quarta-feira, 10 de março de 2010

Osires Nadal Junior fala sobre o rádio digital

Já postei no blog algumas matérias sobre os empresários e trabalhadores do sistema de radiodifusão brasileiro, que começam a pensar em como se preparar para a tecnologia de rádio digital, que em breve será implantada no país. Essa nova tecnologia permitirá um salto enorme na qualidade das transmissões de rádio e promete revolucionar as noções de interatividade nesse contexto. Ainda não tive a oportunidade de entrevistar alguem do meio, para que possamos entender um pouco mais da nova tecnologia. No entanto, encontrei no site Meu Intento, entrevista com Osires Nadal Junior (*), filho do Osires Nadal, nosso amigo de longa data. A entrevista visa esclarecer alguns pontos principais da implantação desse novo sistema tecnológico e demonstrar como estão o conhecimento e as expectativas dos profissionais em relação às mudanças trazidas pelo rádio digital.

Entrevista com Osires Nadal JuniorPor Brunna Duarte e Bruno Zanette, correspondente do Meu Intento no Estado do Paraná.

Quando estreou na rádio 97 FM? Além de narrador, você exerce alguma outra função na rádio?

Em setembro de 2008, com os jogos da Copa Paraná. Temos um projeto casado com rádio e jornal. Além da narração, também trabalho com parte da produção das transmissões e algumas definições de ordem técnica.

Há quanto tempo você trabalha em rádio?

Comecei a carreira em 1985, como auxiliar de equipamentos (carregador de fio mesmo). Depois passei para plantão, repórter, apresentador e narrador.

Nesse tempo, quais foram as principais mudanças pelas quais o rádio passou para se adaptar, em decorrência do desenvolvimento de outros meios de comunicação?

A principal evolução foi técnica, com investimentos em equipamentos que facilitam o trabalho e dão mais qualidade ao ouvinte. Primeiro surgiu o AM Stereo e agora as rádios digitais. Também se ampliou a interatividade e a participação externa, graças ao celular e a internet, que não são tão antigos. Até metade dos anos 90, a maioria das rádios tinhas as unidades móveis (rádios VHF ou UHF) para a comunicação externa.

Qual a importância, atualmente, do rádio como meio de informação dos ouvintes?

Primordial. O rádio sempre será o principal prestador de serviço e os apresentadores precisam ter consciência disso. Rádio não pode ser só música. Jornalismo é essencial. As informações voltadas à saúde, ao social devem prevalecer às questões políticas. Por mais que se tenha um crescimento da internet, o rádio é imbatível no alcance das pessoas.

A rádio na qual trabalha promove a interatividade com os ouvintes? De que maneiras? As pessoas realmente participam?

Existem programas na emissora destinados a participação dos ouvintes, seja por telefone ou por e-mail. No caso das transmissões esportivas, temos uma média de 100 torpedos e 200 emails por transmissão, com um aumento significativo quando os jogos são em outras cidades. Boa parte dos ouvintes participa motivada pelos prêmios que são distribuídos.

A rádio na qual trabalha tem um website? Para que fins ele é utilizado? Quais são as informações e /ou funcionalidades que o website oferece?

Tem um site (http://www.radio97.fm.br/) com link para áudio e outro para a participação dos ouvintes via mensagem. No mais, o site se destina a dar algumas informações artísticas e alguns dados técnicos da emissora. Acredito que poderia ser melhor aproveitado.

A tecnologia de rádio digital já é utilizada por vocês? Se não, têm previsão para utilizá-la?

Não acompanho de perto esse departamento. Posso dizer que o sistema de difusão ainda é o antigo, com apenas um canal. O rádio digital, acredito, vai se encaixar mais no AM. Mesmo assim, a emissora está passando por uma reforma e vários equipamentos serão substituídos para modernização.

Como os profissionais do rádio estão se preparando para as novas funcionalidades que a tecnologia de rádio digital oferecerá?

Acho difícil essa preparação, uma vez que dificilmente se dá condição para os profissionais se atualizarem, tanto técnica quanto financeiramente.

Quais são as vantagens, para o ouvinte, do rádio digital?

Ele terá um som de melhor qualidade, especialmente no AM, sem ruídos e distorções. Particularmente, duvido que as emissoras usufruam das faixas que são criadas dentro de cada frequência. Até onde sei sobre o assunto, cada rádio pode ter quatro programações diferentes na mesma frequência. Mas não acredito que isso se aplique às nossas emissoras.

Quais os atributos que um profissional que deseja trabalhar no rádio (já considerando as novas tecnologias) deve ter?

A vontade de aprender e trabalhar, sabendo que não existe horário para isso. Especialmente quem trabalha no esporte tem que abrir mão de feriados, datas festivas, convívio familiar e finais de semana. É necessário ter conhecimentos gerais. Por estar 'dentro' da casa das pessoas, elas acham que sabemos de tudo, e sempre precisamos estar prontos para opinar sobre todos os assuntos. Ou seja, por mais que você seja só do esporte, tem que ser "clínico geral".

(*) Osires Nadal Junior é jornalista e narrador da equipe 97 Esportes, da rádio 97 FM, de Foz do Iguaçu-PR. Filho do advogado Osires Nadal, Junior mora atualmente em Cascavel, a aproximadamente 140 Km de Foz. Osires Junior também é formado em Direito e editor do site Rádio Gol, referência no estado paranaense em matéria de jornalismo esportivo.

fonte: Blog Meu Intento

Veja e baixe os vídeos do Canal Paulo Branco no Vodpod
Ouça todos os áudio em Paulo Branco no Reverbenation
Contato: pbradialista@yahoo.com.br

Adicione PB ao Google Reader

Nenhum comentário:

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html