quinta-feira, 31 de outubro de 2013

PARQUES DE CURITIBA



PARQUE DA VILINHA.

“O Parque Histórico de Curitiba, também conhecido como Parque Histórico da Vilinha fica na Rua Arno Feliciano de Castilho, esquina com Rua Marco Polo, no Bairro Alto.
 
 O local também é conhecido como Praça Max Sesselmeier, nome do antigo proprietário da área que foi doada à Prefeitura em 1967 para a construção do parque.
 
 O Parque Histórico foi inaugurado em 1972 para marcar o local de fundação da vila que daria origem a Curitiba. 

Um acampamento de garimpeiros, às margens do Rio Atuba, deu início ao povoamento europeu dos campos de Curitiba. 
 
Eram portugueses, em sua maioria.
 O Parque Histórico de Curitiba marca a área onde os garimpeiros se estabeleceram inicialmente, no século 17. 
Posteriormente transferiram-se para o atual centro de Curitiba.

Segundo a lenda, a imagem de Nossa Senhora da Luz trazida por eles amanhecia sempre voltada para uma mesma direção. 
O cacique Tindiquera, da tribo Tingui, consultado pelos portugueses, teria encontrado o local indicado pela santa, onde se formaria a nova Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.
 
 O local indicado pelo cacique é hoje o marco zero de Curitiba, a Praça Tiradentes”. 

Informações e fotos colhidas no Guia Geográfico e no Portal da Prefeitura de Curitiba.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Valdir Alves da Silva Wassnuth

Na postagem anterior relatamos parte da historia do Valdir Silva ou Dentinho,que foi operador de som da Rádio Guairacá na década de 1970.Grande e divertido amigo e exelente colega de equipe.Obrigado por tudo e apareça.Abraços mil para ti e tua familia.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013



INSTITUTO MEMÓRIA EDITORA & PROJETOS CULTURAIS
 
LOGO IM TRANSP 
10 anos dando Vez e Voz à cultura nacional!
 
DB-004513_LOGO_BRDE_RGBACP-com escrita preta-Illustrator
29/10/2013 – 19H00 – PALACETE DOS LEÕES
VI TERTÚLIA LITERÁRIA INSTITUTO MEMÓRIA
 
O Instituto Memória Editora & Projetos Culturais, a ACP – Associação Comercial do Paraná e o BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul convidam para mais um evento cultural que visa dar vez e voz à cultura paranaense. 
 
Durante o evento serão sorteadas inúmeros prêmios.
 
Divulgue! Prestigie! Apoie! Compareça!
 
O Paraná que queremos somos nós que fazemos, por ação ou omissão!
 
Anthony Leahy – Editor
Conselheiro da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História - SP
Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná e da Academia de Cultura de Curitiba
 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

RÁDIO E TV EDUCATIVA DO PARANÁ

O projeto de lei que altera o regime jurídico da emissora de rádio e televisão E-Paraná – a antiga Rádio e TV Educativa do Paraná (RTVE) – foi aprovado ontem em primeira discussão na Assembleia Legislativa. A proposta de mudança jurídica da emissora – de autarquia para serviço social autônomo – teve 33 votos favoráveis e 11 contrários. Um serviço social autônomo é uma entidade de direito privado com função pública.
Contrária à aprovação do projeto, a bancada do PT na Assembleia emitiu nota declarando que vai apresentar seis emendas na sessão de hoje, quando o projeto segue será votado em segundo turno. Entre as propostas, estão a criação de uma Ouvidoria dentro da emissora; a criação de um conselho curador, com membros da sociedade civil; a garantia, por parte do Estado, de autonomia na produção de conteúdo da emissora; e a contratação via concurso público de funcionários celetistas – o projeto estipula apenas um teste seletivo para contratar funcionários.
O projeto, de autoria do Executivo estadual, tramita na Casa em regime de urgência. A proposta na verdade transfere a produção de conteúdo da emissora para o serviço social autônomo criado por lei. A antiga E-Paraná, uma autarquia, continuará a existir apenas como transmissora do sinal de rádio e televisão.
De acordo com a assessoria do governo, a mudança resolve a questão do pagamento dos funcionários por cachê. Também será promovido um novo processo seletivo para a contratação de pessoal, uma demanda do Sindicato dos Jornalistas do Paraná. O governo acrescenta ainda que o serviço também poderá captar recursos externos em instituições públicas e privadas.
Atualmente, a E-Paraná tem cerca de 130 funcionários que recebem por cachê, o que vem sendo questionado pelo Ministério Público. Com o novo arranjo, a assessoria informa que apenas os cerca de 40 estatutários que já estão na E-Paraná continuariam na autarquia, e todos os novos funcionários do serviço social autônomo seriam contratados pelo teste seletivo. A assessoria afirmou ainda que não haverá qualquer prioridade para contratar os funcionários que hoje recebem por cachê.
O projeto foi questionado em uma audiência pública realizada anteontem na Assembleia. Tanto para a oposição quanto para representantes de classe presentes, preocupa a falta de garantias aos funcionários.
Na audiência, o chefe do núcleo jurídico da Secretaria do Governo, o procurador Miguel Ramos, admitiu que o projeto pretende fazer com que o estado atenda às determinações da Lei de Responsabilidade Fiscal, já que os funcionários da E-Paraná entram hoje na conta do gasto com pessoal, que extrapola o limite prudencial de 46,55% da receita corrente líquida.
(Fonte:Gazeta do Povo.)

