor. “Eu era um adolescente ainda, mas já era metido a crítico e falava muito de rádio, claro, meu assunto preferido. E ele percebendo meu conhecimento disse que um dia eu trabalharia com ele”. O tempo passou, Mazanek foi com a família morar em Santo Antonio da Platina, onde fez um teste para locutor da Difusora Platinense, aos 15 anos, para cobrir férias. “Entrei, mas logo veio a notícia de que voltaríamos para Curitiba. Fiquei frustrado, mas sai a procura de emprego”. Foi então, que reeencontrou o amigo de escola, em frente a Rádio Clube, que lembrou o que havia dito. “Ele ia montar a Rádio Ouro Verde e me chamou pra ajudar”. Daí, então ele passou por várias emissoras. “Fui para a Colombo, a melhor na epoca, só tinha cobra e eu não pensei que conseguiria”, lembra ele, que atuou em rádio novela, fez humor, mas seu prazer maior sempre foi com sonoplastia. “Ah, porque era muito criativo, a gente tinha que inventar, desenvolver efeitos, sons, e era tudo ao vivo”. Por isso, ele acha que foi um período muito mais criativo. “O rádio foi o veículo mais inteligente e que estimulava a inventividade. Você conversava com as pessoas e percebia que elas criavam todo um cenário para as histórias que ouviam”, comenta ele que, depois, foi ajudar no nascimento também da televisão paranaense, o canal 12, ou TV Paranaense, assunto sobre o qual lançou o livro, Ao Vivo e Sem Cores. E sobre o rádio, adianta, vai publicar o seu Ondas Curtas, média sem delonga, em breve. “Hoje, honestamente, a programação do rádio e TV não me agradam. Me incomoda a displiscência, falta de profissionalismo”, diz ele, que deixou a rádio há 25 anos.

Serviço
Série Depoimentos : Radialistas Paranaenses. Dia 29 às 17h. Entrada franca. Centro de Convivência da Casa Andrade Muricy (Alameda Dr. Muricy, 915).

Fonte: http://www.bemparana.com.br/index.php?n=82901&t=de-volta-as-ondas-do-radio

Bookmark and Share Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google Reader Add to Technorati Favorites
Subscreva Paulo Branco Radialista por Email

Nenhum comentário:

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html