sábado, 31 de janeiro de 2015

Documentário Tropeiros

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

 
Repassando... Bom para a Saúde 
.Cloreto de Magnésio
ELE FAZ PARTE DE MAIS DE 300 REAÇÕES QUIMICAS DO CORPO,
CONFORME EXPOSTO EM MINHA ENTREVISTA NA TV DE ITAPETININGA
SOBRE A ORTOMOLECULAR E A CORREÇÃO DOS MINERAIS.
 TERAPEUTA EZILDAORTOMOLECULAR 
Quem sofre de bico de papagaio, nervo ciático, coluna e calcificação pode se curar de forma perfeita,
indolor, fácil e barata.
Pe. Benno J. Shorr
padre jesuíta, Professor de Física, Química e Biologia do Colégio Catarinense,Sta. Catarina.
Minha cura:
Iniciei minha cura aos 61 anos. Dez anos antes, eu estava quase paralítico, sentia pontadas agudas na região lombar - um bico de papagaio incurável, segundo o médico. Após cinco anos, o peso virou dor e, apesar de todos os tratamentos, a dor só aumentava. Sem tardar, voltei a Florianópolis com novas radiografias e procurei um especialista.
Agora já era um bando de bicos de papagaios, calcificados, duros em grau avançado. Nada se poderia fazer. As dez aplicações de ondas curtas e distensões da coluna não detiveram a dor, a ponto de nem mais deitado eu poder dormir.
Ficava sentado, até quase cair da cadeira, de tanto sono. Providencialmente, fui ao Encontro dos Jesuítas Cientistas, em Porto Alegre e o Padre Suarez me disse ser fácil a cura com cloreto de magnésio, mostrando-me o pequeno livro do Padre Puig, jesuíta espanhol que descobriu o uso do cloreto de magnésio: sua mão era dura de tão calcificada, mas, com este sal, ficou móvel como a de uma menina.   Em Florianópolis, logo comecei a tomar uma dose pela manhã e uma à noite; mesmo assim continuei dormindo encolhido até o 20º dia; naquela manhã, porém, acordei estirado na casa, sem dor.
Mas caminhar ainda era um sofrimento. Depois de 30 dias, eu me levantei sentindo-me estranho:"Será que estou sonhando?” Nada mais me doía! Dei até uma voltinha pela cidade, sentindo, contudo, o peso de 10 anos antes.
Aos 40 dias caminhei o dia inteiro sentindo menos peso; três meses depois minha flexibilidade aumentava. Dez meses já se passaram e me dobro quase como uma cobra.
Outros efeitos:
O cloreto de magnésio arranca o cálcio dos lugares indevidos e o fixa solidamente nos ossos. Ainda mais: minha pulsação que sempre estava abaixo de 40 - eu já pensava em marca passo - normalizou-se. O sistema nervoso ficou motorialmente calmo, ganhei maior lucidez, meu sangue estava descalcificado e fluido. A próstata, que eu deveria operar assim que tivesse uma folga nos trabalhos, já não me incomoda muito. Houve ainda outros efeitos, a ponto de várias pessoas me perguntarem: -"O que está acontecendo com você? Está mais jovem! " - "É isso mesmo".  Importância do cloreto de magnésio:
O cloreto de magnésio produz o equilíbrio mineral, anima os órgãos em suas funções (catalisadoras), como os rins, para eliminar o ácido úrico nas artroses; descalcifica até as finas membranas nas articulações e as escleroses calcificadas, evitando enfartes; purificando o sangue, vitaliza o cérebro, desenvolve ou conserva a juventude até alta idade.  Após os 40 anos, o organismo absorve sempre menos cloreto de magnésio, produzindo velhice e doenças.
 Uso: dissolver 2 colheres de sopa de cloreto de magnésio (33g) em 1 litro de água filtrada.
 Deve ser tomado conforme a idade:
dos 20 anos aos 55 anos (1 copinho de café - 50ml);
dos 55 anos aos 70 anos (1 copinho e meio - 75ml);
dos 70 anos aos 100 anos (2 copinho de café - 100ml).
 Tomar 1 dose pela manhã e 1 dose à noite.
  Quando curado, deve-se tomar o cloreto de magnésio como preventivo, isto é, conforme a idade e 1 x ao dia (noite).
 

