domingo, 6 de março de 2011

O TEMPO PASSSA...O TEMPO VÔA...MAS TUDO NUMA BÔA

Foi num banco da praça Carlos Gomes
Meu primeiro lauto café em Curitiba
Lá estava eu na pacata cidade de Rio Grande(RS), cidade portuária com duas emissoras de Rádio, a Cultura e a Riograndina. Trabalhava na segunda, quando decidi deixar as plagas gaúchas e me aventurar pelo Brasil, começando pelo Paraná, e se não desse certo, iria para São Paulo.

Eu não sabia,  mas estava fazendo a coisa certa, depois de tantas erradas; isto foi a exatos 46 anos e 7 dias. Caprichei na minha chegada, não deixei por menos e vim de Mercedes (gostaram ), só que era um ônibus da Penha. Meu primeiro lauto café na capital paranaense não teve café, mas um gostoso sanduíche de "fiambre"; e foi num banco da praça Carlos Gomes, no dia 7 de Abril,de 1964. Aguardem o próximo capitulo, na sequência.

Depois daquele lauto café...

...em minha chegada a Curitiba, perguntei a alguém que passava, onde tinha uma Rádio, e me mandaram para um endereço onde funcionavam duas, se não me engano a Curitibana e a Cruzeiro. Foi lá que travei a primeira amizade na capital paranaense, e foi muito duradoura. Conheci Léo Paz (El Morocho) gerente das duas Rádios, mas que só tocavam músicas. Não tinha vaga para mim. Dali, acompanhado pelo meu já amigo El Morocho, Deus te abençõe onde estiver amigo,  fomos até a Rádio Cultura,a primeira em notícias naquela época. O gerente, Marco Aurélio de Castro, disse que gostava de locutor gaúcho, mas que o quadro estava lotado. Léo me levou então, até o edifício ASA, falar com o Jair de Brito na Rádio Independência, e voltou para seu trabalho. Conversei bastante com o Jair, que me disse para voltar bem a tardinha. Andei pela cidade a esmo, para conhecê-la.

Voltei na Independência, lá pelas seis horas daquela tarde. Vapt-vupt, estava empregado no mesmo dia em que aqui cheguei e, graças a Deus, nunca fiquei desempregado. 
Depois eu conto mais um capítulo da minha história no Paraná e acreditem, só tem coisa boa, porque as más, eu esqueço rapidamente.

Operador de som 

O operador de som é peça fundamental para qualquer programa de rádio, seja noticiário, entrevista ou entretenimento.
Sem um bom operador para dar colorido ao programa, de nada adianta, porque esse profissional é 50% do sucesso de uma programação.
Assim sendo, quero prestar minhas homenagens e agradecimentos aos senhores operadores, que sempre estiveram presentes em minha vida de radialista,tanto no RS quanto no PR.
Amigos, onde quer que estejam, recebam meus sinceros agradecimentos, pois sem vocês não teria alcançado sucesso em minhas empreitadas.
Junto aos operadores temos também osdiscotecários-programadores, os quais quero também homenagear.
Obrigado amigos por tudo, e que Deus os faça muito felizes e realizados quanto sou. Quero pedir licença a todos para citar o nome do meu primeiro operador no Paraná, e que se revelou mais tarde um grande apresentador.
Te devo muito, embora não estejas mais entre nós: ANTENOR SANTOS.
Obrigado amigão.
MEUS AGRADECIMENTOS TAMBÉM AO BASILIO JUNIOR (Wassyl Stuparik),pelo companheirismo e ajuda profissional que sempre me deu e uma amizade de quase meio século!!!
Obrigado,irmão.      
OBRIGADO,IRMÂOS GAUCHOS E PARANAENSES !!!

Nenhum comentário:

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html