segunda-feira, 25 de abril de 2016

Curitiba - Carrotiba 

Gralha-azul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma caixa taxonómicaGralha-azul
Gralha-azul.jpg

Estado de conservação
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Corvidae
Género: Cyanocorax
Espécie: C. caeruleus

Nome binomial
Cyanocorax caeruleus
(Vieillot, 1818)

Distribuição geográfica
CyanocoraxCaeruleusHabitat.jpg
A gralha-azul (Cyanocorax caeruleus) é uma ave passeriforme da família dos corvídeos, com aproximadamente 40 cm de comprimento, de coloração geral azul vivo e preta na cabeça, na parte frontal do pescoço e na superior do peito. Machos e fêmeas tem a mesma plumagem e aparência embora as fêmeas em geral sejam menores.
Embora se diga que seu habitat é a floresta de araucárias do sul do Brasil, por força da dieta composta de insetos, frutos e pequenos invertebrados, esta ave não tem dependência restrita dessas florestas e sua área de distribuição abrange desde o sul do Estado do Rio de Janeiro para o sul, até o Estado do Rio Grande do Sul, sendo frequente na Mata atlântica da Serra do Mar.
As gralhas-azuis são aves muito inteligentes só suplantadas pelos psitacídeos. Sua comunicação, bastante complexa, consta de pelo menos 14 termos vocais (gritos) bem distintos e significantes. Gregárias, as gralhas-azuis formam bandos de 4 a 15 indivíduos hierarquicamente bem organizados, inclusive com divisão de clãs, bandos estes que se mantêm estáveis por até duas gerações.
No período reprodutivo que se inicia em outubro e se prolonga até março, todos os indivíduos colaboram na construção de ninhos nas partes mais altas das mais altas árvores, preferencialmente na coroa central da araucária, quando lá existente. No ninho feito de gravetos, de cerca de 50 cm de diâmetro, em forma de taça, são postos 4 ovos, em média.
A gralha-azul é o principal animal disseminador da araucária uma vez que, durante outono, quando as araucárias frutificam, bandos de gralhas laboriosamente estocam os pinhões para deles se alimentar posteriormente.
Neste processo, as gralhas-azuis encravam fortemente os pinhões no solo ou em troncos caídos no solo, já em processo de putrefação, ou mesmo nas partes aéreas de raízes nas mesmas condições, local propício para a formação de uma nova árvore.
No folclore do estado do Paraná atribui-se a formação e manutenção das florestas de araucária a este pássaro, como uma missão divina, razão porque as espingardas explodiriam ou negariam fogo quando para elas apontadas. Além disso, a ave, que como dito anteriormente está associada à Mata das Araucárias e sendo o estado famoso pelo bioma, é um dos símbolos do Estado do Paraná, segundo a Lei Estadual n. 7957 de 1984 que a consagra como "ave símbolo" deste estado.
Como a floresta das araucárias tenha sido reduzida a cerca de 4% do que fora antes, a perpetuidade desta espécie de aves é vista com preocupação.

MAXOFOBIA!



Por trauma ou insegurança, muita gente até possui a carteira de habilitação, mas dirigir que é bom, nada.
 Se você faz parte desse time, saiba que não está sozinha: uma pesquisa da Organização Mundial de Saúde mostrou que 6% dos motoristas habilitados no país sofrem de amaxofobia, o medo de dirigir, e a maioria são mulheres com idade entre 30 e 65 anos.

Algumas pessoas não conseguem nem mesmo tirar a carteira, basta sentar no banco do motorista para começar a suar, tremer, ter dor de barriga ficar com a boca seca e o coração acelerado.
 Seja qual for o caso, é preciso vencer a ansiedade, antes que esse medo se torne patológico.

Para ficar mais confiante e motivada, a ajuda de um especialista é muito bem-vinda: um psicólogo vai ajudar a superar esse e outros medos, enquanto um instrutor de autoescola (especializado ou não em ajudar quem sofre com este problema) mostrará como a convivência no trânsito pode ser natural.

