segunda-feira, 31 de março de 2014

Pia Curitibano - Paulo Chaves

quarta-feira, 26 de março de 2014

Convite para a Exposição sobre a vida e obra do jornalista Clemente Comandulli

 


Neste dia 7 de abril, Dia do Jornalista, instituído pela ABI - Associação Brasileira de Imprensa, tenho a honra de convidá-lo para o evento "Fico com as Artes", promovido por Vicente Ciccarino, no qual haverá uma exposição sobre a vida e obra do Jornalista Clemente Comandulli.
Renomados profissionais paranaenses estarão expondo seus trabalhos em seus corners:
Lia Comandulli, Carlos Alberto Pessoa, Tania Vasconcellos Maingue, Joao Henrique Carneiro, Denise Pinheiro Do Carmo, Marco Antonio Alzamora Gonçalves, Ana Maingue, Angelo Hasse, Tatjana Colle Nickel, Ugo Guttierrez Filho, Tatiana Maia Vieira, Graziela Bender, Georgia Andrade Ricciardella, Simone Poniatowski, Antonio Ariel Teixeira Filho e Marisa Lautert Caron.
Data: 2ª-feira, 07/04/2014

Local: Espaço Saint Michel Eventos
Endereço: Rua Nardy Muller da Costa nº 70  -  Ecoville  -  esquina com a rua Eduardo Sprada.
Horário: 19h00
Favor confirmar presença até 4ª-feira, dia 02/04/2014 em um destes contatos, para que eu possa deixar, na recepção do evento, o(s) convite(s) em seu nome:
Celular: (41) 9104-6201
               liaz@onda.com.br
Um pouco sobre o Jornalista Clemente Comandulli:
O jornalista Clemente Comandulli nasceu em Antonina, Paraná, em 1927.  Foi Campeão do Centenário Paranaense (1953), pelo Clube Atlético Ferroviário, um dos fundadores da escola de samba “Não Agite” (1949) e formado em Odontologia pela UFPR  (1959). Foi comentarista esportivo nas rádios Guairacá, PRB-2, Colombo e Universo, bem como nos canais TV Paraná e TV Paranaense. Como jornalista, sob o pseudônimo “Ivan Silva”, foi Redator-Chefe do extinto Desportos Ilustrados, pelo qual cobriu jogos da Copa do Mundo de 1950. Nos anos 50 e 60, foi colunista diário e redator esportivo no Paraná Esportivo e, nos anos 60 e 70, na Gazeta do Povo. Foi correspondente de A Gazeta Esportiva Ilustrada, Jornal da Tarde, O Estado de São Paulo. Foi tesoureiro do Sindicato dos Jornalistas Profissionais, Assessor de Imprensa do Palácio do Governo e da Federação Paranaense de Futebol (FPF), bem como Benemérito da FPF. Foi, ainda, Sócio Fundador da ABRACE - Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (1974). Faleceu em 30 de dezembro de 1975.
Maiores detalhes sobre Clemente Comandulli neste link.
Abraços,
Lia Comandulli
Atriz, bailarina, coreógrafa, diretora de produção e espetáculo
Celular: (41) 9104-6201
               liaz@onda.com.br

segunda-feira, 24 de março de 2014

George Carlin: O Paradoxo do Nosso Tempo Bebemos demais...



Bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios, dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e rezamos raramente.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.

Falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente.

Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.

Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar nosso vizinho.

Conquistamos o espaço sideral, mas não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores. Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a nos apressar e, não, a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos.

Estamos na era do fast-food e da digestão lenta; do homem grande, mas de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.

Esta é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados. Esta é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas mágicas.

Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na despensa. Armários cheios e corações vazios.

Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre.

Lembre-se dar um abraço carinhoso num amigo, pois não lhe custa um centavo sequer.

Lembre-se de dizer eu te amo à sua esposa e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, ame... ame muito.

Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro.

O segredo da vida não é ter tudo que você quer, mas AMAR tudo que você tem!

Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado.