 O cloreto de magnésio não é remédio, mas alimento. E não tem contra-indicação
.  É compatível com qualquer medicamento simultâneo.  O cloreto de magnésio põe em ordem todo o corpo e é indicado para homens e mulheres.
No caso das mulheres, ele ajuda a prevenir a osteoporose.  Artrose: O ácido úrico se deposita nas articulações do corpo, em particular nos dedos, que até incham. Isso resulta de uma falha no funcionamento dos rins, justamente por falta do cloreto de magnésio.    Depois de curado, continue com as doses normais, como preventivo.  Outros problemas:
reumatismo, rigidez muscular, impotência sexual, câimbras, tremores, frigidez, artérias duras,
falta de atividade cerebral, sistema nervoso:
uma dose pela manhã, uma dose à tarde, uma dose à noite.
Sentindo-se melhor, passar para a dose preventiva.

 Onde encontrar: em farmácias de produtos naturais ou mesmo nas alopáticas.
  O cloreto de magnésio para uso humano, tem que ser do tipo P.A . (Puro para Análise) e sua cor bem branca. É normal empedrar, mas isto não altera seu teor de qualidade. (Colaboração do Engenheiro Celso Vietro)

   *Pe. Benno J. Shorr - padre jesuíta, Professor de Física, Química e Biologia do Colégio Catarinense / Sta. Catarina., durante mais de 35 anos.
Faleceu em maio de 2005, no Colégio Catarinense, com idade superior a 90 anos, tendo usado cloreto de magnésio por mais de 30 anos consecutivos. O nome do Padre é Benno Schor, era um dos Jesuítas do Colégio Catarinense em Florianópolis, lecionava Química, Física e Biologia. Pesquisando sobre sua doença, descobriu que todos os seus males eram falta do cloreto de magnésio.
Se vc procurar no google (cloreto de magnésio) irá encontrar relatos de sua história.
 FAVOR REPASSAR ÀS PESSOAS NECESSITADAS,
POIS É MUITO FÁCIL DE USAR E MUITO BARATO,
SEM NECESSIDADE DE GASTOS ABSURDOS
COM TRATAMENTOS MÉDICOS PALIATIVOS!!!
ÌÌÌÌÌ

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

ACONTECEU!!!


Há 75 anos era veiculada pela primeira vez no rádio a peça A Guerra dos Mundos.

 Transmitida pela rede de rádio norte-americana CBS, a adaptação do romance de ficção científica publicado em 1898 por H.G. Wells causou pânico nos Estados Unidos, pois milhares de ouvintes acreditaram que a invasão alienígena narrada no rádio fosse real.

 A peça radiofônica foi produzida pelo ator e cineasta norte-americano Orson Welles.

 Considerado o programa de rádio mais famoso de todos os tempos, ele catapultou a carreira de Welles, então com 23 anos, que em seguida seria levado para Hollywood e produziria o filme clássico Cidadão Kane, considerado pelos críticos o mais importante filme norte-americano do século 20

sábado, 24 de janeiro de 2015

Gaiolas,não mais!

A exposição de cães e outros animas de estimação em vitrines e gaiolas (foto) em pet shops está proibida em todo o país.
 Veterinários responsáveis por esses animais que descumprirem a regra devem responder processo ético do Conselho Nacional de Medicina Veterinária.
 A norma é fruto de uma resolução publicada em outubro, que passou a valer na semana passada. As regras servem para garantir o bem-estar do animal “em relação às suas tentativas de se adaptar ao meio ambiente, considerando liberdade para expressar seu comportamento natural e ausência de fome, sede, desnutrição, doenças, ferimentos, dor ou desconforto, medo e estresse”, diz o texto.
 Assim, é preciso providenciar ambientes “livres do excesso de barulho, com luminosidade adequada, livre de poluição e protegido contra intempéries ou situações que causem estresse aos animais”.
 A resolução determina ainda que os profissionais devem orientar clientes sobre o estresse dos animais no momento da venda.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015


