segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Dádivas da Incerteza

domingo, 8 de fevereiro de 2015

SER PROFESSOR É:

Acordar bem cedinho e não hora para dormir;

Preocupar-se de verdade com o futuro de seus alunos;

Preparar aulas madrugadas a fora;

Correr de uma sala para outra;

Pegar num giz e escrever na lousa o dia todo mesmo com a pele dos dedos rachada;

Ouvir com atenção as dúvidas de seus alunos;

Ensinar quantas vezes for necessário;

Respirar fundo e continuar a aula mesmo diante de adversidades;

Aconselhar aos colegas novatos;

Vibrar com as vitorias de seus alunos e dar forças àqueles que ainda não chegaram lá;

Transmitir valores para a vida;

Estudar: estudar... e, além de tudo isso,

Ter competência, Ética e amar o que faz.


-

Frase: "Se não fosse imperador, desejaria ser professor.

Não conheço missão maior e mais nobre que a de dirigir as

inteligências jovens e preparar os homens do futuro.
"

(Dom Pedro II, Imperador do Brasil)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

PARABÉNS!!!

Arquivo/Gazeta do Povo
Arquivo/Gazeta do Povo / Fachada da Gazeta do Povo, na Praça Carlos Gomes Fachada da Gazeta do Povo, na Praça Carlos Gomes
aniversário

Jornal Gazeta do Povo completa 96 anos

Da primeira edição, em 1919, até hoje, muita coisa mudou, principalmente as possibilidades de acesso ao conteúdo do mais tradicional periódico
O jornal Gazeta do Povo comemora aniversário de 96 anos hoje. São mais de 30 mil dias em que o leitor pode acompanhar as notícias do Paraná e do Brasil pelas páginas do periódico mais tradicional do estado. Além do aniversário, a data marca um novo caminho do veículo, que tornou-se, ao longo deste quase centenário, mais que um jornal. Além do papel, a Gazeta do Povo noticia, analisa e entretém em diferentes plataformas digitais.
Em 1919, na sua primeira edição foram apenas seis páginas, nenhuma fotografia e cerca de 50% do espaço preenchido com publicidade. Com independência, a postura do veículo, no entanto, não era de neutralidade, mas de apoio, pelo editorial, à candidatura presidencial de Rui Barbosa, que acabou não eleito. Era o começo de uma longa história baseada na independência e ética jornalística.
Ciciro Back/Gazeta do Povo
Ciciro Back/Gazeta do Povo / Redação do jornal nos dias de hoje, de frente para a Rua Pedro Ivo Ampliar imagem
Redação do jornal nos dias de hoje, de frente para a Rua Pedro Ivo
Nova campanha
Mais que um jornal, a Gazeta faz parte do dia a dia dos paranaenses
A Gazeta do Povo também apresenta hoje uma nova campanha institucional para mostrar que as iniciativas do jornal vão além das notícias. As peças da campanha publicitária vão destacar que entretenimento, conteúdo, aplicativo, eventos e serviços para facilitar a vida dos paranaenses são proporcionados pela Gazeta do Povo, que pode ser considerada mais do que um jornal.
De forma descontraída, oito filmes mostrarão que todo mundo lê a Gazeta do Povo, até mesmo quem diz o contrário. O mote da campanha institucional “Isso também é Gazeta” será desdobrado para as microcampanhas de produtos específicos.
A campanha terá oito filmes temáticos, que destacarão, por exemplo, o caderno Agro, a revista Bom Gourmet, entre outros produtos do jornal.
O advogado Francisco Cunha Pereira Filho e o empresário Edmundo Lemanski adquiriram a Gazeta do Povo em 1962. O novo grupo conseguiu renovar equipamentos do parque gráfico ultrapassado e incrementar a receita do jornal com mais classificados e anúncios de lançamentos imobiliários. Uma década depois as fotos coloridas chegaram junto da impressão offset.
A Gazeta do Povo acompanhou de perto a tomada do poder pelos militares em 1964 e noticiou a abertura política vinte anos depois. A liberdade de expressão chegou, mas tempos difíceis ainda se mantinham. O processo de redemocratização foi lento, mas as transformações foram essenciais para sociedade brasileira.
A primeira manifestação pelas Diretas Já aconteceu em Curitiba: 12 de janeiro de 1984, com o olhar atento do jornal. A cidade tinha pouco mais de um milhão de habitantes e cerca de 50 mil se reuniram na Rua XV de Novembro para ouvir os pronunciamentos de Tancredo Neves, Lula, Ulysses Guimarães e Leonel Brizola.
O novo momento se refletia no diário. Matérias e artigos informavam sobre uma nova era e sobre a economia do país, passando pelos planos Cruzado, Bresser e Verão. Tudo feito por 20 jornalistas em uma redação de 30 metros quadrado.
A Gazeta do Povo foi o primeiro jornal do Paraná e o segundo do Brasil a colocar todo conteúdo impresso disponível na internet em 1996. Em 2000, a equipe da Gazeta do Povo Online começou a produzir conteúdo próprio para a rede. Foi o início da cara digital da publicação, que hoje possui uma equipe integrada e que produz para todas as plataformas de leitura.
Foi também nos anos 2000 que o jornal ganhou três de seus principais prêmios. Dois Esso Regional Sul, pelo repórter Mauri König, com as matérias Dossiê Paraguai, mentira encobre crimes nos quarteis, de 2001, e Devorados pela miséria, de 2004. E um Esso nacional, pela série de reportagens Diários Secretos, feita pela equipe Karlos Kohlbach, Kátia Brembatti, James Alberto e Gabriel Tabatcheik, em conjunto com a RPCTV.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