terça-feira, 22 de outubro de 2013

MUDANÇAS NA TV EDUCATIVA DO PARANÁ

Conheça os principais modelos de veículo estatal propostos para emissora E-Paraná:
Autarquia
Atualmente, a E-Paraná é uma autarquia – ou seja, uma entidade de direito público da administração indireta do governo. Isso quer dizer que a emissora está subordinada a uma secretaria do governo e que seus funcionários precisam ser estatutários, contratados mediante concurso público. Por ser uma autarquia, teoricamente não poderia haver pagamento dos funcionários por cachê (o que ocorre). Também é proibida a venda de espaços comerciais na programação. A programação precisa ser autônoma e de caráter educacional, sendo proibido o seu uso para propaganda institucional.
Serviço Social Autônomo
Modelo proposto pelo governo, o serviço social autônomo está fora da administração direta e indireta do governo. Teoricamente, precisa seguir os princípios gerais da administração pública, o que significa que as formas de contratação e gerenciamento são parecidos com os de uma autarquia. Mas, por ser uma entidade de direito privado, os gastos com funcionários não entram nas contas do governo.
Fundação
Um dos modelos propostos por representantes da sociedade civil durante a audiência pública de ontem, a fundação faz parte da administração indireta, mas tem autonomia para de conteúdo e de processos administrativos. Requer concurso público e licitação para contratações, mas seus funcionários são regidos pela CLT – caso a fundação seja de direito privado. Tem prioritariamente função social. A TV Cultura, de São Paulo, segue esse molde.
230 é o número de funcionários da E-Paraná atualmente. Desses, 40 são estatutários (servidores efetivos), 40 são comissionados (cargos de confiança), 20 são estagiários e 130 recebem por cachê.

sábado, 19 de outubro de 2013

CARTA DA MEDICINA PARA UM MÉDICO

Eu não tenho resposta para tudo.

Se me perguntarem como você poderia me perdoar pelo tanto que exigi e continuo exigindo de você,eu não saberia responder.

Mesmo assim eu gostaria de aproveitar para lhe pedir perdão.

Perdão por tirar tantas horas da sua juventude,absorvendo você com intermináveis paginas dos meus livros.

Perdão por lhe tomar tantas noites de descanso,embalando você em exaustivos plantões.

Perdão pelos momentos de diversão que você abriu mão por me levar tão a sério.

Perdão à sua família.Disputar comigo não é fácil.

E a compreensão dessas pessoas que estão ao seu lado pode ensinar muito sobre esse sentimento chamado amor.

E muitas vezes ter que assistir você enfrentar sozinho esse nossos inimigo implacável:a dor.

Como poderia agradecer a vida que você dedicou a mim?
Eu não sei. Eu não tenho resposta para tudo.

Mas,se me perguntarem qual é o meu motivo de orgulho,eu tenho a resposta:



É VOCÊ




Sinceramente


Medicina

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

E-PARANÁ CANAL 9

A Comissão de Obras e Comunicação da Assembleia Legislativa do Paraná aprovou ontem o projeto que transforma a E-Paraná em pessoa jurídica de direito privado, sob a modalidade de serviço social autônomo, vinculada à Secretaria da Comunicação.
  Polêmica, a proposta divide opiniões se representa ou não a privatização da emissora oficial do governo do estado.
 Uma audiência pública foi marcada para a próxima segunda-feira, às 13h30, na sala das comissões do Legislativo para discutir o assunto.

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html