CONFERÊNCIA E LIVRO NOVO
.
2°. CICLO DE CONFERÊNCIAS LUSO-BRASILEIRAS SOBRE TEATRO DE REVISTA, COM ORGANIZAÇÃO DO PROF. JORGE TRIGO, NOS DIAS 7 E 21 DE FEVEREIRO, ÀS 16 HORAS, EM LISBOA.
NO DIA 7, ALÉM DA CONFERÊNCIA INTITULADA "A MÚSICA LIGEIRA BRASILEIRA E PORTUGUESA NO TEATRO MUSICADO",
 ACONTECERÁ O LANÇAMENTO DO NOVO LIVRO DE THAIS MATARAZZO "BRASIL & PORTUGAL: TEATRO, MÚSICA, ARTISTAS E TAL", .

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Papo sob uma sacada de loja.

- Atualmente em Curitiba para começar a prosa já não 

e usa mais o “será que chove hoje?”.

- Verdade. Agora se diz “QUE HORA será que vai chover?”.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Tecnologia de equipamentos (Agencia RBS)


Mil e uma utilidades


Conforme a função, os satélites carregam tecnologia variada: Super fotografias
A utilidade dos satélites de observação depende do equipamento acoplado a ele. Podem ter câmeras de alta-resolução para fotografar florestas ou para criar mapas. São de satélites deste tipo que saem as imagens para montar o Google Earth.
Prevendo o amanhã
Usado para monitorar o clima da Terra, os satélites metereológiocos colhem imagens da atmosfera para auxiliar nos serviços de previsão climatológica. Formações de nuvens, queimadas, efeitos de poluição, entre outros dados, são coletados por eles.
Tente viver sem ele
Distribui sinais de televisão, internet e telefonia, além de transmitir dados em geral. O satélite de comunicação possibilita fazer chamadas telefônicas e acessar a internet a partir de navios ou lugares remotos. É o tipo de satélite mais conhecido.
Velando o sono inimigo
Como qualquer tecnologia, os satélites também são empregados no uso militar. Equipados com câmeras infravermelho (o que possibilita a identificação de alvos no escuro ou camuflados), conseguem fotografar territórios com grande precisão e usam sensores de calor para detectar lançamentos de mísseis e explosões nucleares. Em 2016, o Ministério da Defesa e a Telebras passarão a usar um satélite próprio para comunicação militar. Será o primeiro 100% controlado por instituições brasileiras – atualmente, os satélites que auxiliam a comunicação militar do país são controlados por estações de fora.
Diga onde você vai
Os satélites de GPS calculam latitude, longitude e altitude dos usuários do sistema, orientando-os sobre sua posição no planeta – e fazem você esquecer como é ir a um lugar desconhecido sem ele.São acionados a partir de aviões,navios,celulares e até de relógios de pulso.Uma constelação de 24 satélites ao redor da Terra, a cerca de 20 mil km de altitude, forma o GPS, sigla em inglês para Sistema de Posicionamento Global.Ele é controlado pelos Estados Unidos,mas pode ser utilizado por qualquer aparelho receptor. O Glonass é o sistema de navegação russo, e o Galileu, da União Europeia.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015


Conversa ao Pé do Rádio - Acinox, Bando Brasil

Poucos locutores de Rádio e TV, eu até diria raros locutores, conseguem gravar textos compridos relatando tudo o que o anunciante tem em sua loja, o que chamamos Bife, com nitidez de pronúncia. Muitos realmente falam rápido, mas embolam tudo. Falar rápido é uma coisa, pronunciar rapidamente uma mensagem é coisa muito diferente. Quando os textos são gravados por locutores que apenas falam rápido, saem coisas com: Acinox em vez de Aço Inox; Bando Brasil em lugar de Banco do Brasil; "estes discos já se encontram em sucidade", quando deveria ser "estes discos já se encontram em sua cidade". Se prestarem atenção, irão encontrar verdadeiras preciosidades. O sotaque é outra coisa incrível. Já ouviram a Paula Saldanha anunciando o Mágico de Óiz, ou em certa altura daquele filme o artista principal dizendo: "una-se aos boins". Realmente o Brasil é um continente.

