sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Todo o adeus traz recordações

ONDE O MUNDO COMEÇA

Ubiratan Lustosa
Estamos vivendo as últimas páginas de um ano que se vai. É o Ano Velho em seu último alento, a entrar no rol das coisas do passado.
Há um certo mistério nas coisas que se vão. Há uma certa nostalgia em toda despedida, porque todo adeus traz recordações e as lembranças sempre são acompanhadas de saudade. Recordamos os momentos bons, os instantes de alegria, as ocasiões em que nos sentimos felizes. Desfrutamos outra vez o bem-estar que esses acontecimentos nos trouxeram. Até os momentos difíceis pelos quais passamos são lembrados, mesmo que, evidentemente, não desejemos vivê-los outra vez. Tudo aflora à nossa lembrança já suavizado pelo tempo, esse sábio mestre que nos ensina tanto
.
Sim, há um certo mistério nas coisas que se vão.
E seguimos pela vida, deixando pedaços de nós ao longo do caminho. Por onde já passamos ficou um pouco de nós.
Nessa etapa da vida que termina com o ocaso de mais um ano, provavelmente tivemos acertos e cometemos enganos, conseguimos ser brilhantes e também fomos banais. Feito um balanço geral de nossa atividade no ano que finda poderemos estabalecer as diretrizes para a fase que começa. Nos umbrais de um novo ano renovam-se as esperanças, os sonhos renascem e surge nova oportunidade para uma tomada de posição. Podemos estabelecer por meta dar a nossa contribuição para a edificação de um mundo melhor. E como o mundo começa dentro de cada um de nós, vamos começar por nós mesmos a reforma do mundo. A gente pode procurar ser hoje melhor do que ontem e amanhã melhor do que hoje.
Que todos tenhamos forças para lutar e saibamos ser humildes nas vitórias e dignos nas derrotas. Que saibamos amar e perdoar, que jamais se quebrante a nossa fé, que nunca esmaeça a nossa esperança e sempre tenhamos ânimo forte para enfrentar a vida.
Eu peço a Deus que nos abençoe e dê felicidades nesse ano que chega.
(E que nossa amizade permaneça.Feliz Ano novo,amigos-PB)

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Muito obrigado amigos

A dois anos passados iniciei este Blog mais para contar minha vida profissional e também como funcionavam as coisas do rádio  a mais de 50 anos atrás.
Acho que consegui rememorar desde meu teste de admissão na Rádio Cultura de Erechim RS em 1952.
Não tive outra profissão que não fosse o rádiojornalismo.
Nos últimos 20 anos exercitei o rádio estatal,fiz concurso e acabei me aposentando como servidor público
estadual no cargo de Agente Profissional de Comunicação Social.
Mas voltemos ao Paulo Branco.com  e  aqui quero expressar meu mais profundo agradecimento a todos os que direta ou indiretamente me ajudaram  a chegar até 30 de Dezembro de 2010.
Que o " O patrão velho lá de cima abençoe todos vocês"!
Continuo esperando a ajuda de todos,lendo,criticando,sugerindo matéria para nosso modesto blog.
 
Só me resta cantar:

"Deixa a vida me levar...Lá vou eu...Sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu".

Postado no inicio de 2008

"Parana Bom Dia" - 

..voltando as recordações: comecei então apresentar o programa "Paraná Bom Dia" com 03 horas de programação, que deveriam ser renovadas todos os dias.
De 15 em 15 minutos trocava o ritmo musical e muita hora certa.
Tive a oportunidade de ser intermediário na ajuda a muitas pessoas, conseguindo passagens àqueles que necessitavam tratamento de saúde, cadeiras de rodas, internações hospitalares e por aí a fora. Fazia de tudo para ajudar, já que tinha um microfone e um veículo de grande audiência como a RI (Rádio Independência). Chegaram a me propor uma candidatura num cargo eletivo, o que de pronto recusei. Respondi que se atuava a favor da população, não achava justo (como acho ainda) entrar em suas casas e pedir voto.
Se o fizesse, estaria cobrando pelo que fazia.
Recém chegado em Curitiba, eu gostava mesmo de ser convidado e comparecer em festas, divulgar meu programa e fazer amigos, como de fato consegui.
A rádio era minha família aqui na terra dos pinheirais.
A RI foi pioneira na transmissão 24 horas por dia.
Não eram só programas de música, sempre havia um apresentador informando, interagindo com ouvintes e repórteres pelas ruas, inclusive com a grande equipe de esportes, sob o comando de Willi Gonzer. Tem mais.

Postagem de abril 2008

As equipes do rádio

Não foi uma, nem duas as equipes das quais participei, que eram formadas pelos melhores profissionais da época.
No entanto, não conseguiram sobreviver por muito tempo.
Olhe que não foi falta de engajamento de seus profissionais ao projeto.
Algumas formadas com objetivos claramente políticos, que depois que atingiam seus ideais, deixavam seus integrantes a ver navios.
Nada a fazer. Muitas vezes não havia contrato, nem carteira assinada.
A última aguentou dois anos, era a da Rádio Cidade, hoje Rádio Globo.
Naufragou junto com o Consórcio Nasser, grupo proprietário.
Foi a maior e melhor equipe que já integrei.
Mas esta história fica para mais adiante, porque antes vou contar quando esttive na Rádio Guairacá, sob a direção do Grupo Paulo Pimentel.
Ali trabalhei por 9 anos, até que o governo militar cassou seu prefixo, quando então já era Rádio Iguaçu. Motivo: política. Até mais.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Vivendo e aprendendo - Origem dos talheres

Até o século XI, quase todo mundo comia com as mãos.
Os mais educados eram aqueles que usavam apenas três dedos para levar o alimento à boca.
Naquele século, Domenico Salvo, membro da corte de Veneza, casou-se com a princesa Teodora, de Bizâncio.
Ela trouxe no enxoval um objeto pontudo, com dois dentes, que usava para espetar os alimentos.
Esse primeiro garfo foi considerado uma heresia: o alimento, fornecido por Deus era sagrado e tinha de ser comido com as mãos.
Mas, pouco a pouco, membros da nobreza e do clero foram adotando o talher. O hábito demorou para pegar entre a população: com mais dentes, o espeto só se tornou popular mesmo no século XIX. Já a faca é o mais antigo dos talheres: foi o Homo erectus, que surgiu na Terra há 1,5 milhão de anos, quem criou o primeiro objeto cortante, feito de pedra, para caça e defesa. Desde então, o homem sempre carregou uma faca.
Na Idade do Bronze, que começou por volta de 3000 a.C., ela passou a ser feita com esse metal e a mesma faca que servia para matar era usada também para descascar frutas.
O primeiro a sugerir que cada homem deveria ter um talher para ser usado exclusivamente à mesa foi o cardeal francês Richelieu (1585-1642), um fervoroso defensor das boas maneiras, por volta de 1630.
Ao contrário da faca, a colher já surgiu com o objetivo de ser usada à mesa.
Há registros arqueológicos de artefatos parecidos com mais de 20 000 anos, feitos de madeira, pedra e marfim. Mas, no início, a colher era de uso coletivo e parecia uma concha.
"Quando surgiu o pão, há 12 000 anos , já se usava uma colher para jogar o caldo sobre ele", afirma o sociólogo Gabriel Bollaffi, da Universidade de São Paulo (USP).
Fonte: super.abril.uol.com.br

