domingo, 31 de julho de 2011

BAGUNÇA


Cinco passos para lidar com a bagunça

Se você se sente oprimido pela bagunça, aqui estão cinco passos praticamente indolores para começar a limpeza física (e mental).

1. Comece identificando as áreas de maior impacto para organizar (guarda-roupa, sala, cozinha), pegue duas caixas e identifique-as como: “guardar” e “jogar”

2. Cada vez que você passar por essa "área de impacto", coloque um item em cada caixa - não pense em desculpa para ficar com itens que obviamente estão causando desordem e caos no espaço. Você tem duas alternativas: guardar ou jogar.

3. Quando você terminar de colocar todos os itens nas caixas, será fácil saber o que ficará e será organizado e o que será eliminado.

4. Agora, dê uma olhada na caixa “jogar” e separe o que será doado ou irá definitivamente para o lixo. Para não ficar com a caixa de itens para doação encalhados na porta de casa ou no quarto da bagunça, coloque imediatamente no carro ou ligue para uma instituição coletar. Então coloque o lixo na rua.

5. Agora a tarefa final é organizar o que sobrou na caixa "guardar" e isso não deve demorar muito também.

Dependendo do tamanho da área, o grau de desorganização e da quantidade de tempo que você gasta nesse ambiente, seja escritório, garagem, quarto, qualquer um desses projetos pode ser feito facilmente usando o mesmo processo.

Não tente resolver um cômodo inteira de uma só vez. Setorize por escrivaninha, mesa de cabeceira, gaveta dos talheres, etc.

Envolva toda a família ou colegas de trabalho, afinal a gente não pode sair por aí jogando pertences das outras pessoas.

Uma boa regra  para saber o que fica ou vai embora, é você lembrar a ultima vez que o item foi usado. Se isso foi a mais de seis meses, e não se trata de item sazonal, é hora de livrar-se dele.

sábado, 30 de julho de 2011

Datena,de cá prá lá,de lá prá cá!!!

Com a recente rescisão de seu contrato, o qual foi firmado há menos de 50 dias, José Luiz Datena acumulará mais uma dívida milionária com a Record.

A saída do apresentador praticamente quatro anos antes do término de seu vínculo lhe resultará em uma multa de R$ 25 milhões.

Este valor será somado à antiga rescisão contratual, que ocorreu em 2003, orçada em mais R$ 20 milhões. 

A Record se propôs a anular a primeira dívida de Datena caso ele se transferisse para lá, o que ocorreu no final de junho.
Entretanto, haveria uma cláusula no contrato do jornalista afirmando que a isenção do pagamento dos R$ 20 milhões só ocorreria caso ele cumprisse os quatro anos de contrato.

A soma das duas cifras resulta em R$ 45 milhões, fato este que não chega a preocupar Datena.
Em entrevista recente, o jornalista teria dito que seus advogados ficarão responsáveis por administrar as questões jurídicas referentes às quebras de contrato e os resultados financeiros das mesmas.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

HEPATITES VIRAIS

Em uma década, as hepatites virais mataram mais de 20 mil pessoas no Brasil. De 2000 a 2010, foram registradas 20.771 mortes causadas diretamente pelos cinco tipos de hepatite (A,B,C,D e E). Mais de 70% delas foram provocadas pela hepatite tipo C, a mais agressiva, o equivalente a 14.873 mortes.

Os dados constam boletim sobre a doença do Ministério da Saúde, divulgado hoje (28), Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais.
Em 2000, foram constatadas 340 mortes por hepatite C, contra 1.932, em 2010, um acréscimo superior a 460%. Dos mais de 14 mil óbitos causados por esse tipo da doença nos últimos dez anos, quase 60% ocorreram na Região Sudeste, o equivalente a 8.672. Os homens são a maioria das vítimas.
A hepatite B aparece em segundo lugar, responsável por 4.978 mortes no período analisado.
O levantamento do ministério constatou o registro de 307.446 casos de hepatites virais no Brasil, de 1999 a 2010. Os tipos B e C, juntos, respondem por 56,5%, 174.406 notificações. As regiões Sul e Sudeste concentram o maior número de casos da doença.
A transmissão ocorre pelo contato com sangue ou secreções contaminadas pelo vírus, por exemplo, durante a relação sexual sem o uso de preservativos e objetos cortantes, como alicate de unha e equipamentos usados em tatuagem e piercing.
A hepatite A respondeu por 130. 354 casos (42%). É transmitida pelo contato com água e alimentos contaminados. Por ter uma forma de contágio diferente das outras, concentra-se nas regiões Nordeste e Norte, onde há escassez de redes de esgoto e água encanada. As crianças menores de 13 anos são as mais atingidas. Elas compreendem 68,7% dos casos identificados de 1999 até 2010. As hepatites D e E têm menor incidência no país, com1.812 e 874 casos, respectivamente.
De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, apesar dos altos números, a prevalência da doença é considerada de baixa a intermediária no Brasil em comparação com outros países.
Para conter o avanço da doença, o governo federal mudou as regras para o tratamento da doença na rede pública, o que permite o prolongamento da terapia. A partir de agosto, serão disponibilizados testes rápidos, com capacidade de diagnosticar a hepatite em 30 minutos. Atualmente, o resultado demora cerca de 15 dias.
Em 2011, a vacina contra a hepatite B foi ampliada para jovens com até 24 anos. No ano que vem, a faixa etária passará para até 29 anos.
O ministro alertou que a população deve começar a prevenir a doença dentro de casa, evitar o uso comum de objetos, como lâmina de barbear ou alicate de unha.
“Estudos detalhados da presença da hepatite C em pequenas comunidade mostram alta concentração em membros de uma mesma família, com faixas etárias diferentes. Isso sinaliza a possibilidade de que a transmissão ocorreu dentro de casa com o uso de utensílios e materiais. O pai que ensina o filho a fazer a barba com a mesma lâmina de barbear ou a mãe e filha usam o mesmo alicate”, disse o ministro.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

PORTABILIDADE DE PLANOS DE SAÚDE

A partir desta quarta-feira entram em vigor as novas regras de portabilidade de carência definidas pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).
No período de carência, o usuário paga as mensalidades, porém ainda não tem acesso a coberturas previstas no contrato.

Publicada em abril, com a resolução os beneficiários têm o direito de mudar de plano de saúde sem cumprir novos prazos de carência. Desde abril de 2009, os planos contratados a partir de 2 de janeiro de 1999 já estavam inclusões na nova medida. Somente esses planos, chamados de "novos planos", receberão essas mudanças.

