sábado, 6 de novembro de 2010

A propósito de multas

Olá, amigo Paulo;

Acredito que até já passamos da hora de multar - o povo - os multadores. Senão vejamos:
.
Um vereador de Curitiba - cujo nome não lembro - está propondo uma lei que obriga o super mercado a cobrar R$ 0,10 (dez centavos) por uma sacola de plástico, em nome da preservação da natureza.


Mais uma conta para o cidadão pagar. E não duvido que percentual da cobrança seja destinada a próxima campanha do propositor.


Gostaria de lembrar ao ilustre embusteiro que ele foi eleito para amparar e defender o cidadão que o elegeu e não as empresas que produzem as sacolas plásticas ou aumentar o faturamento dos super mercados e outros afins que usam as tais sacolas.


Nós, os consumidores, não pedimos que coloquem nossas mercadorias - pelas quais pagamos preço bastante abusivo - em sacolas plásticas. Compramos, pagamos e queremos levar.


O que houve com os velhos - e bons - sacos de papel dos antigos armazéns e com as caixas de papelão? Diriam: "são muito frágeis e rasgam com facilidade."


Responderia - ou pelo menos, devia responder o cliente - E daí? Não é problema meu. Comprei e quero levar. Claro que é um extremo mas que, diante dos absurdos propostos pelo legislador, deve ser considerado.

Hoje, televisores, geladeiras, moveis e até equipamentos bem mais sofisticados, são embalados em papel - papelão - e entregues com toda a segurança. Porque devo embalar em plástico? Para poder cobrar a mais, conforme a proposta do imbecil vereador.

Lojas, realmente comprometidas com a questão do meio ambiente, seguem usando sacolas de papel. Uma sacola mais resistente, com alça de algodão, e são muito úteis e promocionais.

Imaginem, em nossa cidade com aproximadamente três milhões de habitantes, quantas sacolas plásticas são usadas diariamente. Agora, multipliquem pelo valor que o ilustre imbecil quer que paguemos. Qual será o faturamento dos "distribuidores"?

Sugiro que se de uma olhada nas "doações" para a campanha do tal vereador.Talvez encontremos o real motivo da "proposta".

Provavelmente o senhor vereador - eleito para olhar os interesses da comunidade - tenha também votado para a instalação dos radares.

Está mais do que comprovado que os radares - multando como estão - não atingem a finalidade educativa do transito tão propalada. Servem somente para encher os bolsos de empresas terceirizadas.

A velha e boa lombada é tão eficiente quanto o radar. Só tem um defeito - a lombada - não multa, não rende dinheiro.

Se o radar fosse uma proposta séria, seria usada da seguinte forma:


01. Houve uma primeira infração, registrada pelo radar. O infrator receberia uma carta advertindo;
02. Nova infração - a segunda - o infrator seria penalizado com uma semana de reeducação;
03. Na terceira infração, cassação da carteira de condutor e retorno a auto escola para um curso completo de reeducação, pagando todas as taxas cobradas normalmente.

Os habituados a cometer infrações diriam: Mas é absurdamente drástica a proposta. Já na segunda um curso de reeducação? Claro. Não deveria existir nem a primeira infração. Não devemos ficar somando "pontos" como fazemos hoje. Não queremos educar, prevenir procedimentos errados e proteger o patrimônio, a vida dos nossos semelhantes?

Mas, não. A disposição hoje é pensar: "Tenho que tomar cuidado. Só posso cometer mais uma infração de três pontos, senão, perco a minha carteira."

Entretanto, o que digo ser uma proposta séria, também tem um defeito: NÃO RENDE DINHEIRO, para alguns interessados em fazer soar como verdadeira a afirmação de que " o cidadão só sente quando dói no bolso". Se em parte tal afirmativa tem um fundo de verdade - já que os mais ricos estão pouco se importando - ela não tem efeito educativo. Resulta em "Cometi a infração, sim. E daí? "Tô pagando!!!"

E aí, meu caro amigo Paulo, me pergunto: Quando é que nós cidadãos brasileiros, vamos apreender a olhar para os nossos legisladores, anotar seus nomes e olhar de fato o que estão fazendo, e prá quem estão dirigindo os benefícios, pra poder "rifar" essas figuras nas próximas eleições?

Eu confesso que, da minha parte vou correndo buscar o nome desse imbecil dos 10 centavos, divulgar o seu nome para todos os meus amigos, para que nunca mais votem nele.

Um abraço,

Wasyl Stuparyk - Basilio Júnior da Rádio Guairacá.

Nenhum comentário:

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html