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

No tempo das carroças

 CID DESTEFAN
O assunto mais falado no momento em todos os espaços da mídia nacional, e por todos os pontos de reuniões, é o desastre envolvendo dois automóveis, ocorrido há pouco mais de uma semana em Curitiba, no qual dois jovens perderam as vidas.
Os comentários gerais, além das outras infrações existentes, versam sobre a velocidade alcançada pelo veículo causador da catástrofe. A celeridade que se pode alcançar com um automóvel nas vias públicas é a causa de muitas calamidades no trânsito.
Há poucos anos, o Fernando Collor – então presidente – comparou os automóveis brasileiros como sendo verdadeiras carroças, o que não era verdade. Hoje a maioria dos carros tem motores que podem proporcionar, com facilidade, velocidades superiores a 200 quilômetros por hora.
O que não deixa de ser uma bestialidade em mãos de irresponsáveis.

A conversa surgiu no bar do Maneco, onde existe uma coleção de fotos antigas, entre elas uma feita na Serra da Esperança, em Guarapuava, na década de 1930. A imagem mostra um comboio de carroças na estrada; cada uma delas era tracionada por oito animais, combinados com a presença de mulas e cavalos. A curiosidade versava exatamente sobre a velocidade de tais carroças: quanto tempo levavam para vencer o trajeto, por exemplo, entre Guarapuava e Curitiba?
Tais veículos estavam preparados para transportar 3 mil quilos de carga, que naquela época era geralmente de erva-mate. Esse transporte era feito então até Ponta Grossa, e daí para frente por via férrea. Não foi possível chegar a calcular o tempo preciso para vencer tal distância.
Por experiência própria, lembro que para vencer o trecho entre minha casa, no bairro do Batel, até a Fazenda Rio Grande, em carroça mais leve e tracionada por dois cavalos, era em torno de 8 horas. O caminho era feito pelo Portão, Pinheirinho e pelo Umbará, onde se transpunha o Rio Iguaçu pela ponte coberta de zinco – não existia a estrada atual.
Tal estrada, construída após o término da guerra em 1945, eu a vi sendo demarcada em frente da casa do colono André Seniski, onde, na infância, passava minhas férias escolares. Tal estrada era a ligação para o Rio Grande do Sul. Lembro ainda que todos se referiam a ela como sendo a Estrada Estratégica. Quando ficou pronta, com seu leito de terra, raramente passavam um ou dois automóveis em toda uma semana.
Tenho, então, a velocidade de uma carroça leve trafegando normalmente, 30 quilômetros percorridos em 8 horas – e obviamente, com parada para lanche e aguar os cavalos – nos dá uma média de 4 mil metros por hora. Fico imaginando que, para chegar ao mesmo local hoje, levo 20 minutos em automóvel, o que vem me dar a certeza de que cheguei a viver um tempo em que ser vagaroso era estar desfrutando boa qualidade de vida.

fonte;GAZETA DO POVO

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Carroças antigas

O prédio duplo, no início do século XX, quando as carroças para o transporte de mercadorias ainda reinavam sem concorrência nas imediações da estação ferroviária:


Foto: José Marques Pereira, in jornal Espaço Aberto 153, Santos/SP, 24/1 a 6/2/1992
Esta foto foi transformada em cartão postal, com o título "Santos. Câmara Municipal e Casa Zerrenner, Büllow & Cia.".  Lembra o cartofilista José Carlos Silvares que "o conjunto de estilo neoclássico do Largo Marquês de Monte Alegre, no Valongo, serviu de sede da Câmara e da Prefeitura de Santos (antes Intendência), entre o final do século XIX e 1939, quando os dois poderes se transferiram para o atual prédio da Praça Mauá.
No térreo dos casarões, construídos com material importado pelo comendador Manoel Joaquim Ferreira Netto (que também construiu a Casa de Frontaria Azulejada, na Rua de Santo Antonio, atual do Comércio), funcionavam comércios. Embaixo da Câmara ficava a Zerrener, Büllow & Cia., importadora de máquinas industriais e matéria prima para a Companhia Antarctica Paulista.
Os sócios Antonio Zerrener e Adam Ditrik von Büllow, acionistas da cervejaria e principais credores, assumiram o controle quando foi à falência, em 1893. Herdeiros alemães foram donos da empresa até 1940, quando morreram sem deixar sucessores. 
A companhia foi incorporada à União e recomprada por diretores brasileiros.


Com a mudança dos poderes para a Praça Mauá, os prédios foram ocupados por escritórios, bares e hotéis, de 1940 a 1976, mas entraram em decadência.
Incêndios em 1985 e 1992 os deixaram em ruínas. O conjunto fica em frente à Igreja do Valongo e à antiga estação da São Paulo Railway.
A Prefeitura tem projeto para recuperar os imóveis":

sábado, 25 de dezembro de 2010

ME TOQUE


 

Neste final de ano, reflita sobre este tema: Quando crescemos, passamos a ter vergonha de tocar carinhosamente os nossos pais, filhos ou amigos. Mas o toque é uma importante mensagem sobre os nossos sentimentos. E é uma forma de trazer mais felicidade ao próximo.

"Por favor, me toque"
por Phyllis Koehler Davis

Se sou bebê,
Por favor, me toque.
Preciso do seu afago de uma maneira que talvez nunca saiba.
Não se limite a me banhar, trocar a minha fralda e me alimentar,
Mas me embale juntinho de você, beije meu rosto e acaricie meu corpo.
Seu carinho gentil e confortador me transmite segurança e amor.