Aprender técnicas de relaxamento e treinar ao menos duas vezes por semana são alguns truques que os famosos ensinam para superar o pânico, porque, sim, eles também já passaram por isso

sábado, 23 de abril de 2016

Salario minimo r4egional




Aumento do salário mínimo contempla o INPC acumulado até dezembro mais o PIB dos últimos dois anos. Fotos Públicas

A lei que regulamenta o cálculo do salário mínimo regional do Paraná deverá ser mantida até 2020. Conforme a minuta aprovada pelos sindicatos patronais e dos trabalhadores, a base continuará sendo o INPC acumulado de janeiro a dezembro do ano anterior mais a variação do PIB de dois anos antes.
Com isso, o aumento em 2016 será de 11,6%. As faixas salariais ficarão entre R$ 1.148,40 e R$ 1.326,60. A proposta ainda depende da aprovação da Assembleia Legislativa, mas não deve encontrar resistência.



A previsão é entrar em vigor no dia 1.º de maio.
De acordo com os representantes sindicais, porém, o projeto de lei terá uma mudança na data-base a partir de 2017, que será antecipada em um mês até 2020.
No próximo ano, o mínimo regional entrará em vigor no dia 1.º de abril; em 2018, no dia 1.º de março; em 2019, no dia 1.º de fevereiro; e em 2020, no dia 1.º de janeiro. “Essa prática foi aprovada pelos sindicatos para que o piso regional não se distancie tanto do nacional”, afirma o vice-presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Carlos Walter Martins.



O representante reforça que o mínimo paranaense continuará sendo o maior do país. Ao todo, cinco estados têm salários regionais – Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

DIA DA TERRA

O Dia da Terra foi criado pelo senador norte-americano Gaylord Nelson, no dia 22 de Abril de 1970, cuja finalidade é criar uma consciência comum aos problemas da contaminação, conservação da biodiversidade e outras preocupações ambientais para proteger a Terra.

História

A primeira manifestação teve lugar em 22 de abril de 1970. Foi iniciada pelo senador Gaylord Nelson, ativista ambiental, para a criação de uma agenda ambiental. Para esta manifestação participaram duas mil universidades, dez mil escolas primárias e secundárias e centenas de comunidades. A pressão social teve seus sucessos e o governo dos Estados Unidos criou a Agencia de Proteção Ambiental (Environmental Protection Agency) e uma série de leis destinadas à proteção do meio ambiente.
  • Em 1972 se celebrou a primeira conferência internacional sobre o meio ambiente: a Conferência de Estocolmo, cujo objetivo foi sensibilizar aos líderes mundiais sobre a magnitude dos problemas ambientais e que se instituíssem as políticas necessárias para erradicá-los.
  • O Dia da Terra é uma festa que pertence ao povo e não está regulada por somente uma entidade ou organismo, tampouco está relacionado com reivindicações políticas, nacionais, religiosas ou ideológicas.
  • O Dia da Terra refere-se à tomada de consciência dos recursos naturais da Terra e seu manejo, à educação ambiental e à participação como cidadãos ambientalmente conscientes e responsáveis.
  • No Dia da Terra todos estamos convidados a participar em atividades que promovam a saúde do nosso planeta. tanto a nível global como regional e local.
  • "A Terra é nossa casa e a casa de todos os seres vivos. A Terra mesma está viva. Somos partes de um universo em evolução. Somos membros de uma comunidade de vida independente com uma magnífica diversidade de formas de vida e culturas. Nos sentimos humildes ante a beleza da Terra e compartilhamos uma reverência pela vida e as fontes do nosso ser..."
Surgiu como um movimento universitário, o Dia da Terra se converteu em um importante acontecimento educativo e informativo. Os grupos ecologistas o utilizam como ocasião para avaliar os problemas do meio ambiente do planeta: a contaminação do ar, água e solos, a destruição de ecossistemas, centenas de milhares de plantas e espécies animais dizimadas, e o esgotamento de recursos não renováveis. Utiliza-se este dia também para insistir em soluções que permitam eliminar os efeitos negativos das atividades humanas. Estas soluções incluem a reciclagem de materiais manufaturados, preservação de recursos naturais como o petróleo e a energia, a proibição de utilizar produtos químicos danosos, o fim da destruição de habitats fundamentais como as florestas tropicais e a proteção de espécies ameaçadas. Por esta razão é o Dia da Terra.
Este dia não era reconhecido pela ONU até 2009, quando a mesma reconheceu a importância da data e instituiu o Dia Internacional da Mãe Terra, celebrado em 22 de abril[1] .