domingo, 4 de janeiro de 2015

PRIMEIRO ATLAS LINGUÍSTICO BRASILEIRO

Você sabe o nome daquela guloseima embrulhada em papel e que adoça a boca? De Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, é conhecido por bala. Nos estados do Centro-Oeste divide essa denominação com caramelo. Já no Norte e Nordeste aparece com mais três nomes: confeito, na costa que desce do Rio Grande do Norte a Maceió; queimado, na Bahia; e bombom, em especial no Amazonas, Acre e Pará.
Essas e outras diferenças que permeiam a forma como é usada a língua portuguesa são o tema do primeiro Atlas Linguístico Brasileiro. A obra foi lançada durante o último Congresso Internacional de Dialetologia e Sociolinguística, realizado no início de outubro, em Londrina, Norte do estado.
Na terra da mimosa
Uma localidade também pode reunir diferentes formas de denominar um mesmo conceito. Em Curitiba, por exemplo, alguns entrevistados mostraram que a fruta tangerina pode ser chamada de mexerica, mimosa ou ainda bergamota. Em São Paulo, além destes nomes, usa-se também falar maricota, nome com mais predominância na região do Centro-Oeste brasileiro, e carioquinha.. Outro exemplo é o inseto libélula. Em Curitiba, os pesquisadores encontram falantes dando até quatro nomes – bate bunda, lava bunda, libélula e helicóptero.
Uma coleção
Meta é levar estudo para escolas
Os dois primeiros volumes do Atlas Linguístico Brasileiro envolvem as pesquisas feitas em 25 capitais brasileiras, com oito falantes em cada cidade. Um terceiro volume do estudo já está a caminho e deve ser lançado até meados de 2015. A obra deve trazer interpretações sobre os dados colhidos e apresentados em mapas nos primeiros volumes.
O comitê do projeto também planeja lançar o quarto, quinto e sexto volumes com informações sobre falantes do interior do país. Ao todo, vão entrar nesses livros dados de entrevistados de 225 localidades.
A meta é levar as pesquisas para escolas, comenta a presidente do comitê, professora Suzana Cardoso. Para ela, ainda é preciso trabalhar mais as questões linguísticas em sala de aula e o material pode, futuramente, ser um instrumento de educação a favor da língua portuguesa e contra o bullying. “Vamos tentar uma publicação que possa reunir as informações de forma mais simples para as crianças. É importante que elas tenham claro que o jeito de falar pode ser diferente, que não deve ser alimento para a discriminação”, observa.
O estudo foi desenvolvido por pesquisadores de 27 universidades, entre elas a Universidade Estadual de Londrina (UEL), a única instituição paranaense envolvida.
Divididos por regiões, eles foram do Oiapoque ao Chuí em busca das variações dos falantes dos brasileiros. Percorreram 257 mil quilômetros, o equivalente a quase sete voltas na Terra, para entrevistar 1,1 mil pessoas em 250 cidades de todos os estados.
Pós-doutora em Linguística, a professora Vanderci de Andrade Aguillera, da UEL, encabeçou as pesquisas no Paraná e São Paulo. Ela relata que os trabalhos tiveram início em 1996, quando os pesquisadores montaram um comitê para desenvolver o projeto. Na época, alguns deles tinham publicado atlas linguísticos sobre suas regiões de atuação, mas isso não facilitou a conclusão da nova tarefa. Um desses atlas produzidos era da década de 1960. “Não podíamos aplicar o mesmo questionário para o atlas brasileiro porque algumas localidades nem existiam mais após tantos anos de estudo”, conta.
A pesquisa abrangeu então falantes de 18 a 30 anos e de 50 a 65 anos, de ambos os sexos, que nasceram nas cidades pesquisadas e são filhos de pais que também têm origem naquela localidade.
Além disso, os entrevistados não podiam ter passado mais de um terço de suas vidas fora da cidade natal. “Por isso, Palmas e Brasília foram capitais que ficaram de fora, porque não têm idade suficiente para ter duas gerações nascidas ali”, explica Vanderci.
Sem preconceito
O resultado da coleta de 3,5 mil horas de gravações foram respostas para cerca de 500 questões morfossintáticas, metalinguísticas e semântico-lexicais. Assim, o estudo conseguiu mapear não só as variações de vocabulário, mas de fonética entre os ouvidos. “O cigarro de fumo, por exemplo, em alguns lugares é chamado de mata-rato, em outros de porronca. O sinaleiro, de farol, semáforo, conforme a região. Mostrar isso é importante para acabar com o preconceito linguístico. Ninguém fala errado. Todas as variações têm uma explicação histórica”, sustenta a pesquisadora.
Esta diversidade linguística, analisa a presidente do comitê do projeto, professora Suzana Cardoso, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), também evidencia o quanto a língua é dinâmica e tem seu uso condicionado a características de povoação das regiões estudadas. Algumas das variações também não ocorrem apenas por diferenças geográficas, mas em virtude do sexo, escolaridade e idade dos próprios falantes. “A forma ‘degraus’, para o plural de degrau, por exemplo, é mais falada entre os entrevistados com curso superior. ‘Degrais’, no caso de falantes com ensino fundamental. Mas também observamos que já temos mais pessoas com nível universitário usando ’degrais”, diz.
Também são autores da obra os pesquisadores Jacyra Andrade Mota (UFBA), Maria Socorro Silva de Aragão (UFPB), Mário Roberto Lobuglio Zágaria (UFJF), Maria do Socorro Silva de Aragão (UFPB), Aparec
ida Negri Isquerdo (UFMS), Abdelhak Razky (UFPA) e Felício Wessling Margotti (UFSC). Fonte: Gazeta do Povo (04/01/15) onde o leitor encontra mais detalhes.