Se sou criança,
Por favor, me toque.
Ainda que eu resista e até o rejeite,
Insista, descubra um jeito de atender minha necessidade.
Seu abraço de boa noite adoça meus sonhos.
Seu carinho de dia me diz o que você sente de verdade.
Se sou seu filho adolescente,
Por favor, me toque.
Não pense que eu, por estar quase crescido, já não precise saber que você
ainda se importa.
Necessito de seus braços carinhosos, de uma voz terna.
Quando a vida fica difícil, a criança em mim volta a precisar.
Se sou seu amigo,
Por favor, me toque.
Nada como um abraço afetuoso para eu saber que você pensa em mim.
Um gesto de carinho quando estou deprimido garante que sou amado,
E me reafirma que não estou só
Seu gesto de conforto talvez seja o único que eu consiga.
Se sou seu companheiro,
Por favor, me toque.
Talvez você pensa que sua paixão basta,
Mas só seus braços detém meus temores.
Preciso de seu toque terno e confortador, para me lembrar que sou amado.

Se sou seu filho adulto,
Por favor, me toque
Embora eu possa até ter minha própria família para abraçar, ainda preciso dos seus braços quando me machuco.
Como filho adulto, a visão é diferente, mas eu os estimo mais ainda.
Se sou seu pai idoso,
Por favor, me toque,
Do jeito que me tocaram quando era bem pequeno.
Segura minha mão, sente-se perto de mim, dê-me força
E aqueça meu corpo cansado com sua proximidade.
Minha pele, ainda que enrugada, adora ser afagada,
Não tenha medo,
Apenas me toque.


sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

SIMPLES,ASSIM!!

Que Papai Noel lhe traga tudo de bom que você pediu e 
mais alguma coisa boa que você esqueceu.

Um Feliz Natal e Boas Festas!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

O PODER

Há pessoas que amam o poder,
e outras que tem o poder de amar!    Bob Marley

Que o dia de hoje tenha bastante calor humano.
E que a iniciativa de ajudar esteja sempre presente em nossas vidas!
BOM MESMO É IR À LUTA COM DETERMINAÇÃO,
ABRAÇAR A VIDA E VIVER COM PAIXÃO,
PERDER COM CLASSE E VIVER COM OUSADIA,
POIS O TRIUNFO PERTENCE A QUEM SE ATREVE,
E A VIDA É MUITO BELA PARA SER INSIGNIFICANTE.
(Charles Chaplin)

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Qual é a comemoração de hoje

Todo dia é dia de alguma coisa


Enquanto algumas populações de outras partes do mundo esfalfa-se de trabalhar, nós aqui vamos levando tudo na flauta.
 Muitos feriados em vista, isso sem falar que o ano passado foi recorde de feriados prolongados.
 E olha, o Brasil cresceu muito, acima de outros países, então imagina se houvessem menos feriados.
Mas o assunto é este ano de 2010, então vejamos o calendário: Festas e comemorações pela entrada de um novo ano; logo vem o Carnaval e, mais uma vez, vamos cair na farra. Depois vem a Páscoa, muito chocolate, presentes pra todo mundo, e em Maio temos o Dia do Trabalho.
 Maio é também o mês das noivas, além do Dia da Mães.
 Junho teremos as festas juninas, que também acontecem no início de Julho, as chamadas festa julinas..
 Bem, depois vem Agosto, com o Dia dos Pais, e também o mês é conhecido como o mês do cachorro louco.
 Chega Setembro, e logo no início a Semana da Pátria, bandas, desfiles, etc... e tal. Mas tem muito mais, quando Outubro chegar, nos encontramos com o Dia da Criança e logo depois, Novembro vem com o Dia dos Mortos. Mas ainda tem Dezembro, mês que comemoramos o Natal, e no fim, novamente um ano novo.
 Em meio a tudo isso, teremos o Dia de Curitiba, o Dia do Estado, e o Dia Mundial "disso e daquilo" e tudo mais. Ah...!, tem também o Dia do Trabalho, do Radialista, do Jornalista e outros "istas", que não lembro agora. Mas lembro que ainda teremos as eleições em Outubro, quando encolheremos um novo Presidente e Deputados, além de dois Senadores, que naturalmente incluirão em nosso calendário mais algumas datas festivas.
 E Viva o Brasil festeiro, porque só trabalhar ninguém aguenta, não é mesmo? Estou de saída para curtir o comecinho do verão brasileiro.
 Fui, mas volto, amanhã mesmo.
 Navegar e navegar, não no sentido de Pompeu - "Navigare necesse; vivere non est necesse" -, mas no sentido de Fernando Pessoa em "Navegar é preciso".
 Só pra não esquecer e preparar as festas, vai abaixo a lista dos feriados oficiais:


Lista de Feriados (oficiais) - 2010
01/Jan - Confraternização Universal
16/Fev - Carnaval
17/Fev - Cinzas até 12h.
31/Mar - Aniversário de Curitiba
02Abr - Sexta-Feira Santa
04/Abr - Páscoa
21/Abr - Tiradentes
01/Mai - Dia do Trabalho
03/Jun Corpus Christi
09/Jul - Revolução Constitucionalista de 1932
07/Set - Independência do Brasil
08/Set - Feriado em Curitiba, Dia de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais12/Out - Nossa Sra. Aparecida e das Crianças
02/Nov - Finados
15/nov - Proclamação da República
20/Nov - Dia da Consciência Negra
25/Dez - Natal
31/Dez - Reveillon

         Harre...hufa!!!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

A CEIA DOS CARDEAIS ( a pedido)

A Voz Nativa da Terra dos Pinheirais
Uma vez por mês, preferencialmente na última quinta-feira, um grupo de senhores de certa idade reúne-se em torno de uma mesa de restaurante em Curitiba.
São professores, advogados, publicitários, médicos, empresários e ex-funcionários públicos que têm algo em comum: fizeram parte do elenco da Rádio Guairacá de Curitiba e ajudaram a escrever a história do rádio paranaense, nos áureos tempos das ondas médias, quando o rádio tinha corpo, alma e conteúdo; era feito ao vivo; locutor sabia falar e tinha voz de locutor; operador de som era um técnico e não se limitava a manusear botões; e o rádio era o grande veículo de comunicação e distração nacional
. São os remanescentes da gloriosa ZYM-5, “A Voz Nativa da Terra dos Pinheirais”. Dos “sobreviventes”, costumam responder presente (pela ordem de importância): Elon Garcia, Sérgio Luiz (Picheto), Euclides Cardoso, Renato Mazânek, Ito Fabrício de Mello, Álvaro D’Tullio, Otto Weismeyer, Josué Pinheiro, Alceu Gineste, Luís Renato Ribas, Manoel Afonso, Luís Ernesto, Gilberto Fontoura e o ex-locutor que vos fala.