HOJE!...
George Carlin

quarta-feira, 19 de março de 2014

TROPEIROS

NOS RASTROS DA UTOPIA

O livro Nos Rastros da Utopia, que o poeta Manoel de Andrade lança hoje, às19h30, nas Livrarias Curitiba do Shopping Estação, é sobre a história de um homem que escreveu poemas de liberdade e sobre como foi lutar para conquistá-la. Um deles o obrigou a se autoexilar do país e percorrer uma extraordinária trajetória como talvez nenhum outro poeta revolucionário de seu tempo tenha imaginado.

Manoel de Andrade: “Um poeta é feito de sonho”
Lançamento
Nos Rastros da Utopia
Manoel de Andrade. Escrituras, 910 págs., R$ 89. Biografia. Livrarias Curitiba do Shopping Estação (Av. Sete de Setembro, 2.775). Hoje, às 19h30.
Sua narrativa começa em outubro de 1968, quando o jovem advogado e jornalista mostrou o poema “Saudação a Che Guevara” ao livreiro José “Dude” Guignone. “Pólvora pura”, avaliou Dude. O texto – homenagem à morte do guerrilheiro, que completava um ano – foi reproduzido em quatro mil cópias e se espalhou pelo país. Andrade vivia um auspicioso início de carreira e tinha acabado de negociar sua estreia numa antologia da editora Civilização Brasileira.
No fim daquele ano, porém, veio o AI-5. O regime militar recrudesceu e Maneco preferiu sair do país a ser preso.
A fuga teve colaboração do colega (hoje senador) Roberto Requião. Andrade escapou pelo Paraguai, chegou à Argentina e deu inicio de quatro anos intensos de uma “romaria solitária” em que levou seu canto a outras 14 nações do continente americano.
O livro é também o retrato de um tempo e de um lugar: a América Latina nas décadas de 1960 a 1970. “No exílio, não me acomodei com postos universitários ou empregos que nos eram arranjados, e continuei combatendo”, disse.
As armas eram artigos e matérias de jornal, além de poemas escritos em espanhol que costumava declamar em audições pagas em teatros e universidades. Em 1970, publicou o livro Poemas a la Libertad, na Bolívia. O livro repercutiu no continente todo e lhe rendeu convites para novas viagens.
Todas essas histórias estão no livro de quase mil páginas, com a perspectiva histórica do lado dos vencidos. “É sobre outros poetas que morreram perseguindo o ideal da liberdade”, ressalta.
A narrativa é fantástica como a realidade do continente naquele tempo. Cercos policiais, fugas espetaculares, grandes personagens e insólitos lances de pequenas sortes e grandes azares.
Algumas das passagens são impressionantes – como a tentativa de avançar pelo chaco paraguaio até o cárcere do filosofo Regis Debray, então preso na Bolívia. No relato de viagem, a reboque de um grupo de contrabandistas, Andrade mostra o terreno pantanoso revolto com escombros da Guerra do Paraguai, memorabilia macabra da tragédia latinoamericana.
Quase tão incrível quanto sua aventura são as circunstâncias que o trouxeram de volta ao Brasil em 1972. Um complexo arranjo político e familiar – Andrade se comprometeu a viver longe das letras, do Direito e da agitação política. O retiro durou 30 anos, tempo que dedicou ao estudo do Espiritismo, orientação religiosa da qual é uma das maiores autoridades do país. “Vivi no anonimato completo, fora dos acontecimentos esse tempo todo”, resume. À poesia, retornou em 2002 com o livro Cantares (Escrituras). Àqueles tempos duros, volta hoje, com o lançamento do livro.
Utopia
A obra trata, acima de tudo, do sonho de Andrade por mudanças e igualdade. “O que é um homem sem sonho? Ainda mais um poeta. Nós somos feitos disso. Naquele tempo se um jovem, sobretudo poeta, não fizesse uma opção, estaria deslocado da história”, conta.
Olhando para trás, Andra­­­de diz que faria tudo outra vez. “A utopia, como disse Fernando Birri, serve para que continuemos caminhando. Foi no rastro dela que eu percorri essa trajetória que me permitiu poder, hoje, dar a minha versão de uma memória da América Latina”.

sexta-feira, 7 de março de 2014


Clemildo Brunet de Sá lançará livro.
Veterano radialista e blogueiro de grande popularidade estou certo do sucesso desse amigo que muito preso.
Um grande abraço Clemildo.