A ANS estima que pelo menos 12 milhões de pessoas sejam beneficiadas com a medida. Entre os principais benefícios está a "extensão do direito para os beneficiários de planos coletivos por adesão e a instituição da portabilidade especial para clientes de planos extintos".

Questões de abrangência geográfica do plano deixam de ser exigência na portabilidade dos planos de saúde, ou seja, não faz diferença na hora da transferência se o plano é municipal, estadual ou nacional.

A partir da segunda portabilidade, a permanência mínima no plano diminui de 2 anos para 1 ano. É responsabilidade da operadora do plano de origem comunicar o prazo exato estabelecido para que a portabilidade de carências seja solicitado.

Pela norma, os planos de saúde coletivos por adesão e clientes de planos que foram extintos pela morte do titular também passam a ter direito à portabilidade.

Guia

Um guia de planos de saúde que explica sobre a portabilidade de carências e contratação de um plano está disponível no site da ANS.

De acordo com a agência, o guia é um sistema eletrônico que permite o cruzamento de dados para consulta e comparação de mais de 5 mil planos de saúde comercializados por cerca de 1.400 operadoras em atuação no mercado brasileiro.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Ondas curta e média sem delonga

Enéas Gomez / Renato Mazânek (2º da esq. para a dir.) reuniu muitos amigos no lançamento de seu livro Ondas Curta e Média Sem Delonga, nesta segunda-feira no Palacete dos Leões – Espaço Cultural do BRDE. Entre os que foram prestigiá-lo estavam Elon Garcia (à esq.); Ayrton Baptista (de paletó bege); Luiz Renato Ribas (ao fundo); Rosemari Naumes e Célio Heitor Guimarães 
Renato Mazânek (2º da esq. para a dir.) reuniu muitos amigos no lançamento de seu livro Ondas Curta e Média Sem Delonga, nesta segunda-feira no Palacete dos Leões – Espaço Cultural do BRDE. Entre os que foram prestigiá-lo estavam Elon Garcia (à esq.); Ayrton Baptista (de paletó bege); Luiz Renato Ribas (ao fundo); Rosemari Naumes e Célio Heitor Guimarães
Fonte:Gazeta do povo ( coluna DO BESSA)

DEPRESSÃO



Brasil é o país com maior número de pessoas em depressão, diz pesquisa





A depressão, ou episódio depressivo maior (MDE, na sigla em inglês) está em crescimento e começa a se tornar um problema de saúde pública no mundo inteiro. É a conclusão de um estudo publicado nesta terça-feira, na revista BMC Medicine, que fez um mapeamento do transtorno em 18 países, incluindo o Brasil, que apareceu como o país com a maior número de pessoas deprimidas.
A depressão é uma doença caracterizada por um conjunto de sintomas psicológicos e físicos, associada a altos índices de comorbidades médicas, incapacitação e mortalidade prematura.
Os países foram divididos em dois grupos: alta renda (Bélgica, França, Alemanha, Israel, Itália, Japão, Holanda, Nova Zelândia, Espanha e Estados Unidos) e baixa e média renda (Brasil – com dados exclusivamente de São Paulo –, Colômbia, Índia, China, Líbano, México, África do Sul e Ucrânia).
De acordo com o relatório, nos dez países de alta renda incluídos na pesquisa, 14,6% das pessoas, em média, já tiveram depressão. Nos 12 meses anteriores, a prevalência foi de 5,5%. Já nos oito países de baixa ou média renda, 11,1% da população teve episódio alguma vez na vida, em comparação a 5,9% nos 12 meses anteriores. A maior prevalência nos últimos 12 meses foi registrada no Brasil, com 10,4%. A menor foi a do Japão, com 2,2%.


Pesquisa também avaliou transtornos como o pânico e a fobia social
Pesquisa também avaliou transtornos como o pânico e a fobia social
“No artigo internacional, foram incluídos exclusivamente os dados sobre depressão maior, mas a nossa pesquisa avalia diversos outros transtornos mentais, entre eles os de ansiedade – como pânico, fobias específicas, fobia social e transtorno obsessivo compulsivo – e transtornos de humor, como o transtorno bipolar, distimia e a própria depressão maior”, informou Maria Carmen Viana, professor do Departamento de Medicina Social da Universidade Federal do Espírito Santo, que participou da pesquisa. 
Também foram publicados recentemente resultados sobre transtorno bipolar, suicídio e tabagismo. “No estudo São Paulo Megacity estimamos que 44,8% da população já apresentou pelo menos uma vez na vida algum transtorno mental. Nos 12 meses anteriores à entrevista, a prevalência foi de 29,6%”, acrescentou.
O trabalho faz parte da Pesquisa Mundial sobre Saúde Mental, iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) que integra e analisa pesquisas epidemiológicas sobre abuso de substâncias e distúrbios mentais e comportamentais. O estudo é coordenado globalmente por Ronald Kessler, da Universidade de Harvard (Estados Unidos).
Assistência mental no Brasil "deixa a desejar", diz pesquisadora
Segundo o levantamento, a depressão é uma das principais causas de incapacidade em todo o mundo. “Os dados epidemiológicos, no entanto, não estão disponíveis em muitos países, em especial os de baixa e média renda, como o Brasil. Por isso é tão importante termos esse tipo de estudo de base populacional”, afirmou Viana.
A assistência à saúde mental no Brasil, segundo Viana, deixa a desejar do ponto de vista da Saúde Pública. "Acredito que a divulgação de dados como esses devem servir de alerta e de embasamento para políticas públicas de prevenção e assistência à saúde mental. É preciso que essas políticas possam ser traçadas e implementadas levando em consideração as necessidades que identificamos na nossa população", afirmou Viana. 
Prevalência maior em mulheres
Os resultados do estudo mostraram que, nos países de alta renda, a idade média de início dos episódios de depressão maior foi de 25,7 anos, contra 24 anos nos países de baixa e média renda. Incapacitação funcional mostrou-se associada a manifestações recentes de MDE.
O estudo também revelou que a prevalência é duas vezes maior entre as mulheres em relação aos homens. Nos países de alta renda, a juventude está associada com uma prevalência mais alta de depressão nos 12 meses anteriores à entrevista. Por outro lado, em vários dos países de baixa renda, as faixas etárias mais altas mostraram ter maior probabilidade de episódios depressivos.
A condição de separação de um parceiro apresentou a correlação demográfica mais forte com o MDE nos países de alta renda. Nos países de baixa e média renda, os fatores mais importantes foram as condições de divórcio e viuvez

terça-feira, 26 de julho de 2011

CONSUMIDOR ESTÁ MAIS CONFIANTE


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Água,muita água!!!