O encontro normalmente começa com um preito de saudade àqueles que já se foram, como Aluízio Finzetto, Ivan Curi, Wanderley Dias, Acari Juruá, Benevides Prado, Humberto Lavalle, Edumar Pires, Júlio Xavier Viana, Maria Helena, Lourival Portela Natel, Abílio Ribeiro, Colombino Grassano, Alcindo Palhares, Aníbal Coderini, Afonso Riesemberg, Colmar Rocha Braga, Gedeon de Souza, Janguito do Rosário, Nhô Belarmino e Nhá Gabriela, Martins Rebelatto, Remy Dullius, Enoli Brígida, Romualdo Ousaluk, Orlando Alberti, Werner Riecks, Medeiros Filho, Bráulio Prado, Paulo César (Etevaldo Cunha Santiago), Gilberto Cadamuro, Israel Correia, Manoel Muzillo, Caiuby Muniz, Enéas Faria, entre outros. Depois, lamenta-se a ausência dos que não puderam vir (ou não foram localizados), como Jair Brito, Ália Haddad, Ayrton Marino, Archimedes Macedo, João Féder, Túlio Vargas, Norberto Castilho, Mansur Teófilo, Zé Pequeno, Cândido Gomes Chagas, Mauro Edson, Dilson Sallas, Itané Leão, Aloar Ribeiro, Evanira dos Santos, Kit Abdala, Boleslau Sliviany, Yara Dinah, Adelson Alves, Darcy Costa, Gerson Paes, Hugo Luciano, Luiz Carlos Rosa, João Isidoro, Maria Aparecida, Denísio Belotti, Osmar Hagmeyer, Pier Nota, Pedro Boralli, Carneiro Neto, Rafael Iatauro…
A pauta da conversa é variada, com destaque para os grandes feitos da “Taba M-5″ e as mancadas históricas diante do microfone. Outra obrigação à mesa é falar mal de antigos colegas, presentes ou ausentes (preferencialmente dos ausentes, porque, segundo Ariano Suassuna, falar mal de alguém na frente dele é sempre constrangedor, para as duas partes).
Prólogo
Na última reunião do grupo, o assunto inicial foi o recém- lançado livro Sintonia Fina -Histórias do Rádio, de Jamur Júnior, no qual o autor, com o propósito de contar a história do rádio paranaense, marca mais a própria presença no dito, como, aliás, já fizera com o anterior, sobre a TV.
- O Jamur tem ressentimento da Guairacá, diagnosticou um dos presentes. Ele quis trabalhar lá, nos anos de ouro, mas não conseguiu. O Curi até pensou na hipótese, mas isso só ocorreu quando a emissora já amargava fase de decadência, um pouco antes de virar Iguaçu.
Aí o diálogo pegou fogo:
- Não é bem isso. Na verdade, o Jamur foi uma figura importante na história da televisão, mas no rádio dos anos dourados teve uma presença apenas periférica.
- Ele teve algum destaque na Rádio Cultura, de Abílio Holzmann, que também ficava na Rua Barão do Rio Branco. Diz que atuou na Colombo e na Ouro Verde, mas não há lembrança disso. Na Independência, também foi só muito tempo depois.
- Sobre a Guairacá, creio, ele andou perguntando apenas ao Féder e ao Gilberto Fontoura. (Nota do redator: Gilberto não se achava presente naquela noite.) E o Gilberto era então apenas uma criança, que atuava no “Clube Mirim”, do Finzetto, e depois passou a ajudar o pessoal do esporte.
- É, mas o Jamur gosta dele. Nós também gostamos, mas ele não é a única fonte disponível.
- O valor do livro do Jamur é inegável, como também é inegável que muita gente importante na trajetória do rádio no Paraná foi esquecida, não se sabe se propositadamente ou não.
- Realmente, deixar de citar pessoas como Nilda Ferreira, Dulce Soares, Camilo Jorge Grabski, Zé Pequeno, Remy Dullius, J.J. Puppia, Eolo de Oliveira, Gedeon de Souza, Hugo Luciano, Ivo Garcia, Edmond Fatuch, Ália Hadad, Antônio Carlos Rocha, Adelson Alves, Antero da Silveira, Edson Luiz Militão, Mauro Edson, Moacyr Pereira, Luiz Renato Ribas, Luiz Augusto Xavier, Milton Müller, Mano Bastos, Olegário Mariano, Kolbert Elias, Pedro Sartorelli, Roberto Souza, Luiz Menzel, Alceu Gineste, Renê Barwinski, Luiz Rodrigues, Álvaro D’Tullio, Rogério Camargo, Victo Johnson, Victor Miroslau, Reinaldo Camargo, Sil Viany, Camargo Amorim, Sansores França, Adilson Machado, Ismael Lago, Paulo Branco, Hélios Chasko, Francisco Rocamora, Harley Santos, Jair Souza Dias, Alceu Schuab e tantos outros, é não conhecer a história do rádio do Paraná.
- Pior do que isso, nomes de importância indiscutível, com os quais ele conviveu na televisão, como Romualdo Ousaluk, Flávio Menghini, Mário Bittencourt, Fritz Bassfeld, Tônio Luna, Carlos Marassi…
- E o Renatinho Mazânek, aqui presente, que conhece como poucos a história do rádio paranaense, participou dela diretamente e foi quem levou o Jamur para a televisão, nos primeiros tempos do Canal 12?!
- Mais destaque e importância deveriam ter merecido, também, José Wanderley Dias, Aluízio Finzetto, Irene Moraes, Sérgio Luiz, Euclides Cardoso, Tônia Maria, Souza Moreno, Mário Vendramel, Azor Silva, Ivo Ferro, Belarmino e Gabriela, Hamilton Corrêa, Antenor Santos…
Aí sobrou para mim:
- E você, Célio, que, além de haver atuado como locutor e apresentador nas rádios Santa Felicidade, Guairacá, Colombo, Ouro Verde, Cruzeiro do Sul e Independência, assinou importantes colunas sobre rádio nos jornais A Tarde, O Dia e Última Hora?…
Fui obrigado a responder:
- É, mas como colunistas também deixaram de ser citados e consultados Luiz Renato Ribas, do Diário do Paraná; Marcus Aurélio de Castro, do Correio do Paraná, e Zeno Otto, da Tribuna do Paraná.
O Jamur certamente não precisou da nossa ajuda. Depois, Célio Guimarães hoje têm três: o original, aqui presente, e dois como pseudônimos, um na Rádio Globo, de São Paulo, e outro na Difusora FM, da Lapa.
Passado o momento inicial de lamento e indignação, retornou-se a rotina e voltou-se a tratar do que é mais caro para os comensais: o culto à memória da velha “Voz Nativa da Terra dos Pinheirais”.
“Esta terra tem dono!”