VICTOR HUGO



Desejo a você .....
Dentre os vários escritos de Victor Hugo, o ilustre romancista francês, há um poema de profunda sensibilidade e grandiosa beleza. que diz o seguinte:
Desejo, primeiro, que você ame, e que, amando, também seja amado. E que se não for, seja breve em esquecer. E que, esquecendo. não guarde mágoa.
Desejo também que tenha amigos, ainda que maus e inconseqüentes. Que sejam corajosos e fiéis, e que pelo menos num deles você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim, desejo ainda que você tenha adversários. Nem muitos, nem poucos, mas na medida exata para que, algumas vezes, você se interpele a respeito de suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo, para que você não se sinta demasiado seguro.
Desejo, depois que você seja útil, mas não insubstituível. E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
Desejo, ainda, que você seja tolerante, não com os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com os que erram muito e irremediavelmente, e que, fazendo bom uso dessa tolerância, você sirva de exemplo aos outros.
Desejo que você, sendo jovem, não amadureça depressa demais, e que, sendo maduro, não insista em rejuvenescer, e que, sendo velho, não se entregue ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor, e é preciso deixar que aconteçam no tempo certo.
Desejo, por sinal, que você seja triste, não o ano todo, mas apenas um dia. E que nesse dia descubra que o riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra, com a máxima urgência, acima e a respeito dc tudo, que existem oprimidos e infelizes, e que estão à sua volta.
Desejo, ainda, que você afague um gato, alimente um cuco e ouça o João-de-barro erguer triunfante o seu canto matinal porque, assim, você se sentirá bem por pouca coisa.
Desejo também que você plante uma semente, por mais minúscula que seja, e acompanhe o seu crescimento, para que saiba de quantas muitas vidas é feita uma árvore.
Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro, porque é preciso ser prático. E que pelo menos uma vez por ano coloque um pouco dele na sua frente e diga “isso é meu”, só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
Desejo também que nenhum de seus afetos morra, por ele e por você, mas que, se morrer, você possa chorar sem se lamentar e sofrer sem se culpar.
Desejo, por fim, que você, sendo homem, tenha uma boa mulher, e que, sendo mulher, tenha um bom homem e que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes, e quando estiverem exaustos e sorridentes, ainda haja amor para recomeçar.

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html