 
 

Descoberto maior reservatório de água do universo

Concepção artística ilustra um quasar similar ao encontrado pelos astrônomos, onde havia quantidades gigantescas de vapor d'água. Gás e poeira formam .... Foto: Nasa/ESA /Divulgação
Concepção artística ilustra um quasar similar ao encontrado pelos astrônomos, onde havia quantidades gigantescas de vapor d'água
Foto: Nasa/ESA /Divulgação
Duas equipes de astrônomos lideradas por cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), nos Estados Unidos, descobriram o maior e mais distante reservatório de água já detectado no universo.
A água, equivalente a 140 trilhões de vezes toda a água do oceano do mundo, envolve um enorme buraco de alimentação negro, chamado quasar, a mais de 12 bilhões de anos-luz de distância.
Astrônomos já haviam detectado vapor d'água, que é um sinal importante para investigar o universo, em outras partes do universo, mas não em tanta quantidade.
"É uma demonstração de que a água está por todo o universo, ainda que em tempos mais antigos", avaliou Matt Bradford, um cientista do Laboratório da Nasa, em Pasadena, Califórnia.
Quasares são objetos brilhantes e muito distantes no universo.
Estão localizados nos núcleos de galáxias e são abastecidos com a energia de buracos negros.
O APM 08279+5255, quasar observado nesta pesquisa, tem um buraco negro 20 bilhões de vezes mais massivo que o Sol e produz energia superior à energia de trilhões de sóis.
 

domingo, 24 de julho de 2011

Juro zero?

Atenção, consumidor: 'juro zero' é estratégia de marketin

RIO - Entre uma promoção e outra no comércio, é difícil não aderir a um parcelamento alardeado como juro zero. Impulsionada pelo aumento da renda e pelo avanço no nível de emprego no país, a armadilha dos juros embutidos, escondida no desconto à vista, ganha força no comércio. As lojas costumam anunciar o mesmo preço à vista e para parcelamento sem juros, mas é só chorar um pouquinho que o cliente consegue um desconto se comprar em uma vez só. Isso mostra que esse valor menor é o preço real do produto, e o preço cheio embute juros.
Em alguns casos, segundo levantamento feito pelo GLOBO em lojas no Centro do Rio de Janeiro, os juros embutidos chegam a 36% ao ano - ou 2,59% no mês.
Com os últimos aumentos da taxa básica de juros - no mais recente movimento, a Selic subiu de 12,25% para 12,5% ao ano -, é preciso atenção redobrada na hora de aderir a financiamentos, sugerem economistas. Mesmo que o repasse da nova Selic ao consumidor seja pequeno, acaba sendo um custo adicional, elevando o nível de endividamento.
Em uma grife feminina, com loja no Centro do Rio, o cliente pode comprar peças no valor de R$ 300 e parcelar em duas vezes sem juros no cartão. Mas à vista e pagando em dinheiro, diz uma vendedora da rede, há desconto de 5%. Ou seja, juros ocultos de 2,59% ao mês (ou 35,9% ao ano). Uma mala de viagem em outro estabelecimento sai a R$ 299,90 em seis vezes sem juros. À vista, o cliente consegue um preço de R$ 270. Se optar pela opção parcelada, os juros embutidos chegam a 23,29% ao ano (ou 1,76% ao mês).
Contra o hábito
O especialista em finanças pessoais Gilberto Braga, professor do Ibmec-RJ e responsável pelos cálculos dos juros embutidos desta reportagem, acredita que o consumidor faz das compras parceladas um hábito. Por isso, o ideal, continua, é comprar à vista e aproveitar os preços menores.
- O grande risco que o consumidor corre é de fazer das compras a prazo um hábito, pagando juros sem saber e, assim, comprometendo seu orçamento e fazendo dívidas financeiras, em que os juros são mais altos. É melhor juntar e comprar por um preço melhor, já que o juro zero é uma estratégia de marketing do comércio - explica Braga.
No ano passado, a psicóloga Leandra Abranches, de 51 anos, parcelou a compra de dois sapatos e uma blusa em uma loja de departamentos. Pagava prestações de R$ 85 por mês. Como não conseguiu arcar com todos os custos do cartão de crédito, que envolvia ainda outras despesas, entrou no rotativo. Conclusão: juros superiores a 200% ao ano e muita dor de cabeça.
- Você perde o controle, pois não é só uma conta. O cartão engloba uma série de despesas. Não dá para cair na tentação de sair comprando tudo sem juros. Isso não existe. Para poder resolver os problemas no cartão de crédito, tive de pegar dinheiro emprestado com meu filho, pois eu tinha ainda as despesas correntes - lembra Leandra.
Risco de inadimplência
O problema de Leandra é comum a milhares de brasileiros. Com o aumento paulatino dos juros no último ano, a inadimplência no país subiu 22,3% nos primeiros seis meses deste ano em relação ao mesmo período de 2010, mostra a Serasa. Foi o maior avanço desde 2002.
Mas resistir às tentações do comércio não é tarefa simples. No Centro do Rio, o perfume francês Azarro de 100 ml em uma perfumaria custa R$ 197, que podem ser pagos em três vezes sem juros. À vista, o valor cai 5%, para R$ 187. Segundo Braga, o juro embutido chega a 1,75% ao mês (ou 23,14% ao ano). Uma TV de LCD de 40 polegadas em uma rede varejista é vendida a R$ 1.899 em dez vezes sem juros. À vista, o valor cai para R$ 1.699 (-10,5%). Segundo Braga, do Ibmec-RJ, os juros ocultos são de 1,11% ao mês - ou 14,16% ao ano.
Sérgio Bessa, professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) Management, afirma que o consumidor tem sempre que pesquisar os preços e tentar optar pelo pagamento à vista.
- Quem não tem possibilidade de comprar à vista deve dar uma entrada maior para tentar ter uma redução de juros. O ideal é se programar sempre. O mais importante é que não adianta aumentar os juros para reduzir a inadimplência, como o governo vem fazendo. O brasileiro calcula se o valor da parcela cabe no bolso. Se der, ele financia. Por isso, o ideal é reduzir o número de parcelas. Só assim, haverá um freio no consumo e um maior controle da inflação - destaca Bessa.
Miguel José Ribeiro de Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), também ressalta que o consumidor deve ficar atento às taxas de juros:
- É importante ter em mente as taxas e comparar sempre. Por exemplo, os juros do cartão de crédito são de 239,03% ao ano, contra 72,53% das linhas de financiamentos dos bancos.