A Rádio Sociedade Guairacá Ltda., ZYM-5 – a terceira emissora de Curitiba (depois da Clube Paranaense, de 1924; e da Marumby, de 1946, embora esta tivesse os estúdios e transmissores em Campo Largo) e a quarta do Paraná (em 1940, fora inaugurada a Clube Pontagrossense) – iniciou suas atividades em 19 de outubro de 1947. A concessão fora outorgada um ano antes, em 24 de dezembro de 1946, a um grupo de empresários e políticos, liderado pelo então governador do Estado, Moyses Lupion (os demais eram João Brasílio Ribas, Murilo Lupion de Quadros, Aluízio Finzetto, Honorato Lupion Pereira e, posteriormente, Pedro Máximo Lupion).
Com transmissores no bairro do Guabirutuba e torre no Corte Branco (hoje, Atuba), os estúdios e a administração da emissora já ocupavam todo o andar superior do amplo sobrado da Rua Barão do Rio Branco n.º 167, esquina com a José Loureiro, sobre as Lojas Hermes Macedo. No topo da escadaria de acesso, no salão da recepção, tinha destaque a imagem-símbolo da “Voz Nativa da Terra dos Pinheirais”: o cacique Guairacá, com o seu bastão, que se tornara célebre no episódio em que expulsou os invasores do território paranaense com uma sonora pancada no chão e a histórica frase “Esta terra tem dono!”.
Escola de rádio
– Desde o início, a Guairacá foi uma escola! – recorda o jornalista Cândido Gomes Chagas, que iniciou ali a sua carreira, então como repórter esportivo, completando: “Mas além de radialistas, ali se formaram grandes amizades. A equipe era composta de jovens, estudantes em sua maioria, que faziam rádio por amor, sem grande preocupação com o profissionalismo”.
O fato é que, com seus 10kW de potência (uma fábula para a época), a nova emissora já nasceu grande. Com uma programação eclética e “cast” próprio – que incluía locutores, apresentadores, noticiaristas, técnicos de som, produtores, equipe de esportes, atores e atrizes, cantores, humoristas e até uma orquestra completa, regida pelo maestro Bento Mossurunga -, “A Voz Nativa da Terra dos Pinheirais” mandava ao ar, pelos 560kc, música, notícia e diversão, em programas de estúdio (eram três) e de auditório, novelas, reportagens e jornadas esportivas. Uma de suas principais estrelas era a dupla caipira Nhô Belarmino e Nhá Gabriela, que fazia a festa aos domingos em “A Feira da Alegria”:
“O boa noite das Casas Lorusso / O nosso boa noite
também / Muitas felicidades / E que o anjos digam amém”.
Outra figura marcante, na época, foi José Wanderley Dias, então um jovem estudante de direito. Ele escrevia programas, criava vocabulário e colecionava sucessos. Um deles foi a série “Os Troncos dos Pinheirais”, em 1953, em comemoração ao centenário do Paraná, com a radiofonização semanal da vida de algumas das mais representativas figuras do Estado.
“Cem anos de imortais, perenes glórias,
Guardados na mais linda das histórias,
Cem anos como iguais, ouvi, não há:
Centenário e glorioso Paraná!”.
A narração era de Aluízio Finzetto, com a participação do “Cast Correia Jr”: Edumar Pires, Ivan Curi, Acari Juruá, Júlio Xavier Viana, Maria Helena, Esli Iara, Benevides Prado, Rocha Braga, Enoli Brígida, Celso Veras, Diva Muniz e Afonso Riesemberg.
Do alto da Magirus
A liderança nas transmissões esportivas era indiscutível. Nem que, para isso, fossem necessárias algumas façanhas. Uma delas, também lembrada por Cândido Gomes Chagas, ocorreu em fevereiro de 1948 e virou notícia nacional: “A diretoria do C.A. Ferroviário (hoje, Paraná Clube), descontente com comentários de Rocha Braga, proibiu a entrada do locutor no Estádio Durival de Brito. Mas a emissora decidiu que sem o Braga não tinha transmissão. Encontrou-se a solução junto ao Corpo de Bombeiros: uma escada “Magirus” foi levantada na área externa do estádio e, do topo da mesma, a dupla Rocha Braga-João Féder cumpriu a sua tarefa. Tudo saiu perfeito e o ibope, como sempre, estourou”.
O próprio Candinho, como repórter, fez o vai-e-vem do campo e dos vestiários à improvisada cabine. Na semana seguinte, os cartolas cancelaram a punição. Na equipe esportiva, além de Rocha Braga, Féder e Candinho, atuavam Colombino Grassano, Mbá de Ferrante, Flávio Ribeiro, Wanderley Dias, Fernando e Álvaro Zgôda, Carlos Langer Neto e João Ribeiro.
Atrações M-5
Além dos programas já citados, do radioteatro e das jornadas esportivas, fizeram história no microfone de ZYM-5, entre tantos: “Clube Mirim” e “Clube Juvenil M-5″, com Aluízio Finzetto; “Caixa de Surpresas”, com Júlio Xavier Viana; “Hora da Ave Maria”, com Lourival Portella Natel; “Turbilhão de Atrações”, com Paulo César; “Grande Jornal Falado Guairacá”, com Ivan Curi e Elon Garcia; “O Mundo em que Vivemos”, de Romualdo Ousaluk; “Terra de Homens”, de Norberto Castilho; e “Aí Vem o Sucesso!”, de Euclides Cardoso, com Sérgio Luiz, depois Hugo Luciano e, finalmente, o locutor que voz escreve.
Declínio, silêncio e saudade
No final da década de 60, com o a ditadura militar e a perseguição aos políticos, entre os quais o ex-governador Lupion, a Guairacá entrou em declínio: começou a perder anunciantes e elenco, e acabou sendo transferida para Samuel Silveira, da Rádio Cruzeiro do Sul. Em 1968, foi negociada com o Grupo Paulo Pimentel, passando a denominar-se, a partir de 1972, Rádio Iguaçu, com uma programação musical e de utilidade pública.
Em 1977, como parte do boicote político sofrido pelo ex-governador Pimentel, a emissora teve a sua concessão cassada pelo governo federal. E deixou o ar, definitivamente, às 10h55h30s do dia 27 de maio de 1977. A mensagem de despedida, escrita por Euclides Cardoso, foi lida pelo locutor Nestor Batista, hoje conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.
Nos instantes finais, ouviu-se a Valsa do Adeus e Adeus, Amor, a hora certa e a voz de Nestor Batista: Som para ficar na lembrança…

