quinta-feira, 15 de setembro de 2011

(E agora Wassyl?) E não é que o WS topou o desafio!!!

PROVERBIOS DA MARJORIT



DE:
PARA:

Sábado, 10 de Setembro de 2011 4:17

Corpo da mensagem

Como diria o Paulo Branco “Pois então...”, Marjorit.
Vocês resolveram viver no paraíso e tem tempo pra buscar os ditos populares. E eu, tal qual o PB, não tendo mais o que fazer, vou respondendo. Vamos lá;
Lembrando de uns ditados populares:
Cada macaco no seu galho
Desde que você quebre o meu galho, diz o político;

Cavalo dado não se olha os dentes
Quando tem dentes.

O peixe morre pela boca
Depende. Quando é “peixe grande”, abre a boca e não morre nunca.

Apressado come cru
E o pobre tranqüilo, não come nunca.

È o fim da picada
O homem simples, sonhar com o futuro, é o fim da picada.
Se liga, Mané.

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura
Fura o bolso do contribuinte, não Sanepar?

Em casa de ferreiro o espeto é de pau
E em casa de político o espeto é com picanha argentina.

A vaca foi pro brejo
E o idiota do eleitor vai atrás.

Com quantos paus se faz uma canoa
Uma canoa, não sei, diria o Onassis. Mas um iate eu sei quantos idiotas são necessários.

Cada qual com seu igual
Pobre é pobre. Político é político. Não confundam.

Quem não deve não teme
É o que dizem os pais do mensalão.

É tão difícil como achar uma agulha num palheiro
Políticos honestos no congresso brasileiro.

Mais perdido do que cego em tiroteio
Ficou o cara que estava procurando os políticos honestos.

Óculos escuro, olho seguro
Ninguém ter certeza se você viu ou não.
A essas alturas do campeonato...
O Atlético já sabe para onde vai.

É dando que se recebe
Já instituído no Brasil. O lising do voto.

Quem cedo madruga, Deus ajuda
Ajuda a ficar cansado mais cedo.

Quem não chora,não mama
Mas aqueles que mamam nas tetas do governo, não choram nunca.

Quem não arrisca, não petisca
Mas os poucos que petiscam, não arriscam nada de seu.

Aqui se faz, aqui se paga
Se paga com os dízimos arrecadados.

É dar pérolas aos porcos
É o mesmo que dar votos aos políticos brasileiros.

Pensando na morte do bezerro
Ficou o eleitor passada a eleição.

Ou vai, ou racha
E sempre racha, quando quem diz é o pobre.

Fazer cortesia com o chapéu dos outros
São os benefícios que o governo faz com os nossos impostos.

Cada um por si, Deus por todos
Todos aqueles que pagam em dia o dízimo, não é pastor?

Cor de burro quando foge
Como quem rouba sem saber carregar. É cassado.

Melhor um pássaro na mão do que dois voando
Mais vale um homem honesto que dois congressistas voando pra Brasília.

Santo de casa não faz milagre
Nem poderia. Não recebe dízimos para ter com que pagar os milagres.

Devagar que o santo é de barro
Não tem problema. Se quebrar os carolas fazem uma campanha e compram outro.

O que os olhos não vêem, o coração não sente
É o grande problema de Brasília. Do aeroporto para o congresso e do congresso para o aeroporto. Onde está a tão propalada miséria? Não vejo nada.

Quem procura, acha
Por isso tomem cuidado. Sempre que tiver uma multidão e polícia por perto, nunca perguntem “O que está acontecendo?”

Quem canta os males espanta
Cante a mulher do alheio e veja o resultado.

Devagar se vai ao longe
Pra quem anda a pé. Quem vai de avião, vai muito mais longe.

O seguro morreu de velho
Velho, aposentado, sentido e mal pago.

Quem fala o que quer, ouve o que não quer
Quando quer. Se for numa coletiva do Planalto, fala e deixa a assessoria fazer ouvidos moucos.

De curioso, morreu o gato
Por isso é que político brasileiro não tem curiosidade em saber como vive o seu eleitor.

Está cavando a própria cova
São todos aqueles que aguardam as obras para a próxima copa do mundo, no Brasil.

Deixe que se enforque com a própria corda
É a filosofia da justiça brasileira que acumula milhões de processos, parados nos gabinetes.

Melhor prevenir do que remediar
Portanto, aprenda. Dê um sapato antes da eleição e o outro, depois de aleito.

Uma andorinha só não faz verão
Já dizia o presidente do partido ao candidato novato.

Tampou o sol com a peneira
Fez promessas, se elegeu e nunca cumpriu.

Falem bem, falem mal, mas falem de mim
Foi aquele que tampou o sol com a peneira. Se deu bem.

As paredes têm ouvidos
E olhos também (câmeras). Mas e daí? A justiça brasileira é cega, não é deputada?

Nem tudo que reluz é ouro
Mas o que depositar nas contas no exterior fica escondido e ninguém vê que reluz.

A palavra vale prata, o silêncio vale ouro
Por isso as autoridades falam muito e escondem, nas entre linhas, no silêncio, o que realmente pensam. Ou seja, o discurso é um, a prática é outra.

Melhor morrer de azia, do que de barriga vazia
Eis aí uma grande verdade, muito cultuada nos ministérios brasileiros.
Onde há fumaça, há fogo
Será? E tudo que falam dos governantes brasileiros? É fogo, minhas gente!!!
(E agora Wassyl?)Valeu!
É como dizia aquele velho deitado ou melhor,aquele velho ditado:
Escreveu não leu pau comeu!!!  Inté

Nenhum comentário:

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html