quarta-feira, 20 de abril de 2016

O feriado de Tiradentes não deve alterar muito a rotina dos serviços públicos em Curitiba. Segundo a prefeitura, apenas na quinta-feira (21), parte dos serviços estarão fechados. Na sexta-feira (22), tudo volta ao normal.
Saúde
Unidades de Saúde - ficam fechadas na quinta-feira. Na sexta-feira, funcionam normalmente, conforme o horário de cada equipamento.
Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) - Funcionam normalmente, durante 24h, todos os dias. Apenas a UPA Campo Comprido não abre devido à reforma que está sendo realizada no local, desde o último dia 4 de abril.
Endereços das UPAS:
• UPA Sítio Cercado: Rua Levi Buquera, 158, Sítio Cercado.
• UPA Matriz: Hospital de Clínicas da UFPR - Rua General Carneiro, 289, Alto da Glória.
• UPA Boa Vista: Av. Paraná, 3654, Boa Vista.
• UPA Boqueirão: Rua Professora Maria de Assumpção, 2590, Boqueirão.
• UPA Cajuru: Rua Engenheiro Benedito Mário da Silva, 555, Cajuru.
• UPA CIC: Rua Senador Accioly Filho, 3370, CIC.
• UPA Fazendinha: Rua Carlos Klemtz, 1883, Fazendinha.
• UPA Pinheirinho: Rua Leon Nicolas, 1995, Pinheirinho.
Urbs
Não há atendimento ao público na quinta e sexta-feira.
Transporte coletivo
Na quinta-feira, o transporte coletivo funciona com tabela horária de domingo. Em função de festividades da Polícia Militar (PM), pode haver desvios no entorno da Praça Tiradentes, no período da manhã.
Na sexta-feira, tabela normal de dia útil. Os horários dos ônibus estão disponíveis no site da Urbs, clicando em "Horário de Ônibus" ou em Itinerários.
As Ruas da Cidadania fecham na quinta-feira, suspendendo a integração. Na sexta-feira, funcionam normalmente, incluindo as que oferecem integração temporal.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Rebobinando

Fitas cassete conquistam o meio independente e voltam a ser produzidas no Brasil 

Seguindo retomada que já ocorre lá fora, Estúdio paulista FlapC4 passa a investir no formato oferecendo gravações com tiragem e qualidade voltadas ao mercado 

Por: Henrique Coradini


Febre entre as décadas de 1970 e 1990, as fitas cassete estão de volta ao mercado brasileiro Foto: stock.xchng / divulgação
Fitas cassete voltarão a ser produzidas no Brasil. O anúncio foi dado pelo estúdio FlapC4, em São Paulo. Ao que tudo indica, 2016 será o ano em que os aparelhos de Walkman poderão começar a sair do baú.
 Músico gaúcho dono do selo Punch Drunk Discos segue investindo em fitas cassete  
A novidade acompanha a onda retrô que recuperou o prestígio dos discos de vinil há alguns anos e também, mais recentemente lá fora, das fitas – nos Estados Unidos, por exemplo, as vendas de cassete por parte da National Audio Company aumentaram em 20% entre 2014 e 2015. Os responsáveis pelo retorno da produção no Brasil são os empresários Luis Lopes e Fernando Lauletta, proprietários do FlapC4, estúdio de gravação que investe em equipamentos vintage. Os sócios compraram uma máquina de gravação de fitas para oferecer o serviço às bandas e aos artistas que buscam o formato.
Segundo Lauletta, o estúdio está negociando com uma distribuidora a compra de fitas junto a fabricantes com a intenção de iniciar a produção de gravações até o final deste mês. Até então, bandas e artistas que queriam fitas cassete para distribuição de seus trabalhos – com tiragem e qualidade técnica – tinham de buscar o serviço na Argentina.
– Nosso interesse se deu após uma parceria com o selo de música eletrônica Beatwise Records, pelo qual produzimos uma tiragem pequena de fitas cassete. A partir daí, identificamos a tendência no mercado e resolvemos investir no negócio – contaLauletta.
Populares do fim dos anos 1970 até meados dos anos 1990, as fitas cassete foram desde então consideradas rudimentares e pouco práticas. Na última década, porém, ganharam status cult e voltaram a conquistar espaço. O principal público, segundoLauletta, vem do mercado independente: bandas de punk e metal, produtores de música eletrônica e grupos de rap. Mesmo entre o público que tem acesso às músicas por meio da internet, há os que não dispensam o contato com o encarte e a embalagem do formato físico, como no vinil.
– É um material bacana para o artista e para o fã. O público (do meio independente) tem bastante ¿fetiche¿ pelo material físico, e o cassete é bem mais barato que o vinil – avalia Lauletta.
Venda de discos de vinil cresce 40% nos Estados Unidos  
A FlapC4 usará uma máquina da marca Kaba Research & Development, que grava 100 fitas ao mesmo tempo. Fernando garante que a qualidade das fitas produzidas não decepcionará. Segundo o produtor, os modelos antigos eram produzidos com materiais baratos que prejudicavam o som e eram regravados de uma matriz que não levava em conta suas propriedades. Já as gravações da fábrica serão mixadas e gravadas especialmente para o formato.
– Pretendemos reunir uma série de músicos para um teste cego no qual eles poderão julgar a qualidade das fitas. Queremos desmitificar a ideia de que fitas cassete têm má qualidade sonora – avisa Fernando.