domingo, 19 de dezembro de 2010

Mensagem de autoria de Nilson dos Santos

Natal é tempo...
de dar um toque na vida com as cores da esperança,
da fé, da paz e do amor.
Também é tempo de preparar,
em nosso coração e em nosso lar,
um espaço para acolher
as sublimes lições da Sagrada Família de Nazaré
e aceitar as inevitáveis surpresas da vida.

Natal é tempo...
de olhar para o céu,
encantarmo-nos com a luz das estrelas
e seguir a estrela-guia.


É tempo abençoado de dar mais atenção
à criança que mora em cada um de nós
e às que encontramos em nosso peregrinar,
à procura do caminho que nos leva ao Deus-Menino.

Natal é tempo...
de mais uma vez ouvir, acolher
e repetir a mensagem alegre dos Anjos de Deus.


É tempo de acalentar sonhos de harmonia e paz e,
olhando para os “anjos aqui na Terra”,
dar a nossa contribuição,
para tornar este nosso espaço
um pouco mais parecido com o Céu.

Natal é tempo...
de contemplar o Menino Jesus e Sua Mãe
e envolvermo-nos em silêncio orante.


É tempo de agradecer as manifestações de Deus
e deixarmo-nos extasiar por esse Divino Amor que,
na fragilidade de uma Criança, nos braços de Maria,
veio iluminar nossa fé.

Natal é tempo...
de olhar para o mundo, alimentar a chama do amor
e apreciar o milagre da vida.


É tempo de seguir com atenção
e humildade os passos dos pastores
e os daqueles que têm coração simples e,
em gestos de ternura,
sintonizar mentes e aconchegar corações.

Natal é tempo...


de pensar no irmão próximo e distante
e de colaborar para o renascer do amor.
É tempo de, amorosamente, recompor a vida,
perdoar e abraçar, com  ternura.


-

Obrigado amigo.Abraços PB 

sábado, 18 de dezembro de 2010

Jesus e o Capeta (Enviado pelo Radialista Chaporã-MS)

Satanás e
Jesus estavam
conversando.
Satanás
acabava
de ir ao Jardim
do
Éden, e
estava fazendo graça e rindo,
dizendo:
-Sim
senhor.

 Acabo
de
apoderar
do mundo, cheio de
gente lá
embaixo.

Eu
armei a eles uma
armadilha,
e
usei uma
isca
que sabia que não poderiam
resistir.
Caíram
todos!
-
O
que
vai fazer com eles? Perguntou Jesus.
- Ah,
vou
me
divertir
com
eles. Respondeu Satanás. Vou ensiná-los como se
casar
e
se
divorciar,
como
odiar e abusar um do outro, a beber e fumar,
e,
é
claro,
os
ensinarei
a inventar armas e bombas para que se destruam
entre
si.
Realmente
vou
me divertir!
- E o que farás
quando se cansar
deles?
-
Perguntou
Jesus.
- Ah, os
matarei. Disse Satanás com os
olhos
cheios
de
ódio e
orgulho.
- Quanto quer por eles? Perguntou
Jesus.
-
Ah,
você
não
quer essa gente. Eles não são bons. Porque os
salvaria?
Você
os
salva
e eles te odeiam.
Vão cuspir em seu rosto,
vão te
maldizer
e
te
matarão. Você não quer essa gente!
- Quanto?
Perguntou
novamente
Jesus.
Satanás
olhou
para Jesus e sarcasticamente
respondeu:
-
Todo
o seu
sangue,
suas lágrimas e sua vida.
Jesus
Disse:
-
FEITO!
E
assim
foi
pago o preço
.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Homenagem merecida



Atriz faz equipe de 'Araguaia' chorar durante gravação
Ao gravar um pedido de quando seu personagem morrer na trama, Laura Cardoso emocionou todos que atuam ou trabalham na trama


João Miguel Júnior/TV Globo
A veterana atriz Laura Cardoso, que entre outras novelas  atuou em 'Caminho das Índias', 'Duas Caras', 'Desejo Proibido' e 'O Profeta', levou toda equipe da trama de 'Araguaia' às lágrimas durante uma gravação.

Segundo informações da coluna 'Outro Canal', do jornal 'Folha de São Paulo', Laura, que vive Mariquita na novela 'Araguaia', fez com que toda equipe chorasse ao gravar uma cena na qual sua personagem pede à empregada para cuidar de Solano (Murilo Rosa), quando ela morrer.

A atriz que estreou na televisão na década de 50, na TV Tupi, e que tem mais de 50 novelas em seu currículo, deverá deixar a trama antes de seu término já que sua personagem terá Alzheimer.

Fim de papo

Citações do Tema Mentirosos

O mentiroso precisa de ter boa memória
Fonte: "A Instituição Oratória"
Autor: Quintiliano
O mentiroso deveria ter em mente que, para ser acreditado, precisa apenas dizer as mentiras necessárias
Fonte: "A Consciência de Zeno"
Autor: Svevo , Italo    
Na boca do mentiroso, até a verdade é suspeita
Autor: Benavente y Martinez , Jacinto    
O mentiroso não se lembra das mentiras que profere
Fonte: "Talmude babilónico"
Autor: Textos Judaicos
Todos os homens são mentirosos
Fonte: "Salmos 116,2"
Autor: Textos Bíblicos
A punição do mentiroso é não se crer nele
Fonte: "Talmude babilónico"
Autor: Textos Judaicos
O homem abandonado a si mesmo é espontaneamente mentiroso
Fonte: "Hermas"
Autor: Textos Cristãos
Se não confias num homem, estás a convertê-lo em mentiroso
Fonte: "Tau-te-King, 17"
Autor: Textos Taoístas
Nenhum mentiroso tem uma memória suficientemente boa para ser um mentiroso de êxito
Autor: Lincoln , Abraham    
O objectivo do mentiroso é simplesmente o de agradar, de encantar, de dar prazer. É a base da sociedade civilizada
Autor: Wilde , Oscar    

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Primeiro de Abril

Mas de onde vem o 1º de Abril?