Jayme (poeta gaucho) Caetano Braun - Pra ti Guria

sábado, 3 de janeiro de 2015

Carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa.

Datas do Carnaval

O Carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa, em fevereiro, geralmente, ou em março, conforme o Cálculo da Páscoa, ocorre próximo do dia de Lua Nova9 . Assim, poderá calhar próximo do ano novo chinês, se calhar antes ou próximo de 19 de fevereiro10 No século XXI, a data em que ocorreu mais cedo foi a 5 de fevereiro de 2008 e a que ocorrerá mais tarde será a 9 de março de 2038. Embora seja possível noutros séculos, o dia de Carnaval não ocorrerá a 3 ou 4 de fevereiro durante todo o século XXI.11
Caretos, figuras típicas do carnaval tradicional na freguesia portuguesa de Podence
Data de Carnaval em anos próximos
Ano Data do Carnaval
2010 16 de fevereiro
2011 8 de março
2012 21 de fevereiro
2013 12 de fevereiro
2014 4 de março
2015 17 de fevereiro
2016 9 de fevereiro
2017 28 de fevereiro
2018 13 de fevereiro
2019 5 de março
2020 25 de fevereiro
2021 16 de fevereiro
2022 1 de março
2023 21 de fevereiro
2024 13 de fevereiro
2025 4 de março

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

A FESTA CONTINUA!

DIETA DA CERVEJA

1 - Beba uma garrafa de cerveja antes de cada refeição. Isso reduzirá seu apetite ao mínimo, e você comerá menos.
2 - A cerveja é elaborada a partir de vegetais: Lúpulo, levedura, malte, cereais, etc. Logo, a cerveja é, praticamente uma GRANOLA.
3 - A cerveja contém 95% de água; Portanto, a cerveja é um alimento hidratante.
4 - A cerveja pode ser acompanhada de castanhas (de cajú, do Pará, etc),amendoins, amêndoas, nozes, avelãs, etc. Tudo isso é de origem vegetal e com um percentual elevado de fibras alimentares e fibras alimentares são saudáveis.
5- Probleminha: como levar 1 caixa de cerveja gelada do supermercado para casa em um carro quente? Solução: beba no estacionamento mesmo.
6 - Equilíbrio: se você beber porções iguais de cerveja clara cerveja escura ...isto é uma dieta balanceada. Saudável, portanto.....
7 - A cerveja contém conservantes, logo... conservam você.Conservantes fazem você parecer mais jovem.
8 - Escreva "tomar uma cerveja" no início de sua lista de coisas a fazer hoje. Assim, pelo menos UM item de sua agenda você vai conseguir cumprir.
9 - Uma caixa de cerveja pode fornecer toda a sua necessidade diária de calorias e carboidratos.
Não é prático isso?

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html