sábado, 23 de julho de 2011

T I O M K I M

 
Celebrando 50 anos de um clássico
Uma das mais românticas e conhecidas trilhas sonoras dos anos 60 será destaque no programa “Cinemaskope, A Maravilhosa Música do Cinema”,  produzido por Tiomkim que vai ao ar neste domingo (24/07) a partir das 22h na FM 97.1 E-Paraná”. Estamos falando de “Bonequinha de Luxo”, obra prima na carreira do compositor e maestro Henry Mancini. Sucesso popular a canção-tema “Moon River”, foi vencedora do Oscar de 1961 e embalou toda uma geração. O filme dirigido por Blake Edwards deu chance a atriz Audrey Hepburn de  viver uma das personagens mais charmosas do cinema.
50 anos de um clássico
Bonequinha de luxo (Breakfast at Tiffany’s), dirigido por Blake Edwards, comemora 50 anos em 2011. Para homenageá-lo, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, responsável pela premiação do Oscar, anunciou a projeção de uma versão restaurada do filme em formato digital no Teatro Samuel Goldwyn, em Beverly Hills, no fim deste mês. Além de imortalizar o livro homônimo de Truman Capote e fazer de Audrey Hepburn uma das atrizes mais desejadas de sua época, a produção de Edwards ganha pela contemporaneidade e ainda desfruta dos benefícios de ser uma das comédias românticas mais deliciosas (e inteligentes) de Hollywood.
Serviço:
Trilha sonora de Bonequinha de Luxo comemora 50 anos
Programa “Cinemaskope, A Martavilhosa do Cinema”
FM 97.1 E-Paraná
Data:  24 de julho de 2011 (domingo)
Hor: 22 horas
Produção Tiomkim
Edição Joacir Santos
Apoio Cultural: Museu da Imagem e do Som
Info para imprensa
(41) 88 42 83 50 com Tiom

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Tigres são tigres (Wasyl Stuparik)


Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele ou por sua origem, ou sua religião.
Para odiar, as pessoas precisam aprender.
E se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano do que o seu oposto.
A bondade humana é uma chama que pode ser oculta, jamais extinta.
(Nelson Mandela)

 
[]


  

Num Zoológico na Califórnia essa Tigresa deu cria a 3 tigrinhos que infelizmente não resistiram as complicações da gravidez e morreram logo após o nascimento.

A Mãe-Tigresa depois de se recuperar do parto, começou a piorar seu estado de saúde, mesmo que fisicamente ela estivesse bem.

Os veterinários sentiram que a perda da cria causou uma profunda depressão na tigresa.
Os médicos decidiram que se a tigresa adotasse a cria de uma outra mae, talvez melhoraria.
Após checar com vários zoológicos pelo país,
tiveram a triste notícia de que não havia nenhuma cria de órfãos tigrinhos na mesma idade para levar para a mãe tigresa.

Os veterinários então decidiram tentar algo que nunca teria sido tentado antes em um zoológico.

Às vezes a mãe de uma espécie cuida dos filhotes de uma diferente espécie.
Os únicos órfãos que puderam ser encontrados rapidamente foram as crias de uma porquinha.
Os funcionários do Zoológico e os veterinários
revestiram os porquinhos em pele de tigre e colocaram os bichinhos ao redor da mãe tigre.

Eles virariam a cria da tigresa ou lombinho???

Dê uma olhada... você não vai acreditar nos seus olhos!

[]
[]
[]
AGORA POR FAVOR, ME DIGA MAIS UMA VEZ:
POR QUE O RESTO DO MUNDO NÃO PODE SE DAR BEM???

E MAIS UMA COISINHA:
MÃE É A QUE CRIA, NÃO É MESMO?!
 
REPASSO ESSE LINDO EMAIL PRA AMIGAS E AMIGOS, SEJAM PAIS, MÃES OU NÃO.

VALE UM SORRISO!

 

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Uma bela história de vida (Ubiratan Lustosa)


 
FRED FIGNER

Fred Figner
OS GRAMOFONES
Frederico Figner nasceu em dezembro de 1866 em Milewko, na então Tcheco-Eslováquia. Ainda muito jovem e buscando ampliar seus horizontes migrou para os Estados Unidos, chegando ao país no momento em que Thomas Edison estava lançando um aparelho que registrava e reproduzia sons por intermédio de cilindros giratórios.
Fascinado pela novidade, adquiriu um desses equipamentos e vários rolos de gravação, embarcando com sua preciosa carga em um navio rumo a Belém do Pará, onde chegou em 1891 sem conhecer uma única palavra do Português. Naquela cidade começou a exibir a novidade para o público, que pagava para registrar e escutar a própria voz.
O sucesso foi imediato e, de Belém, Fred se dirigiu para outras praças, sempre com o gravador a tiracolo.
Passou por Manaus, Fortaleza, Natal, João Pessoa, Recife e Salvador antes de chegar ao Rio de Janeiro, no ano seguinte, já falando e entendendo um pouquinho do nosso idioma e com um razoável pé de meia.
Na Cidade Maravilhosa Figner abriu sua primeira loja, a Casa Edison, em um sobrado da Rua Uruguaiana, onde importava e comercializava esses primeiros fonógrafos.

 

Comercial da Casa Edison da Rua Uruguaiana

CASA EDISON
Por essa mesma época o cientista judeu Emile Berliner tinha acabado de lançar nos Estados Unidos um equipamento de gravação que utilizava discos revestidos com cera, com qualidade sonora superior ao do aparelho de Thomas Edison.
Fred Figner percebeu de imediato o potencial da nova invenção e transferiu seu estabelecimento, de um sobrado da Rua Uruguaiana, para uma loja térrea na tradicional Rua do Ouvidor, onde abriu o primeiro estúdio de gravação e varejo de discos do Brasil, em 1900.

Casa Edison da Rua do Ouvidor
OS PRIMEIROS DISCOS
Os discos fabricados por Figner nessa fase inicial utilizavam cera de carnaúba, eram gravados em apenas uma das faces e tocados em vitrolas movidas a manivela.
Apesar das limitações técnicas, essa iniciativa representou uma verdadeira revolução para a música popular brasileira, que engatinhava, pois até então os artistas só podiam se apresentar ao vivo ou comercializar suas criações por intermédio de partituras impressas.
O primeiro disco brasileiro foi gravado na Casa Edison pelo cantor Manuel Pedro dos Santos, o Bahiano, em 1902. Era o lundu “Isto é Bom”, de autoria do seu conterrâneo Xisto da Bahia.
A partir daí mais e mais artistas começaram a gravar suas composições em discos que eram distribuídos pela Casa Edison do Rio e também pela filial que Figner havia aberto em São Paulo.A procura pelos discos cresceu tanto que em 1913 Fred decidiu instalar uma indústria fonográfica de grande porte na Av. 28 de Setembro, Vila Isabel, dando origem ao consagrado selo Odeon.


