segunda-feira, 7 de março de 2011

ATTTTAAAALLLLAAAAIIIIAAAA


Conforme adiantei aqui, eu trabalhava na Iguaçú como locutor e redator de notícias, e realizava também cobertura de eventos, entre eles, resultados de vestibulares, eleições, festivais de música, etc... Ao mesmo tempo, na Atalaia trabalhava como Relações Públicas, pois aquela emissora não fazia reportagens, entrevistas ou qualquer outra transmissão externa.
No entanto, precisava estar nas repartições públicas, tais como Câmara de Vereadores, Prefeitura, Palácio Iguaçú, Assembléia e por aí á fora. A Rádio Atalaia era uma Rádio incomum para a época, pois com a vinda de Lourival Pedrazziani (o Palito) que estava na organização em Londrina desde 1962, foi implantado um sistema totalmente diferente do que as outras emissoras faziam. A Atalaia, como escreveu Aramis Millarch no jornal "Estado do Paraná" (06/03/1988), "primeiro lugar no IBOPE entre as AMs, que com sua programação popularíssima, na base da seleção musical brega, linguagem simples, consegue aquilo que suas principais concorrentes tentam, a todo custo, obter: a fidelidade dos ouvintes"; chegou a atingir 23 pontos no IBOPE, acima, vejam bem, acima da segunda colocada. Tinha uma chamada que marcou época, um prefixo famoso e que se ouvia por todos os cantos: "Ataalaaaaiiaaaa!!!. Lembram? Aliás, também lembro e rendo homenagem a canção "Boi Barroso", que o Sistema Guaíba de Rádio elegeu para prefixo musical de suas emissoras AM e FM, talvez a toada mais popular do Rio Grande do Sul. Voltando à Atalaia, na sequência falarei mais, observaram aí, eu disse "falarei" e não "escreverei".

Boa música, mínimo de propaganda e hora certa 

 
Com a chegada de Lourival Pedrazziani (Palito), diretamente de Londrina para dirigir a emissora, a AtalaiaATALAIA, 01 hora, 10 minutos.", e assim sucessivamente, durante as 24 horas de funcionamento, ininterruptas. A voz era do locutor Geraldo dos Santos, daí seu apelido de Atalaia. O Palito, grande conhecedor da música brasileira, passava o tempo todo em sua sala ouvindo faixa por faixa dos Lps e Compactos, que eram trazidos pelos divulgadores das gravadoras. Não entrava uma só musica na programação, sem ser ouvida e analisada pelo Palito. Lembram-se do programa "Globo de Ouro", toda quinta na Rede Globo? Pois dava a impressão que os programadores da Globo ouviam a Atalaia, para compor seu programa. Música por música daquele programa, estavam programadas na Atalaia a muito tempo. Os ouvintes se deliciavam ouvindo boa música, um mínimo de propaganda e, hora certa. Simples não? Assim eram as Atalaias, quatro emissoras, localizadas em Curitiba que capitaneava a programação, Belo Horizontes, Londrina e Maringá. O Departamento Comercial chegava a rejeitar publicidade, fosse de quem fosse, se isto viesse a desequilibrar o esquema. Havia até verba para receber patrocinadores de grandes centros, para almoços e jantares, só pra lhes dizer que não seria possível aceitar suas verbas. Por isso, a Atalaia marcava 23 pontos no IBOPE, acima da segunda colocada. O proprietário das emissoras, Hélio Barroso Filho, dava carta branca para os gerentes das emissoras, para que fizessem aquilo que achavam certo. Outra coisa, não havia blá...blá...blá... de apresentadores, nem entrevistas ou qualquer tipo de promoção pessoal, de quem quer que fosse. Foi uma grande tacada. Contarei mais.
teve um grande impulso. Foi a implantação do seguinte esquema: uma música, intercalando-se hora certa e uma propaganda, nada mais. Notícias, só de hora em hora. Terminada a música, entrava uma voz forte e grave dizendo: - "
Atalaia, fim de outro ciclo 

 
Encerrando minha passagem pela Atalaia, onde permaneci por 05 anos, gostaria também de registrar os momentos de lazer. Haviam times de futebol de campo, entre outros esportes, que se reuniam por uma semana numa das sedes para disputar campeonatos internos. Era muita disputa e participávamos de muita festa. Foi assim que conheci Belo Horizonte, uma bela cidade. Aqui na terra dos pinheirais, no local dos transmissores da emissora em Pinhais, tínhamos um verdadeiro clube de campo, onde eram comemorados aniversários de funcionários, Natal e tudo o mais.Tudo foi definhando com a saída dos gerentes de Curitiba e BH, venda de emissoras e com o falecimento do velho Barroso.A última a ser vendida foi a de Curitiba, para uma organização evangélica e nunca mais se ouviu aquela toada: "Attaaaaaalllllaaaaaiiiiiaaaa".
 

Barroso Filho adquiriu na sequência, a Rádio Antena 1 (FM), e levou Palito, que sempre esteve com o Grupo desde a fundação em 1962. Mais uma vez, Palito iria inovar, com programação brega em prefixo FM. Que eu me lembro, quem ganhou muito com a venda da Atalaia para o Grupo Evangélico, foi a Cúria Metropolitana, dona da Rádio Clube Paranaense, que sempre recebeu prêmios pelos grandes talentos do Rádio entre seus valores profissionais (fig.1 e fig.2).

fig.1
Na discoteca da Rádio Clube José Jair de Souza, , Cláudio Ribeiro, Luiz Nivaldo Maciel, o cantor e compositor Antonio Marcos, Jurandir Ambonatti e Leo Pereira
 

fig.2 Equipe Bedois, recebendo o "Disco de Ouro" conferido à Rádio Clube pela gravadora Odeon, Luiz Nivaldo Maciel, Nelson Rosa, Leo Pereira, Acir Ramos, Padre Juca, Jurandir Ambonatti, Jorge Yared, Ubiratan Lustosa e Cláudio Ribeiro

Nenhum comentário:

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html