“EM BREVE A RADIOFONIA POMBALENSE TERÁ SUAS HISTÓRIAS CONTADAS EM LIVRO.

 A OBRA É DO RADIALISTA, BLOGUEIRO E COLUNISTA Clemildo Brunet de Sá; O LIVRO

 RETRATA AS ANTIGAS DIFUSORAS, RÁDIOS, COMUNICADORES QUE SE DESTACARAM 

NA RADIOFONIA POMBALENSE E PERSONAGENS DA SOCIEDADE QUE TIVERAM DE 

ALGUMA FORMA ENTROSAMENTO COM A RADIOFONIA DE NOSSA QUERIDA CIDADE 
POMBAL "HISTÓRIAS DO RÁDIO EM POMBAL" TEM COMO PREFACIADOR O


ENGENHEIRO E ESCRITOR Paulo Abrantes Oliveira E APRESENTAÇÃO DO RADIALISTA, 
DOUTOR PROFESSOR JOSÉ CEZÁRIO DE ALMEIDA”.


NADA A DECLARAR

E não se fala em :









                                              I T A I P U





                                                                  COPEL




                                                                              Será porque!!!



                                                              

quarta-feira, 5 de março de 2014

A perfeição da ética......

"A ética é um estado de espírito que se abstém de se envolver em qualquer situação ou acontecimento que poderia se mostrar prejudicial aos outros.
A perfeição da ética é atingida quando você desenvolveu ao ponto máximo a convicção de não prejudicar outros seres." 
(Dalai Lama)

O Brasil vive um verdadeiro caos social e político. Resultado de uma devastadora inversão de valores. “Os valores éticos e morais vêm se perdendo ao longo do tempo, ao ponto de que ser decente parece virtude, e ser honesto ganha medalha, e ser mais ou menos coerente merece aplausos.
Hoje, ser ético é uma exceção à regra.  (Lia Luft)

sábado, 1 de março de 2014

Legal Gostei!!!
*REPASSANDO*
Muito bacana, vale a pena compartilhar!


"Existem quatro funções -secretas- muito legais no seu celular que você não sabia! (Algumas delas, podem até salvar sua vida)
Veja o que ele pode fazer por você:

Emergência I

O número universal de emergência para celular é 112!
Se você estiver fora da área de cobertura de sua operadora e tiver alguma emergência, disque 112 e o celular irá procurar conexão com qualquer operadora possível para enviar o número de emergência para você, e o mais interessante é que o número 112 pode ser digitado mesmo se o teclado estiver travado.
Experimente!

Emergência II

Você já trancou seu carro com a chave dentro? Seu carro abre com controle remoto? Bom motivo para ter um celular. Se você trancar seu carro com a chave dentro e a chave reserva estiver em sua casa, ligue pelo seu celular, para o celular de alguém que esteja lá. Segure seu celular cerca de 30 cm próximo à porta do seu carro e peça que a pessoa acione o controle da chave reserva, segurando o controle perto do celular dela. Isso irá destrancar seu carro, evitando de alguém ter que ir até onde você esteja, ou tendo que chamar socorro. Distância não é impedimento. Você pode estar a milhares de quilômetros de casa, e ainda assim terá seu carro destrancado.

Emergência III *3370#

Vamos imaginar que a bateria do seu celular esteja fraca. Pra ativar, pressione as teclas: *3370#
Seu celular irá acionar a reserva e você terá de volta 50% de sua bateria. Essa reserva será recarregada na próxima vez que você carregar a bateria.

Emergência IV *#06#*

Para conhecer o número de série do seu celular, pressione os seguintes dígitos: *#06#* Um código de 15 dígitos aparecerá. Este número é único. Anote e guarde em algum lugar seguro. Se seu celular for roubado, ligue para sua operadora e dê esse código. Assim eles conseguirão bloquear seu celular e* o ladrão não conseguirá usá-lo de forma alguma*. Talvez você fique sem o seu celular, mas pelo menos saberá que ninguém mais poderá usá-lo."


‪#‎COMPARTILHEM‬ e AVISEM a todos! Via: Delmira Freitas

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html