domingo, 10 de abril de 2016

O QUE É E COMO FUNCIONA O ADESIVO INTELIGENTE?

Para quem precisa injetar insulina várias vezes ao dia para controlar a glicemia – especialmente diabéticos tipo 1 -, o adesivo poderá ser o melhor amigo da saúde e evitar desconfortos.
O adesivo é um pequeno quadrado, do tamanho de uma moedinha. Na face inferior, ele possui uma centena de “microagulhas” especiais, extremamente pequenas e que grudam na pele sem provocar qualquer dor.
foto - dr Zhen Gu Universidade Carolina do Norte EUA
O dr Zhen Gu, da Univ. da Carolina do Norte, EUA, é o principal autor do estudo sobre o adesivo inteligente.
As microagulhas são pequenas, porém capazes de atingir os finos vasos sangüíneos na superfície da pele. Quando em contato com o sangue, as microagulhas conseguem detectar a quantidade de açúcar na circulação e liberam insulina de acordo, a fim de corrigir excessos. É por este revolucionário sistema de detecção que o adesivo é chamado de “inteligente”.
“Nós desenvolvemos um adesivo para diabéticos que funciona rapidamente, é fácil de usar e é feito de materiais não-tóxicos e biocompatívies”, explicou o principal autor do estudo, o prof. Zhen Gu (foto), do Departamento de Engenharia Biomédica da Universidade da Carolina do Norte.
“O sistema inteiro pode ser personalizado, sendo ajustável para o peso e a sensibilidade à insulina do paciente. Assim, podemos tornar o “adesivo inteligente” ainda mais inteligente”.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Vai ter churrasco!

Tá chegando a hora 😱 É nesse final de semana a primeira feira aberta ao público e no meio da praça focada na carne assada! Vai ter churrasco sim!
Vem pra feira e curta a churrascada com a família e os amigos. O final de semana promete hein 😋

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Educação infantil


Scoola é uma startup do Maranhão voltada para a educação infantil e ensino fundamental, fundada pelo engenheiro de software e gestor de projetos de tecnologia Weldys da Cruz Santos e Marcello Paixão, especialista em Tecnologias para Educação. Nos últimos meses a dupla aplicou atividades em papel em escolas maranhenses e confirmaram que era possível por meio delas detectar algumas dificuldades de aprendizado. As atividades estão sendo transpostas para o aplicativo Scoola e, entre elas, estão alguns exercícios de arrastar objetos para dentro de uma caixa, arrastar e soltar, completar frases e responder perguntas.As atividades, que são personalizáveis pelo professor, ajudariam a perceber o comprometimento e traçar o perfil do aluno, a forma como responde, seu histórico e o comparativo com outros colegas, de acordo com Santos. “O professor tem um retorno a partir das atividades com dados de comportamento e que pode ajudar a detectar dificuldades como dislexia, coordenação motora ou alunos com altas habilidades”, explica.
Publicidade
Atualmente o aplicativo está em fase de testes e disponível na Play Store (para sistema Android). Os professores podem fazer uso da ferramenta para construção das atividades, mas não têm acesso a dados psicopedagógicos, apenas quantitativos. Para ter acesso completo é preciso que o serviço seja contratado por uma escola, sendo o valor cobrado por aluno de R$ 4,99.