Discos Odeon
A MANSÃO FIGNER
Fred Figner era um homem à frente do seu tempo. Coroando o sucesso nos negócios ergueu uma residência que espelhava seu perfil  empreendedor. A hoje conhecida Mansão Figner, na Rua Marquês de Abrantes 99, no Flamengo, abriga o Centro Cultural Arte-Sesc e o restaurante Bistrô do Senac. É considerada um exemplo arquitetônico raro de “casa burguesa do início do século 20”.
Fred Figner utilizou-a como hospital em 1918, durante a pandemia conhecida como Gripe Espanhola. 
Apesar de ele próprio estar acometido pela enfermidade, atuou como auxiliar de enfermagem, transformando seu palacete
em uma improvisada enfermaria de campanha.

Mansão Figner Hoje
RETIRO DOS ARTISTAS
Fred mostrou-se generoso e solidário. 
Pela própria natureza do trabalho nas suas duas gravadoras havia se tornado amigo de muitos músicos e cantores de sucesso. 
Em uma época que antecedeu a criação da Previdência, ficou consternado com a situação de penúria que alguns desses artistas
tinham de enfrentar ao chegar à velhice. 
Sensibilizado com esse verdadeiro drama social, decidiu doar o terreno, em Jacarepaguá, para a construção da modelar instituição
Retiro dos Artistas, que funciona até os dias de hoje.

Retiro dos Artistas em Jacarepaguá

O FINAL

Em 19 de janeiro de 1947, quando faleceu, aos 81 anos de idade, ao se abrir seu testamento verificou-se que Fred Figner havia destinado parte substancial dos seus bens às obras sociais de Chico Xavier.
O jornal carioca A Noite Ilustrada publicou editorial em que o judeu Frederico Figner foi honrado, post-mortem, com o merecido título de “o mais brasileiro de todos os estrangeiros”.

 

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Informativo da APDA


Organização Marítima aprova regras sobre redução da emissão de gases de efeito estufa
Transporte marítimo corresponde a cerca de 4% das emissões de CO2 do mundo





Daniela Gross
Da Rádio ONU em Nova York


A Organização Marítima Internacional, OMI, aprovou novas medidas obrigatórias para a redução da emissões de CO2 em transporte marítmo.
De acordo com a agência das Nações Unidas, esta é a primeira vez que uma resolução deste tipo é adotada no setor da indústria internacional
As medidas foram anunciadas durante a reunião do Anexo VI da Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios, Marpol, na sigla em inglês, encerrada no fim de semana.
Escolhas
As novas regras entram em vigor em janeiro de 2013. Pelas medidas, navios novos e as demais embarcações com espaços superiores igual ou maior que 400 toneladas terão que se adequar aos Índices de Eficiência Energética das Nações Unidas.
As medidas também exigem que as embarcações se adaptem ao Plano de Gerenciamento de Energia de Navios da OMI, que estabelece mecanismos para melhorar a eficiência energética.
A Convenção Marpol, que foi adotada em 1973,  é o principal tratado internacional para a prevenção da poluição marinha por navios.  A convenção cobre áreas como danos causados ao meio ambiente por vazamento de óleo, produtos químicos, substâncias nocivas em embalagens, esgoto e lixo.

terça-feira, 19 de julho de 2011

MEMÓRIA DOS GATOS

Seletiva, muito seletiva

   Os gatos aprendem e fazem-no depressa.
Por isso aprendem o nome pelo qual o chama ao cabo de poucos dias, onde guarda as gulodices, onde está a taça da água, qual o melhor local para caçar as suas presas favoritas, qual o melhor sítio da casa para dormir a sesta no Inverno, qual o local mais fresco no verão… Os gatos têm memória e ela é duradoura.
Sabem onde procurar a caixa de areia, a gateira, os brinquedos favoritos… A sua memória permite-lhes aprender e recordar as rotinas dos donos e antecipá-las, indo para a cama logo que os ouvem lavar os dentes ou apagar a televisão.
Conseguem mesmo regressar a casa, por vezes, mesmo após muitas semanas e demasiados quilómetros depois, graças ao seu sistema de navegação e à forma como recordam qual era a posição do sol na sua casa.
Recordam bem quem os trata bem e aqueles que devem recear ou atacar, os melhores caminhos e os locais a evitar. Isto é, aprendem e memorizam imensas coisas.
Porém, por vezes parecem não querer perceber que os ratos que caçam não devem ser levados para dentro de casa, a mobília não deve ser arranhada e os donos não gostam que use a sua roupa preta como colchão.
A questão é que há coisas que são de extrema importância para o gato e outras que apenas são importantes para o dono e a sua memória seletiva leva-os a privilegiar as primeiras. Apenas com treino adequado, o gato aprenderá aquilo que deve recordar em nome do dono. Há que respeitar a natureza dos animais e ser um pouco mais inteligente do que eles para conseguir o comportamento ideal ao bom convívio dentro de casa.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

A FOME É NORMAL!

Um dos segredos para saciar mais rapidamente a fome é adicionar alimentos integrais e ricos em fibras à sua dieta
A fome é normal e bem vinda. Nada como comer com fome. Tudo parece mais gostoso e atrativo. É exatamente porque sentimos fome que protegemos nossos estoques de energia e mantemos nossos níveis de açúcar dentro de uma faixa normal, para atender às nossas demandas. Três ou quatro horas depois de uma refeição, à medida em que nossos níveis de açúcar no sangue começam a cair, ocorre um estímulo progressivo aos centros neurológicos da fome no cérebro e buscamos comida. Respeitar esse tempo entre uma refeição e outra é nosso principal aliado para sentirmos 'uma fome normal'.

Há uma crença equivocada de que a sensação de fome está alterada nas pessoas que comem muito e/ou que são obesas. Muitas delas chegam ao consultório desejosas de tomarem algum medicamento que 'corte' a fome. A crença é de que essas pessoas têm mais fome do que as demais pessoas que comem menos. Grande equívoco. As pessoas que comem mais e/ou são obesas têm na realidade uma grande falha nos sinais de saciedade. Ou seja, comem, não se sentem saciadas e continuam comendo. Mesmo assim, muitas vezes, até interrompem a refeição, mas mediante um grande esforço, pois comeriam muito mais se pudessem.

