sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Rádio Cultura de Maringá

Historia Antiga


Em 1950, o Sr. Samuel Silveira, radialista profissional, tendo exercido caros de gerência em varias emissoras, enfrentou a situação e comprou equipamentos STP e um conjunto gerador.

E em 15 de junho de 1951 a RÁDIO CULTURA DE MARINGÁ emitiu seus primeiros sons, levantando o nome de Maringá para uma região fértil e emergente, que prometia grande progresso e um desenvolvimento até então desconhecido neste grande Brasil, Samuel Silveira acreditou que aqui nasceria uma cidade impar mas que até aquela data, era apenas uma promessa ou talvez um sonho.

Como se pode observar, a Cultura nasceu praticamente antes de Maringá como município.

Na época da inauguração ainda era distrito de Mandaguari, não tendo as mínimas condições para uma estação de rádio. Sem energia elétrica, sem telefone, sem estradas, sem infra-estrutura e muita mata, este era o quadro que se apresentava aos valentes e destemidos pioneiros e desbravadores.

Como não existiam transistores, os rádios eram valvulados, encarecia muito e não era qualquer pessoa que podia se dar ao luxo de ter um. Eram necessárias duzentas e oitenta pilhas pequenas para obter a potência de uma pilha grande. Os acumuladores de automóveis também eram usados como bateria de radio. Ouvia-se o volume baixo para economizar pilha. Foi pela falta de energia elétrica na cidade e pela falta de aparelhos que a Cultura instalou auto-falantes ao longo da Avenida Brasil , a cada dois postes, desde a praça José Bonifácio até a praça Rocha Pombo. A rádio funcionava com geradores movidos a oleio e o som era levado até 80Km. Começou a funcionar numa casinha de madeira que media 6 x 6 onde ficavam o estúdio, a discoteca, o escritório,o motor...na Av. Herval,onde se encontravace, ate bem pouco tempo, os escritórios da COPEL. Ali OS discos 78 rotações, os pickups e os equipamentos da época, permitiam a irradiação de um sinal que hoje seriam considerados de baixa qualidade. Mas todas as dificuldades eram estímulo para que Samuel Silveira e os radialistas da época, levassem ao ar uma programação “ao vivo”, pois não existia gravador, até que a Rádio Cultura instalasse um de “arame” ou de “fio”.

O Sr. Francisco Dias Rocamora, foi o técnico responsável pela montagem e manutenção da emissora. Exercia também as funções de locutor de estúdio e locutor esportivo e foi ele quem colocou as primeiras palavras no ar: “Senhores, Senhora, esta é a ZYS-23, Radio Cultura de Maringá, em 1.520 kHz, inaugurando suas atividades”.

A antena da rádio funcionou muitos anos numa área que hoje pertence á Universidade Estadual de Maringá, constituindo a “Casa da Música”. Hoje, a torre esta maguinificamente instalada numa área própria de 8,500m2, na Perimetral Sul.

Em 1953, a Empresa construiu um prédio próprio, que na época era a admiração da cidade;um auditório com 300 poltronas, enorme discoteca e todos seus departamentos,Tornando-se palco de inúmeras reuniões religiosas, políticas, culturais e artísticas...Foi inaugurado no dia 10 de maio de 1954.

A Rádio Cultura comandou a Rede Paranaense de Rádio, num total de quatorze emissoras, localizadas nas principais cidades do Estado do Paraná.

OS PRIMEIROS RADIALISTAS


Não havia radialistas no norte do Paraná. A solução foi transmitir aos “aprendizes” as experiências que Samuel trazia, pois já trabalhava em emissoras de rádio na cidade de Franca – SP, e Salvador – Bahia. Assim iniciaram como locutores o Aloysio Raphael Barros, Dirce Fernandes de Souza, Thomaz Aquino Negreiros, Dirce Righetti, Joaquim Dutra, Olindor Camargo, Orlando João Zenaro Manin, Moacir Savelli, Paulo Lima, Roberto de Mello Meira, José Alfredo Silva Filho, Sergio Andreucetti, José Ambrosio Netto, Jayme Vieira Lopes, Frank Silva, José Pinto Oliveira, Everaldo Rodrigues, Antonio Lazaro do Amaral, Jairo de Oliviera Tomaz, Ivens Lagoano Pacheco, Abel Decreva, seguidos de muitos outros grandes locutores.
Os primeiros operadores de som: Jozé Augusto de Negreiro, Ilda Ramos, Olinda Oliveira, Maria Helena Sabelli, Loreto Agnaldo Bochoski, Nelson Bartolo, Bruno Piovezam, Adilson Andreatta, Aristeu Ferreira Miguel, Anaídes Batista Nogueira.

Hoje


Os escritórios e estúdios da rádio Cultura AM localizam-se hoje no pavimento interno da mesma sede de O DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ, Av. Mauá, 1988, Modernas instalações foram construídas proporcionando um ambiente ágil e agradável para os clientes, amigos e funcionários.

Para comemorar seus 57 anos de fundação e trabalhos sem interrupção, a Rádio Cultura continua acompanhado as evoluções tecnológicas e investimentos no homem e equipamentos. O sistema da rádio AM são informatizados, agilizando a programação e satisfazendo as expectativas do público cada vez mais exigente, pois sempre foi preocupação da Diretoria continuar a ser a melhor Rádio de Maringá e Região. A Cultura sempre foi constantemente em melhorar e crescer, por isso mesmo ela tem obtido sucesso através de tantos anos. Seus diretores são pessoas que se dedicam ao rádio como finalidade principal... e não como trampolim ou escada para outros interesses. A Cultura tem uma folha de serviços prestados e, por isso, a rádio é respeitada em todos os sentidos, seja na demonstração de confiança da comunidade, na administração, na coragem de investir, dando um exemplo para a sociedade em geral, que cria o otimismo e que se constitui um sustentáculo benéfico para toda a sociedade e todos os campos.

A antiga Diretoria de 1950 a 2002(maio) foi exercida por Samuel Silveira, Joaquim Dutra, Carlos Piovezan Filho e Reginaldo Nunes Ferreira.

Atualmente, de 2002(maio) ate hoje, a direção é exercida por Patrícia Rodrigues Vieira da Silva, Josué Tadashi Endo, Michael Vieira Da Silva e Franklin Silva.

Nenhum comentário:

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html