sábado, 2 de abril de 2016

 
ANIVERSÁRIO DE CURITIBA
Ubiratan Lustosa
Quando a gente quer bem a uma cidade o seu aniversário é motivo não apenas de alegria, mas também de recordações. É como se fosse uma pessoa muito querida, alguém da família, e os parentes e amigos reunidos para festejar a data.
A gente fica lembrando o tempo em que aquela pessoa era pequena, suas travessuras, seus encantos, as pequenas coisas que já denotavam a sua personalidade, as suas preferências, os perigos por que passou, numa sequência de reminiscências tão caras para todos.

Assim acontece com as cidades, e no dia do aniversário de nossa Curitiba muito amada eu fico lembrando de outros tempos em que ela era bem mais moça e já tão querida.
No meu bairro classe média, na época conhecido como Campo da Cruz, como era bom de se viver. Como havia criançada, que bandos enormes de guris jogando bola na praça em frente à Igreja do Coração de Maria.

Que festa quando os carroceiros vinham trazer lenha e a gente pegava a rabeira das carroças, por quadras a fio, nas ruas de macadame.
E o corre-corre da piazada quando aparecia o "nego" Bate-Bate, um negro fraco da ideia e do qual, apesar de inofensivo, a gente tinha tanto medo.
E a "nega" Maria Balão, malcriada como ela só, que fazia as recatadas senhoras mudarem de caminho temendo vexames.

Havia o bonde, barulhento e tão econômico. Eu me lembro que certa vez aumentaram o preço da passagem de um tostão para duzentos réis e houve um quebra-quebra. Parece incrível, mas eu vi destruírem um bonde na Rua 24 de Maio, em frente ao Colégio Iguaçu.
Como eram diferentes as Praças Tiradentes e Zacarias.
Que saudade do Cine Luz!...
Antes de começar o filme as meninas ficavam de pé, de costas para a tela, apoiadas no espaldar das poltronas... e os rapazolas circulavam pelos corredores do cinema no mais romântico e curioso ritual de paquera. E havia o "footing" na rua XV. Era um vaivém de rapazes e moças, e das trocas de olhares furtivos nasceu muito casamento.

Como era romântica a Curitiba de outros tempos. Terá o progresso prejudicado esse romantismo? Claro que não! Curitiba continua uma cidade linda, humana, misturando coisinhas provincianas com os avanços de cidade grande.
Lugar excelente para se viver e conviver, apesar do crescimento em Curitiba ainda há pessoas que se conhecem.
Se já não se encontra tempo para bate-papos e muita gente não sai de casa por causa da televisão e por medo de assaltos, mesmo assim existem muitos atrativos.
Ruas largas, excelentes parques, ar ainda de boa qualidade, locais inúmeros para refeições e diversões e, acima de tudo, um povo bom e ordeiro, tudo isso faz de Curitiba uma cidade muito amada. Sou feliz por ter nascido aqui.

Adoro viver em Curitiba, com todas as suas virtudes e seus defeitos. Com todas as estações do ano num só dia, com aranha marrom incomodando a gente, mas também sendo a Capital Ecológica do Brasil e um exemplo de educação e cultura.
Por isso, falando "quadradinho" ao nosso jeito, eu quero saudar minha cidade e sua gente na passagem de mais um aniversário.

Deus te abençoe Cidade Sorriso e te conserve assim, admirada e amada, cidade cheia de ternura, verdadeiro ninho de paz e amor!

* * * * *
Do livro NOSSO ENCONTRO COM UBIRATAN LUSTOSA
Instituto Memória Editora

FIQUE BEM INFORMADO.

Leia mais: Hoje é dia de que? Datas comemorativas • A arte da vida. Apon HP. Literatura para pensar e sentir http://www.aponarte.com.br/p/hoje-e-dia-de-que-e-amanha_09.html