Reza a lenda (e diz que é verdade) que a data nasceu na França no século XVI. Até 1564, os franceses utilizavam o calendário Juliano que contava o tempo de maneira diferente. O ano novo, por exemplo, era comemorado próximo do começo de abril. Então, o rei Carlos IX resolveu parar de frescura e utilizar o calendário Gregoriano, o mesmo quase todo o resto mundo usava e conhecemos até hoje. Porém, muita gente, por desconhecimento ou costume, continuou comemorando o Ano Novo em abril, o que começou a virar motivo de chacota. Pessoas chegavam a fingir que fariam grandes festas de virada de ano que nunca existiram. Aos que ainda estavam no calendário velho eram chamados de “tolos”, daí o nome April Fools.
Mas no Brasil, podemos dizer que todo dia é dia da mentira. Sim, sempre começamos a dieta na segunda, fumamos o último cigarro e prometemos que nunca mais iremos beber. Então, não precisamos de um dia específico para contar mentiras.
Nossos políticos então deixam o Pinóquio no chinelo. Fingem fazer mundos e fundos, juram nunca terem feito nada de errado e que nunca, mas nunca, contaram uma mentiriam para se beneficiar.
Tem gente que dá show ao contar mentiras. E utiliza-as de maneira primorosa para se promover.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

José Daniel aniversário

Fotos de Album Jacareziano I – SonicoHoje 15 de Dezembro,aniversário,de José Daniel Farias.Na foto ladeado por dois dos seus três filhos,a Juliana e o Yuri,ao lado sua única nora, por enquanto, Daniela.Feliz aniversário,são os votos de seus pais PB e Zena,bem como de sua sobrinha Marjorie,filha de Cleusa.Parabéns e muitos anos de vida.

Coisas do Brasil


Charles Ponzi

Golpista inventou a fraude financeira mais usada no mundo

Charles Ponzi fez história e, por isso, empresta seu nome ao mais famoso golpe econômico
Thiago Varella, do R7
APAP
Charles Ponzi é o pai das fraudes financeiras modernas
O italiano Charles Ponzi foi o pai de um dos golpes financeiros mais famosos, ainda hoje muito usado -- o das pirâmides. É dele a ideia de gerar rendimento absurdamente alto a pessoas, custeado por novos investidores, sem que a receita seja gerada por algum negócio real.
Nos últimos anos, o americano Bernard Madoff ficou milionário graças a um esquema fraudulento baseado no “esquema Ponzi”.
Ponzi fez fama nos Estados Unidos nos anos 1920, depois de passar uma uma temporada no Canadá, onde foi preso por falsificação de cheques.
Anos mais tarde, criou seu golpe ao receber um cupom postal da Espanha. O pilantra enganou milhares de pessoas dos Estados Unidos e foi desmascarado graças a uma investigação feita por um analista financeiro.
Em novembro de 1920, Ponzi foi considerado culpado por crime de fraude postal e condenado a cinco anos de cadeia.
Em 1934, quando foi solto, Ponzi saiu dos Estados Unidos e veio ao Rio de Janeiro. Com o fim da 2ª Guerra, o mentiroso passou a ter problemas no país, por ser italiano. Acabou pobre, doente e esquecido, em um hospital para indigentes.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Esquisitices

Os dez maiores mentirosos da história

Eles enganaram muita gente e ficaram famosos, mas foram pegos no final
Thiago Varella, do R7
Aviso: tudo o que você vai ler nesta matéria é a mais pura verdade – inclusive a vida dessas pessoas. A gente jura, de pés juntos.
A história dos falsários profissionais parece inacreditável, porque todos foram a fundo na mentira, especializaram-se no assunto. É impossível achar alguém que nunca tenha dito pelo menos uma mentirinha inofensiva na vida. Mas essa gente exagerou.
Uma coisa é fingir uma dor de barriga, outra é enganar milhões de pessoas em uma fraude financeira ou fingir por alguns anos que foi vítima do maior atentado terrorista já registrado – e até ficar amigo da família das vítimas.
Nesta lista, escolhemos os dez maiores mentirosos. Pilantras, charlatães, falsários ou apenas bons contadores de história, os escolhidos têm uma coisa em comum: foram flagrados depois de muito tempo.


            Aguardem.....

    OS PRIMEIROS MENTIROSOS

      A mentira foi o que tornou possível o desenvolvimento da civilização humana. E se todos só falassem a verdade, a humanidade teria se acabado em brigas sangrentas antes do fim do primeiro capítulo da Bíblia.  É que prova o novo estudo da "Universidade Primeiro de Abril".  

                         A mentira apareceu já na criação do mundo, com as palavras da serpente, de Adão e Caim, segundo relata a Bíblia. E seria o grande mal da humanidade. Mas se não fosse pela mentira,  a vida seria insuportável, todos entrariam no tapa e não haveria mais um sobrevivente.

                       A fala disfarça o que realmente as pessoas estão pensando, mostra a pesquisa divulgada pelo jornal www.PrimeirodeAbril.com.br  E assim o ser humano suporta o próximo, no cotidiano, através do uso da mentira, que se chama eufemisticamente de "boa-educação".

                        Mas se você resolver falar sempre o que pensa, estará sozinho, desempregado e preso antes que o galo cante uma só vez. Você teria a coragem de tentar? Responda sem mentir para si próprio!

                          O ser humano aceita como verdade absoluta tudo aquilo que lhe parece conveniente. E se irrita profundamente se alguém sugere que a sua crença pode ser uma mentira. O ser humano não mente só para os outros, mas principalmente para sí próprio durante a maior parte da vida.

                            A pesquisa divulgada pelo jornal www.PrimeirodeAbril.com.br mostra ainda mais: A felicidade humana só é proporcionada pela mentira ou pela omissão da verdade: A pessoa precisa enganar a sí própria, porque se encarar a verdade sobre a sua fragilidade e a dos seus, das milhões de doenças que podem contrair e dos infinitos perigos a cada dia,  não teria forças para prosseguir. 

                           Tudo agora mesmo pode estar por um segundo, pois em 20 minutos tudo pode mudar, e zilhões de novos problemas podem surgir todo dia, a cada meia hora. 

                           Faça o teste abaixo. E você verá que não consegue refletir sobre as dez perguntas formuladas sem sentir um misto de medo, raiva ou fuga do assunto.


    TESTE DE RESISTÊNCIA DIANTE DE PERGUNTAS INCONVENIENTES

    TENTE REFLETIR SOBRE...


    1-   E se Deus for apenas uma criação do próprio homem, e não o contrário ?

    2-   E se Jesus foi apenas uma pessoa sábia, mas tão mortal como você ?

    3-   E se após a vida não houver absolutamente nada ?

    4-   E se a maioria das coisas em que você acredita não passar só de crendice ?

    5-   Será que a Bíblia realmente é a palavra divina, ou são apenas escritos de supersticiosos sábios antigos ?

    6-   E se não houver sentido algum em sua presença neste mundo e nem mesmo na existência de tudo ?

    7-   Porque ninguém consegue sequer imaginar que o  amanhã poderá ser ainda pior, como realmente pode acontecer ? E que fazer o bem ou ter uma crença não te salvará dos perigos? 

