quinta-feira, 4 de março de 2010

O Museu Ferroviario de Curitiba

"Os obstáculos que os engenheiros André e Antonio Rebouças, tiveram que enfrentar para transpor a Serra do Mar, já havia sido estudado por engenheiros ingleses que rejeitaram a empreitada. Porém, com a competência e tenacidade, os dois acabaram se tornando os autores da maior obra de arte da ferrovia brasileira."

A antiga Estação Ferroviária de Curitiba está completando 125 de sua criação. Aberta em em 1885, a Estação virou Museu, mantendo um belíssimo acervo das ferrovias do Paraná. Foi com a abertura da estação que tiveram ínicio as atividades do trecho ligando a capital do Estado a cidade portuária de Paranaguá, depois de muitas dificuldades para a copnstrução da obra. Os obstáculos que os engenheiros André e Antonio Rebouças, tiveram que enfrentar para transpor a Serra do Mar, já havia sido estudado por engenheiros ingleses que rejeitaram a empreitada. Porém, com a competência e tenacidade, os dois acabaram se tornando os autores da maior obra de arte da ferrovia brasileira.(foto abaixo - Trecho da Estrada).
A estação foi construída em terreno distante do centro de Curitiba, porém hoje está no centro, que era distante. O Museu Ferroviário está localizado na Av. Sete de Setembro e conserva o prédio integralmente. (foto à esquerda). Funciona de terça-feira a sábado, das 10 às 18 horas, e aos domingos das 11 às 19 horas, e a entrada é franca. 

Vale a pena visitar e conhecer um pouco mais da nossa história sobre trilhos.
Foto interna do Museu

Veja e baixe os vídeos do Canal Paulo Branco no Vodpod
Ouça todos os áudio em Paulo Branco no Reverbenation
Contato: pbradialista@yahoo.com.br

Pingar o BlogBlogs Adicione PB ao Google ReaderSubscreva-se em NewsGator OnlineAdd to netvibesSubscreva-se em BloglinesAdd to Pageflakes Add to Technorati Favorites

Nenhum comentário:

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html