É natural e corriqueira a ligação de fome à ansiedade. Nesses casos, comemos automaticamente ou regidos por impulso. Isso não é fome. Nessas ocasiões, geralmente, comemos alimentos que gostamos muito, que causam prazer. Muitos pacientes dizem acalmar-se ao ingeri-los. O consumo de alimentos pouco palatáveis nessas ocasiões ou o impulso de comer alimentos que nem apreciamos já se configura num quadro mais grave de ansiedade e a possibilidade da ocorrência de compulsão alimentar. Isso tanto é verdade que, nesses casos, é equivocada a utilização de medicamentos para abolir a fome, pois as pessoas continuam a comer compulsivamente guloseimas e a beliscar, passando a abolir o que é mais importante, as refeições básicas.

Além da ansiedade, a fome está associada às alterações do humor. Encontramos quadros de depressão, onde os pacientes aumentam muito o consumo de alimentos, mas os casos mais graves estão relacionados à total inapetência e perda de peso. Essas formas de doenças psiquiátricas que influenciam os sinais de fome e saciedade revelam claramente o perfil anormal do apetite e sua nítida diferença das formas normais de fome.

Treinando a saciedade


Uma vez que ganho de peso e obesidade estão relacionados muito mais com sinais de saciedade comprometidos do que com fome excessiva, precisamos treinar alternativas para melhorar nossa saciedade. Veja a seguir o que a equipe de nutrição do Citen sugere:

1 - Coma devagar: os sinais de saciedade são exercidos por substâncias químicas liberadas pelas células do trato digestivo que, como hormônios, são liberados na corrente sangüínea e alcançam os centros cerebrais que regulam fome e saciedade. Quando comemos muito rápido, simplesmente não damos tempo para que isso ocorra ou quando essas substâncias alcançam o cérebro, já estamos com o estômago muito cheio;

2 - Faça refeições em intervalos regulares:  ao pular uma das refeições, passamos mais de seis horas sem nos alimentar e isso simplesmente inviabiliza uma próxima refeição normal. O jejum prolongado faz com que todos os sinais de fome sejam acionados e não sejamos seletivos na escolha da próxima refeição. Além disso, ao comermos a cada três horas, conseguiremos ter saciedade mais precoce e reduzimos tranquilamente o volume das refeições diárias;

3 - Faça sempre refeições balanceadas: nada de abolir os carboidratos do jantar, nada de comer somente salada e grelhado no almoço, mas também nada de comer apenas carboidratos. A explicação é simples: a composição balanceada de uma dieta melhora o tempo de digestão e absorção dos alimentos, tornando mais prolongada a saciedade, uma vez que reduz a velocidade do esvaziamento gástrico;

4 - Adicione alimentos integrais e ricos em fibras à sua dieta: vale a pena mudar para o pão integral e para o arroz integral, comer saladas e frutas que são ricas em fibras, adicionar grão de bico ou feijão às saladas e utilizar cereais integrais em lanches. Os alimentos ricos em fibras reduzem o esvaziamento gástrico, aumentando assim o tempo de saciedade após a refeição;

5 - Evite ingerir refeições volumosas: estas refeições condicionam nossa saciedade a uma ingestão sempre de grande volume de alimentos, fazendo com que só nos sintamos satisfeitos, quando nosso estômago estiver muito cheio. Isso acaba por criar um hábito de comer muito e só sentir saciedade quando ultrapassamos os limites;

6 - Não abra mão das saladas: geralmente, quando partimos diretamente para o prato principal, ingerimos um maior volume de alimentos. A saciedade depende também do volume do alimento. As saladas, além de ricas em fibras, aumentam o volume do bolo alimentar e reduzem parte da fome com a qual iniciamos o prato principal. Isso pode ser facilmente exemplificado com as massas. Quando ingerimos um belo prato de saladas, antes do espaguete no domingo, precisamos de muito menos massa para sentirmos satisfeitos;

7 - Saciedade é treino e equilíbrio: isso é perceptível nos casos de ansiedade, quando passamos a ter maior necessidade de grandes volumes de alimento. A ansiedade não nos permite saborear o alimento, nem sentir saciedade. Logo, é preciso exercitar equilíbrio e calma para fazer nossas escolhas alimentares e para nos sentirmos saciados com elas;

8 - Evite o comportamento beliscador: comer pequenas porções de alimento, várias vezes ao dia, compromete a saciedade, pois quem tem esse comportamento nunca tem fome suficiente para comer uma refeição, mas também nunca está totalmente sem fome para recusar guloseimas. Esse modelo alimentar gera uma falta de saciedade crônica e a ingestão de grandes volumes de pequenas porções de alimentos, que, quando somadas resultam em muito mais calorias do que se ingere nas refeições convencionais;

9 - Não troque refeições por doces: esse comportamento resulta em desnutrição por falta dos alimentos básicos e fome crônica, uma vez que os doces são rapidamente absorvidos e elevam a produção de insulina muito rapidamente. Esse hormônio reduz o tempo de saciedade, resultando em sensação de fome precoce;

10 - Não coma sem estar atento ao alimento: evite comer na frente do computador, assistindo TV ou estudando. Quando não observamos o quê e o quanto comemos, grandes volumes são ingeridos sem a percepção da saciedade. É frequente presenciarmos na saída de um cinema, após comer um balde de pipocas (1200 calorias), alguém perguntar aos acompanhantes onde eles irão jantar.
*Por Ellen Simone de Paiva, médica endocrinologista e nutróloga, diretora do Citen - Centro Integrado de Terapia Nutricional
Redação Bonde*

SEM DELONGA

Renato Mazânek, um dos mais antigos e destacados profissionais da publicidade, do rádio e da tevê do Paraná, lança dia 25 o seu livro Ondas curta e média sem delonga, no Palacete dos Leões.
O livro traz boas histórias da época de ouro do rádio de Curitiba.
Aliás, ouvir rádio traz felicidade, como mostrou ontem a coleguinha Juliana Gonçalves, da sucursal da Gazeta do Povo de Londrina, sobre uma pesquisa britânica segundo a qual o rádio faz mais bem do que a televisão e a internet.

vALE A PENA CONFERIR!

domingo, 17 de julho de 2011

"Ondas curta e média sem delonga"


Olá, amigos e amigas.
Segunda-feira, dia 25 de julho, às 19h30m, no Palacete dos Leões (Avenida João Gualberto, 570),
será o lançamento do livro "Ondas curta e média sem delonga", do nosso amigo Renato Mazânek. 

Ele prestigia o nosso Rádio e os nossos radialistas. Com a nossa presença ao evento estaremos demonstrando o nosso reconhecimento pelo seu brilhante trabalho. Vamos lá. Será um agrável encontro de veteranos da nossa radiofonia.



sábado, 16 de julho de 2011

ÁGUA DEMAIS NÃO É BOM

A recomendação para beber de seis a oito copos de água por dia para prevenir a desidratação pode não fazer tanto sentido, defende texto publicado no periódico British Medical Journal. Isso porque não existem evidências claras dos benefícios de beber exatamente essa quantidade.