    8-   Será que a maioria das pessoas realmente gosta mesmo ou fala bem de você, quando está longe? E quantas delas realmente apareceriam para te ajudar, se viesse amanhã uma fase de dificuldades ?

    9-   E já pensou que a maior parte das versões que você tem sobre as coisas que já viveu podem ser apenas as suas versões, muito diferentes do que realmente aconteceu. E que você não ficou e nem ficará sabendo a verdade?

    10-   E finalmente, será que sua mente realmente raciocina, ou apenas repete internamente chavões fortemente gravados na sua formação, porque assim você se sente mais seguro?


    RESULTADO DO TESTE

    1-    Se você refletiu tranquilamente sobre estas perguntas, concordando ou não, tem um cérebro em funcionamento.

    2-    Se você leu e pensou, mas achou inútil refletir, pode estar com o cérebro em processo de acomodação.

    3-    Se você refletiu, mas descartou qualquer das possibilidades, pode ser uma pessoa fanatica e bitolada, que só pensa por repetição de chavões.

    4-    Se você ficou muito revoltado com apenas dez simples perguntas, pode estar usando a cabeça só para usar boné.

    (NAS PRÓXIMAS POSTAGENS,OS DEZ MAIORES MENTIROSOS)


    segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

    Jesus é profeta para os Muçulmanos

    Islâmicos respeitam comemoração do Natal, mas data não tem significado religioso para eles.
    A religião islâmica (ou muçulmana) tem Jesus Cristo como um dos seus cinco principais profetas, ao lado de Abraão, Noé, Moisés, e Mohamad (ou Maomé), este último, a principal figura do islamismo, para quem teria sido revelado o Alcorão (ou Corão), o livro sagrado da religião. Jesus é citado 19 vezes no Alcorão.
    Além disso, a Virgem Maria, sua mãe, também é lembrada no livro sagrado islâmico
    “Allah – Sao La Ilaha Ila Allah (não há divindade a não ser Allah – frase dita como testemunho à existência de Allah, um dos cinco pilares da religião) – descreve Jesus no seu sagrado Alcorão como um dos cinco maiores profetas, apesar de Allah – Sao La Ilaha Ila Allah – ter enviado mais de 124 mil profetas. Os cinco maiores profetas são: Abrahão, Noé, Moisés, Jesus e Mohamad. Esses são os profetas que mais se sacrificaram pela causa de Allah – Sao La Ilaha Ila Allah.
    Jesus, então, é reconhecido como um dos grandes profetas. 
    Não há diferença entre um profeta e outro. E temos uma sorata especialmente em nome de Maria, que é a mãe de Jesus, a Virgem Maria”, explica o xeique Aly Saleh, diretor religioso da SBM (Sociedade Beneficente Muçulmana) da Mesquita São Paulo.
    Essa percepção é ratificada inclusive por um representante da Igreja Católica Romana. “Para o judeu religioso, Jesus não significa nada. Mas para os muçulmanos, Jesus é o maior dos profetas depois de Maomé, e Maria (mãe de Jesus), é muito homenageada pelos muçulmanos. Inclusive tenho dados de que nas ruínas da cidade de Éfeso, na Turquia, por exemplo, onde existe uma casa a qual, conforme a tradição, teria sido a casa onde Maria residiu com o apóstolo São João, é centro de peregrinação para cristãos e muçulmanos, também.
    Então, para eles há muito mais sentido religioso no Natal, além do sentido social. 
    Enquanto para o judeu há apenas o sentido social, como mecanismo de adaptação à cultura européia-ocidental que passou também a vigorar no Brasil”, afirma o antropólogo e professor da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) Bartolomeu Tito Figueirôa de Medeiros, conhecido como Frei Tito.

    domingo, 12 de dezembro de 2010

    Cientificamente falando...



    Hormônios explicam falta de sintonia na libido do casal
    Segundo especialista, questão cultural atrapalha os homens, que devem ter o desejo sexual sempre em alta. Mulheres enfrentam alterações mais bruscas
    Reprodução
    A produção constante de testosterona mantém a libido masculina sempre em alta, já as mulheres enfrentam as variações hormonais do ciclo menstrual
    Quando a cama de casal se divide em: "sempre a dor-de-cabeça" e "ele só pensa naquilo" é sinal de que alguma coisa anda errada no relacionamento? Nem sempre. A situação pode ser simplesmente um dos impasses que a diferença entre a libido masculina e a feminina causa.

    Avaliar esse descompasso e fazer comparações, no entanto, não é tão simples, já que os hormônios variam não só entre os sexos como também de pessoa a pessoa. O urologista da Sociedade Brasileira de Urologia, Carlos Jardim, lembra que a questão cultural também ronda os machões de plantão. "O homem ainda é visto como caçador. Ele tem que apresentar desejo sexual sempre em alta", comenta.

    De acordo com a ginecologista do Hospital São Luiz, Fabiane Sabbag, os diversos hormônios que regem homens e mulheres são os maiores responsáveis pela eventual falta de sintonia na libido de um casal.

    "A testosterona (hormônio sexual masculino) é constante nos homens. Já as mulheres enfrentam as variações hormonais do ciclo menstrual. É um efeito cíclico", explica a ginecologista. Isso significa que o desejo sexual feminino está relacionado aos picos que os hormônios sofrem durante o ciclo menstrual. No período de ovulação (para quem tem um ciclo regular, a ovulação acontece durante os 14 dias contados a partir do início da menstruação), por exemplo, a combinação de estrógeno, progesterona e testosterona está elevada, fazendo com que a mulher se interesse mais pelo parceiro. O contrário acontece quando a mulher está menstruada.

    Nos homens, o nível de testosterona é o mesmo até que a andropausa comece a dar sinais. "O homem produz testosterona a vida toda, mas a partir dos 40 anos, é comum haver uma diminuição anual dessa produção", diz o especialista da SBU. Com as mulheres, a queda nos hormônios é mais brusca, característica marcante da famosa menopausa.

    Carlos explica que, hoje em dia, é comum ver mulheres buscando a reposição hormonal como tratamento preventivo à falta de desejo sexual. "Muitas querem repor os hormônios para acompanhar o pique do parceiro que, além de apresentar os sintomas mais tarde e de forma mais lenta, encontra alternativas para prolongar a qualidade do sexo", diz.

    Mas a diminuição dos hormônios e do desejo feminino pode acontecer até pelo uso de anticoncepcionais. "Nesse caso, a libido cai porque a pílula inibe a ovulação e, com isso, evita os picos hormonais", afirma Fabiane.

    *Fonte: Minha Vida, Saúde, Alimentação e Bem-estar

    FIQUE BEM INFORMADO.

    Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html