A ingestão de 1,5 a dois litros é defendida por inúmeras instituições, incluindo o National Health Service, do Reino Unido, além da classe médica. No entanto, argumenta a análise, não existem estudos empíricos que confirmem que essa quantidade de água realmente é a ideal. Além disso, a água, sozinha, não seria a solução para muitos problemas de saúde.

Embora grupos de pessoas específicos sejam diretamente beneficiados por sua alta ingestão, como portadores de pedras nos rins, existem conflitos que não permitem que se afirme, definitivamente, que aumentar o consumo atua na prevenção da doença. Por isso, doenças são situações complexas demais para que se diga que beber água, apenas, pode solucioná-las.

12 motivos para manter o consumo de água regular

Mesmo com algumas controvérsias em relação à quantidade a ser ingerida, a água é muito importante para regular algumas funções de nosso corpo, como o controle da temperatura corporal até o bom funcionamento do sistema circulatório. Hoje, os médicos costumam se basear em um cálculo para indicar o consumo ideal para cada pessoa: basta multiplicar o seu peso corporal por 0,03. Assim, uma pessoa com 70 quilos, por exemplo, deve tomar aproximadamente 2,1 litros de líquido por dia. Confira 12 motivos para não se esquecer de beber água regularmente:

1. Controlar a pressão sanguínea: Um estudo feito pela Vanderbilt University Medical Center, nos Estados Unidos, mostrou que a água sem nenhum aditivo pode ter um papel importante para regular a pressão sanguínea.


2. Previne cãibras: As cãibras aparecem quando há um desequilíbrio na quantidade de água na musculatura, causando sua contração involuntária. Assim, beber água regularmente ajuda a manter o equilíbrio das células musculares.

3. Protege o coração: Estudo feito pela Loma Linda University, nos Estados Unidos, indica que beber água regularmente diminui as chances de ataque cardíaco. Isso aconteceria porque o sangue ficaria mais diluído, fluindo com maior facilidade pelos vasos sanguíneos, o que diminuiria as chances de infartos e derrames.

4. Melhora o funcionamento do intestino: A água auxilia na lubrificação das paredes intestinais e na movimentação do bolo fecal, evitando constipação e a formação de gases.

5. Aumenta a resistência física: Durante exercícios físicos, a perda de água pelo suor faz com que nosso desempenho piore, exigindo maior cuidado com a hidratação. Além dela, a água ajuda a controlar a temperatura do corpo, e assim melhora o rendimento em alguns esportes.

6. Limpa o organismo: O consumo de água é vital para o bom funcionamento do organismo, já que quando não nos hidratamos corretamente, substâncias tóxicas e prejudiciais ficam retidas no organismo, abrindo o caminho para o aparecimento de algumas doenças.

7. Protege contra pedra nos rins: Quanto mais água bebermos, mais o nosso sangue circulará e ficará diluído, facilitando o trabalho dos rins na hora de excretar nutrientes que não são mais necessários em nosso organismo.
8. Transporte de nutrientes: Sem ela, o sangue fica mais denso e, consequentemente, menos capaz de transportar nutrientes como vitaminas e minerais para nossas células.

9. Ajuda a emagrecer: Por aumentar a atividade no sistema nervoso, e assim elevar o nível de energia gasto, o hábito de beber água constantemente também promove a perda de peso.

10. Protege os olhos: Manter o organismo hidratado é essencial para que os olhos fiquem protegidos de lesões. Manter o organismo com níveis de água elevados protege os olhos contra o ressecamento, que pode levar a inflamações e infecções oculares.

11. Absorção de vitaminas: Algumas vitaminas, como a vitamina A, B e C são hidrossolúveis, ou seja, só são absorvidas pelo organismo com a presença de água.

12. Manter a pele jovem: Um dos primeiros sinais da desidratação se dá na pele e nas mucosas. Além de deixar a pele hidratada e firme, beber água também favorece a excreção de toxinas, substâncias que prejudicam a pele.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

DETALHES

Os ministérios da Previdência Social e da Fazenda publicaram nesta sexta-feira (15) portaria no Diário Oficial da União (DOU) que aumenta o reajuste do valor dos benefícios do piso previdenciário de 6,41% para 6,47%, ou seja, uma alta de 0,06 ponto percentual, e altera o teto do salário de contribuição e do salário de benefício de R$ 3.689,66 para R$ 3.691,74.
A Previdência explica que, em janeiro deste ano, os benefícios acima do salário mínimo foram reajustados em 6,41% com base no INPC estimado para dezembro, como o índice fechou em 6,47%, os benefícios estão sendo agora reajustados retroativamente a janeiro de
A portaria conjunta é a nº 407. De acordo com a Previdência, em média, o reajuste será de R$ 0,65 para benefícios que tinham valor superior ao salário mínimo em dezembro de 2010.

Alíquotas

A portaria estabelece também as novas as alíquotas de contribuição do INSS dos trabalhadores empregados, domésticos e trabalhadores avulsos. As alíquotas são de 8% para aqueles que ganham até R$ 1.107,52; de 9% para quem ganha entre R$ 1.107,53 e R$ 1.845,87; e de 11% para os que ganham entre R$ 1.845,88 e R$ 3.691,74.
Os benefícios terão reajuste retroativo a janeiro, mas para as contribuições previdenciárias, as novas alíquotas deverão ser aplicadas apenas no próximo mês, diz nota publicada pela Previdência.
Os recolhimentos a serem efetuados em julho – relativos aos salários de junho – ainda seguem a tabela anterior. Nesse caso, as alíquotas são de 8% para aqueles que ganham até R$ 1.106,90; de 9% para quem ganha entre R$ 1.106,91 a R$ 1.844,83 e de 11% para os que ganham entre R$ 1.844,84 até R$ 3.689,66.
A portaria também estabelece que o valor mínimo dos benefícios pagos pelo INSS – aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte -, as aposentadorias dos aeronautas e as pensões especiais pagas às vítimas da síndrome da talidomida, será de R$ 545.
O mesmo piso vale também para os benefícios da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) para idosos e portadores de deficiência, para a renda mensal vitalícia e para as pensões especiais pagas aos dependentes das vítimas de hemodiálise da cidade de Caruaru (PE). Já o benefício pago aos seringueiros e seus dependentes, com base na Lei nº 7.986/89, terá valor de R$ 1.090,00.
A cota do salário-família corresponde a R$ 29,43 para o segurado com remuneração mensal não superior a R$ 573,91, e, a R$ 20,74, para o segurado com remuneração mensal superior a R$ 573,91 e igual ou inferior a R$ 862,60.
O auxílio-reclusão será devido aos dependentes do segurado cujo salário-de-contribuição seja igual ou inferior a R$ 862,60.

PARANÁ PREVIDÊNCIA

O Banco do Brasil vai continuar administrando a folha de pagamento do funcionalismo público do Paraná por pelo menos mais cinco anos. O novo contrato com o banco foi assinado nesta segunda-feira (11) pelo governador Beto Richa (PSDB). O banco vai pagar ao Estado R$ 500 milhões para operar as contas de 151 mil servidores.
De acordo com o governo, o valor é cinco vezes maior do que o recebido pelo Paraná no contrato assinado em 2006. A opção por manter o contrato com o BB, sem passar por licitação, teve o objetivo, segundo o governo, de privilegiar uma instituição pública e evitar transtornos aos servidores que já recebem os pagamentos pelo banco.
A folha salarial do governo do Paraná tem um volume mensal de R$ 500 milhões. O pagamento dos 75 mil servidores aposentados e 25 mil pensionistas é feito pela Paraná Previdência, por meio da Caixa Econômica Federal, e não está incluído no contrato com o Banco do Brasil.
Os recursos do novo contrato com o BB, quando forem recebidos pelo tesouro estadual, serão investidos em obras e nas áreas de saúde, educação, segurança e infraestrutura, garantiu o governo.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

PESQUISA

Os animais domésticos proporcionam apoio social e emocional às pessoas, revelou uma pesquisa da Associação Psicológica dos Estados Unidos.
O estudo indicou que donos de cachorros, gatos e outros bichos de estimação mantêm uma relação tão estreita com as pessoas próximas como a que têm com seus animais, o que aponta que este tipo de interação não é desenvolvida em função das relações humanas.
Os psicólogos da Universidade de Miami e da Universidade de St Louis realizaram três experimentos que examinaram os possíveis benefícios de se conviver com um mascote.
Segundo o artigo publicado na internet da revista "Journal of Personality and Social Psychology", o estudioso Allen McConnel, da Universidade de Miami, disse que, em termos gerais, essas pessoas "têm mais qualidade de vida e conseguem resolver melhor diferenças individuais que as que não têm animal de estimação".
"Especificamente os donos de mascotes têm mais autoestima e estão em melhores condições físicas, além disso, tendem a ser menos solitários, são mais conscientes do que ocorre a sua volta, são mais extrovertidos, tendem a ser menos receosos e menos preocupados", acrescentou.
Para realizar o artigo, os pesquisadores questionaram 217 pessoas (79% mulheres, idade média - 31 anos, renda familiar de cerca de US$ 77 mil).
"Os estudos revelam provas consideráveis de que os animais de estimação beneficiam a vida de seus donos tanto no âmbito psicológico como no físico, já que representam uma importante fonte de apoio social", concluiu. EFE

quarta-feira, 13 de julho de 2011

C H I S T E

Exames da OAB reprovam 80 por cento dos candidatos.

Comentei com um colega meu e ele me contou o diálogo que ouvira de dois amigos-candidatos:

1- Tu fostes ao cinema ontem?

2- Eu fuste!

1- Como é que eu não te viste?

2- Porque quando tu entraste eu saiste!


     Tóim!!!

terça-feira, 12 de julho de 2011

APOSENTADORIA


Tecnologia: contribuinte pode simular sua aposentadoria no site da Previdência

 O Simulador de Aposentadoria é uma ferramenta disponível no site da Previdência Social, a qual permite que o trabalhador filiado ao RGPS (Regime Geral de Previdência Social) calcule o tempo de contribuição para a sua aposentadoria.
Para isso, basta ele informar as datas de admissão e demissão de cada um dos contratos de trabalho, que já saberá se completou as condições para a aposentadoria, assim como o tempo que falta para ter direito ao benefício integral.
Porém, vale salientar que não se trata de nenhuma garantia ou certidão, é apenas um extrato para orientar se a pessoa tem condições de requerer sua aposentadoria.
"Este serviço está sendo aprimorado. A última versão, por exemplo, tem uma estrutura de apresentação das informações e dos resultados de maneira mais simples para os beneficiários", afirma o diretor de Benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), Benedito Brunca. "Espera-se que, ao final da consulta, o segurado tenha bastante clareza, a respeito do período que falta para ele contribuir".
Tudo em ordem? É hora de se aposentarCom a ferramenta, é possível que o contribuinte descubra o tempo que já alcançou até agora, quanto já acumulou e quanto falta contribuir para que possa se aposentar.
E se o simulador informar que ele tem condições para se aposentar? Brunca explica que a pessoa deve se agendar o atendimento por meio da Central 135 ou pela internet a uma das agências do INSS.
"O simulador de aposentadoria informa ao cidadão se ele preenche os requisitos para a aposentadoria por tempo de contribuição. Neste caso, ele vai até uma agência requerer seu benefício com um grau de certeza maior", aponta.
Porém, ele avisa que o Simulador ainda não importa os dados do CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais). "Em outro momento esperamos ter a oportunidade de agregar essa funcionalidade à simulação de contagem de tempo por meio de uma senha, mas isso ainda encontra-se em estágio de teste".
Acesso à informaçãoBrunca ainda lembra de outra ferramenta disponível para o cidadão: o extrato previdenciário.
 Ele é uma parceria entre o INSS e o Banco do Brasil, e permite que ele obtenha todas as informações do CNIS disponível no banco de dados da Previdência Social, bem como tudo sobre admissão, demissão e remuneração no histórico de trabalho.
"É uma boa forma de a pessoa manter atualizado o registro das contribuições das empresas onde atua e acompanhar se estas estão realizando o recolhimento junto à Previdência Social", destaca.
O extrato ainda indica, complementa Brunca, se os cadastros estão completamente validados ou se existem pendências, como a necessidade dele apresentar um documento complementar, caso haja alguma entrega tardia de documentos por parte da empresa.
"Isso oferece mais segurança ao segurado", afirma Brunca, "permitindo que ele se certifique da inexistência de qualquer pendência quando for requerer a sua aposentadoria".

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Você concorda?

SERÁ QUE TAMBÉM, TEMOS QUE FAZER ISSO, EM NOSSAS CIDADES!
Se concordar, repasse!!
O outdoor colocado na rua Olívio Domingos Brugnago, no bairro Vila Nova, em Jaraguá do Sul (SC), demonstra a indignação sobre a proposta de aumento do número de vereadores na Câmara.
Na Ilha da Figueira, bairro de Jaraguá do Sul, foi colocado o outdoor abaixo:
E finalmente...
Você concorda? Então repasse!!!
(Valeu Milton)

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html